segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

A Batalha de Star Wars na Manhã de Natal (e o poder da imaginação além das telas grandes, médias ou pequenas)




O vídeo acima Duracell e Star Wars: A Batalha na Manhã de Natal, descobri no YouTube e é uma criativa publicidade de marca de pilhas de longa duração, em forma de curta-metragem, contando a história de dois jovens Jedi que colocam as referidas pilhas em seus sabres de luz e adentram no mundo imaginário de Star Wars em uma batalha contra os Stormtroopers dentro da casa e depois no quintal da mesma.
Mais que um comercial é um ótimo material para discutir a importância de incentivar o lúdico e o imaginário, além do universo digital dos jogos eletrônicos. De adaptar situações do universo cinematográfico e literário para o cotidiano de crianças e jovens num jogo de interpretação de papéis, longe das telas do cinema e dos videogames, mas noutros ambientes, como a casa, a sala de aula, o pátio escolar etc.
Uma experiência imersiva na realidade local - além da realidade virtual -, sem a necessidade de óculos VR, num outro tipo de 360 graus, mas no entorno da casa ou da escola; podendo ampliar a experiência unindo arte e cultura à educação. A criatividade do professor e de seus alunos que será o limite.
O poder insuperável da imaginação humana, além das telas grandes (cinema) médias (TV) e pequenas (smartphones).

domingo, 9 de dezembro de 2018

A criação do Requiém de Mozart: entre o gênio e o aprendiz, o cinema e a educação, a didática e a metodologia




O vídeo acima AMADEUS: Criação do Requiem, descobri via Twitter de Daniel Souza, educador de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, e editor do blog O ÓCIO RECREATIVO.
Trata-se de cena genial do filme Amadeus que, segundo a Wikipedia: "(...) é um filme americano de 1984, do gênero drama biográfico dirigido por Milos Forman e com roteiro de Peter Shaffer. O roteiro é baseado na peça homônima do próprio Shaffer, livremente inspirado nas vidas dos compositores Wolfgang Amadeus Mozart e Antonio Salieri, que viveram em Viena, na Áustria, durante a segunda metade do século XVIII. O filme foi indicado para 53 prêmios, e recebeu 40, incluindo oito Oscars (entre eles o de melhor filme), quatro prêmios BAFTA, quatro Globos de Ouro e um prêmio DGA. Em 1998, Amadeus foi classificado como o 53º melhor filme dos Estados Unidos pelo American Film Institute, em sua lista AFI's 100 Years… 100 Movies".
Mais que isso, faço minhas as palavras do professor Daniel, quando ao apresentar a referida cena diz: "Como ser didático sobre um assunto que pouca gente entende sem subestimar a inteligência do espectador? Milos Forman em Amadeus nos mostra".
De fato! A cena mostra de um jeito didático como o jovem Mozart compunha suas obras-primas, de uma forma autêntica, criativa e genial. Como Mozart, que tinha a idade de um aprendiz, agia diante de Salieri, um compositor já maduro e experiente. A genialidade nada tem a ver com a cronologia e todos têm uma metodologia de criação, o que fica evidenciado na cena em questão. Mozart era ágil, tinha uma palheta musical na cabeça compunha por pura intuição e inspiração...
Algo que me lembrou recentemente uma atividade escolar que participei, em que o professor de matemática e um de seus alunos jogaram uma partida de xadrez num tabuleiro gigante, montado no pátio da escola. O jovem aluno parecia ter um tabuleiro na mente, pois conseguia visualizar as jogadas, não apenas as dele, mas do adversário com uma velocidade impressionante. Na verdade estavam jogando dos mestres naquele momento: o professor e seu aluno.
Na cena de Amadeus, o jovem Mozart ensina ao mestre Salieri como compor com criatividade, virtuosismo e originalidade. O professor pode também aprender com o aluno, estabelecendo trocas de saberes...
Cenas clássicas do cinema não faltam para ilustrar qualquer área do conhecimento e lembrou também de outra cena fantástica que jamais esqueci, do filme Poltergeist: o fenômeno, de 1982, em que o pai ensina à filha que a tempestade está se afastando se os segundos entre o clarão e o estrondo vão aumentando e poderá estar se aproximando quando diminui esse tempo entre a luz e o som...



Cinema pode ser um aliado da Educação, através da utilização de algumas cenas, ideias, conceitos que complementem o conteúdo pedagógico... A didática e a metodologia devem levar em contam a arte e a cultura nesse fazer pedagógico.
O grande escritor Erico Verissimo, em sua autobiografia, dizia que sua educação tinha sido cinematográfica A do editor deste blog, foi televisiva, através de seriados, filmes da Sessão da Tarde, desenhos animados etc. A da atual geração é via internet, games e YouTube. Não importa o meio, mas o fim... Os meios de informação e de comunicação podem ser grandes ferramentas de apoio ao professor, cuja finalidade é a educação.

sábado, 8 de dezembro de 2018

Lição de casa: trabalho sobre a gravidade proposto pelo professor e a viagem ao mundo dos sonhos feita pelos alunos




O vídeo acima iPad — Homework - Apple é uma peça publicitária sobre equipamento eletrônico, mas também um curta-metragem sobre um dia de uma escola que poderia estar em qualquer lugar. O professor forma os grupos e pede que um deles pesquise sobre a gravidade. Os alunos se encontram fora da escola e passa a unir a teoria e a prática, fazendo experimentações, brincadeiras e documentando tudo com as tecnologias.
Um vídeo que me lembra cenas do filme Viagem ao mundo dos sonhos (1985), em que jovens se reúnem para construir uma nave espacial. Um clássico da Sessão da Tarde, da TV aberta, nos anos 1980, conforme cenas abaixo:





Trabalhar com o concreto e o abstrato, com a teoria e a prática, com o simbólico e o imaginário no ambiente escolar são possibilidades de estabelecer um diálogo entre gerações: entre professores e alunos, pais e filhos.
Quem disse que uma lição de casa não pode ser criativa, divertida e original?
O bom professor é aquele que permite essas viagens ao mundo dos sonhos feitas pelos seus alunos, a partir de propostas criativas e relevantes que envolvam o conteúdo programático de sua disciplina, unindo arte, cultura tecnologia e educação.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Nós amamos a tecnologia: Dança com seus filhos, dança para eles... (arte, cultura e tecnologia na sociedade)




O vídeo acima Dança com seus filhos, dança para eles, encontrei no Facebook e trata-se de bela campanha/publicidade que conta um pouco da história das tecnologias através da história de pais e filhos. Começa com um aparelho de som 3 em 1 (toca-discos, toca-fitas k-7 de áudio e rádio), passa pela música digital no rádio do carro, pelo toque dos primeiros celulares até o filho se tornar pai e através de uma chamada de vídeo do smartphone poder dançar com seu filho para o seu pai, seguindo aquela tradição unindo dança e tecnologia.
Um belo vídeo para discutir justamente essas ligações entre homens e máquinas, das mudanças de tecnologias a cada geração, mas da importância da arte e da cultura do afeto e da educação, unindo pais e filhos, professores e alunos.
Uma bela metáfora da tecnologia e da pedagogia (do espelho e do afeto) no cotidiano social.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

O único presente que Papai Noel não pode entregar (Campanha de Natal da Cruz Vermelha)




O vídeo acima é campanha de Natal do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que aborda a separação de crianças de suas famílias por causa de conflitos armados mundo afora. A campanha foi criada por uma agência de publicidade e está sendo veiculada em diversos países, dentre eles o Brasil, pois "A única coisa que algumas crianças querem nestas festas é reencontrar a família. Há mais de 150 anos o Comitê Internacional da Cruz Vermelha trabalha para reunir famílias separadas por conflitos ou desastres naturais para que elas estejam juntas novamente".
No vídeo em questão, Papai Noel caminha por uma zona de conflito, entre soldados e destroços de casas e cidades até encontrada uma menina solitária. Comovedor, ainda mais que a caracterização do Papai Noel - perambulando por zonas de conflito, suado, com a barba descuidada, envelhecido e entristecido - parece-me por demais apropriada para quem estivesse convivendo com tanta destruição. Em tempos sombrios e sem brios, lembrar do espírito de Natal, do humanismo, da solidariedade são essenciais.
De fato, como destaca a campanha: "o único presente que algumas crianças querem para esse Natal é suas famílias".

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Caras e Cores: empresa relança música "Aquarela" em belo e criativo vídeo sobre diversidade racial e representatividade




O vídeo acima Caras e Cores Faber-Castell, descobri no Twitter e trata-se de bela e criativa iniciativa de empresa de material escolar de relançar a música Aquarela, de Toquinho (sucesso de 1984) em vídeo para celebrara a representatividade humana. A série EcoLápis, como o nome indica, tem um compromisso com o meio ambiente, e o tema "Caras e Cores" busca justamente para tratar da diversidade, já que, conforme notícia, "são 6 tons de pele diferentes e misturáveis, que estimulam a criatividade e a auto expressão através de novas combinações".
Um vídeo que mescla animação, música e muito mais.
Mais que isso, essa nova versão traz a letra adaptada ao tema da diversidade racial, com a mensagem “Sua cor como você quiser”< Campanha publicitária com veiculação nacional em canais de televisão, no cinema e em meios digitais e que ficará no ar até a época de volta às aulas.
Mais uma ação que une arte e cultura com educação e sociedade.
Para saber mais, indico o link abaixo:

Faber-Castell relança música "Aquarela"

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Compartilhe seus dons: Não esconda seu talento! Venha para fora e brinque! (Lindíssimas propaganda, animação e canção)




O vídeo acima Holiday — Share Your Gifts (Feriado - Compartilhe seus dons), foi indicação via WhatsApp de meu amigo e colega Robson Garcia Freire, educador do Rio de Janeiro, vivendo atualmente na Paraíba, Brasil e trata-se de maravilhosa propaganda da Apple, utilizando lindíssima animação e a belíssima canção de Billie Eilish - Come out and play (venha para fora e brinque, tradução livre deste blog).



O curta-metragem de animação conta a história de uma jovem que mora sozinha com seu cão de estimação e que tem um talento nato para tudo que faz seja nos pães onde trabalha, seja no vidro do metrô onde se desloca, em toda parte ela produz arte. Além disso, ela vai escrevendo e desenhando e tudo guardando numa caixa, até o dia que ocorre o imprevisto: uma janela abre com o vento e seu trabalho sai voando pelas ruas. Na intenção de recuperar sua obra, ela descobre que seu trabalho encanta as pessoas; algo como o escritor de gaveta quando resolve mostrar sua produção aos outros.
A bela mensagem que esse vídeo traz é compatível com o título: "Compartilhe seus dons" e que este blog complementa com "Não esconda o seu talento", pois todos temos algum talento natural, ainda por ser descoberto. E não apenas na arte e cultura; na educação e na sociedade. Saber ensinar e aprender uns com os outros é uma grande arte para os educadores do século XXI.
Pois já dizia o Padre Antonio Vieira, séculos atrás: "Nós somos o que fazemos. O que não se faz não existe. Portanto, só existimos nos dias em que fazemos. Nos dias em que não fazemos apenas duramos".
Não basta fazer bem as coisas é preciso compartilhá-las; divulgar as ações relevantes...

sábado, 1 de dezembro de 2018

Senhor Indiferente: tire suas mãos do bolso e abrace uma causa (curta de animação e anúncio publicitário)




O vídeo acima Mr. Indifferent foi indicação via Facebook pela colega e amiga Josane Batalha Sobreira, educadora de Campinas, São Paulo Brasil e trata-se de curta-metragem de animação produzido por Aryasb Feiz para anúncio publicitário do Emirates NBD Bank.
Quantos de nós, no cotidiano, não encontra-se com o Senhor Indiferente pela rua, pelo trabalho, na sociedade... Pessoas que parecem humanas mas que não agem como tal. Que poderia fazer um simples gesto de gentileza, mas que a indiferença, a falta de empatia, de alteridade de solidariedade os impede...
O Senhor Indiferente, diferentemente da animação, está presente em todas as classes sociais, e não é uma questão apenas de gênero, mas de sensibilidade (ou melhor, de falta de...). Mas, como na animação, alguns desses seres se tornam humanos por conta de pequenos gestos, quase involuntários, que os fazem interagir com seus semelhantes... Conhecer o outro, conviver com o diverso, sentir na pele o que outras pessoas passam é uma experiência imersiva, capaz de romper com a capa de invisibilidade e insensibilidade de alguns.
Por isso mesmo se justifica a importância socializadora da escola, que permite a diversidade, o convívio social, as trocas de experiências de vida e de saberes entre diferentes realidades humanas e sociais.
Que ninguém fique indiferente ao outro, sejam pais ou filhos, professores ou alunos.

Cataki: aplicativo colaborativo que facilita o descarte adequado e gera renda para os catadores (agentes sociais e ambientais)




O Cataki (vídeo acima) é um aplicativo que mostra como fazer o descarte adequado de diversos materiais conectando-o a uma rede de catadores (agentes sociais e ambientais).
O app indica os catadores que estão perto de você. Todos são cadastrados com nome, apelido, telefone, materiais que reciclam, tipo: Vidro, Lata, Papel, Plástico, Metal, Eletrônicos, Móveis, Entulho, Restos de poda, Bateria e Óleo.
Segundo a @cacau, de quem descobri o app no Twitter: "Cada pessoa produz cerca de 400kg de lixo por ano, só 12 são reciclados é desses 11kg são graças aos catadores. O objetivo do App é facilitar o descarte adequado e gerar renda pros catadores".
De acordo com o vídeo, todos os dias o Brasil produz 200 mil toneladas (isso mesmo!!!) de resíduos.
O aplicativo que é colaborativo, aberto e que está em construção é também um belo exemplo de tecnologia favorecendo o meio ambiente, um belo exemplo de tecnologia social.
Abaixo link para cadastrar e baixar o referido aplicativo:



CATAKI - O aplicativo da reciclagem

Como diz o Nego (vide imagem abaixo), um catador faz mais do que um Ministro do Meio Ambiente. E tem sentido a frase desse catador e agente social ambiental...



Um aplicativo que "conecta catadores de materiais recicláveis com quem quer reciclar". Um exemplo de como a tecnologia pode conectar outras áreas da sociedade.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Super Marios Bros Cadeirante (versão inclusiva) em vídeo que discute a acessibilidade




O vídeo acima Super Mario Bros Inclusivo encontrei no Twitter como sendo a criação de três israelenses Liron Atia, Roi Meyshar, Gadi Wilcherski, que adaptaram o clássico jogo para uma versão dentro dos conceitos de acessibilidade e inclusão, intitulado Not So Super Mario (Não Tão Super Mário, em português).
O Mario do jogo adaptado conta com cadeira de rodas, rampas de acesso, elevadores para seguir em frente, como deveria ser no mundo real para todas as pessoas e locais.
É uma versão bem interessante para se tratar de inclusão no ambiente escolar. E o mais surpreendente ainda é saber que um dos desenvolvedores se tornou cadeirante, o que o inspirou a criar essa versão.
No link abaixo há uma entrevista com o trio ao site The Inquisitr.

Super Mario Bros. Video Game Takes A Dark Turn

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Juro Que Vi: série de animações sobre lendas, mitos e personagens do folclore brasileiro (feitas em colaboração com alunos da rede pública)




A imagem acima JURO QUE VI, descobri no Twitter do MultiRio e trata-se de "série de animações realizadas em colaboração com alunos da Rede Pública Municipal do Rio de Janeiro [RJ, Brasil], sobre lendas, mitos e personagens do folclore brasileiro como o Saci, o Curupira e outros".
Para acessar o conteúdo requer um cadastro prévio e simples.
Abaixo, episódio sobre o Saci, que encontra-se no portal e no YouTube:



A seguir, link para a série e para o canal do MultiRio, que é um portal com 25 anos de atuação:

JURO QUE VI

MULTIRIO NO YOUTUBE

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Campanha publicitária de Natal aborda a gratidão entre menina com síndrome de Down e idoso solitário e seu cão de estimação




O vídeo acima História de Natal, foi indicação de Bruna T. Nunes, minha aluna via grupo do WhatsApp do curso de Pedagogia e trata-se de comovente campanha de publicidade abordando a Gratidão de uma menina com síndrome de Down que é auxiliada na prática desportiva (corridas) sem saber por um vizinho idoso e seu cão de estimação, que acompanham literalmente suas passadas.
Um peça publicitária em formato de curta-metragem é dirigida por Claudio Borrelli da Killers, e compõe campanha de assinatura "Natal não é isso? Fazer alguém se sentir amado?". Uma mensagem que toca fundo àqueles que têm empatia, alteridade e solidariedade... Não há como não se emocionar quando a menina oferece ao idoso solitário sua medalha e o convida para a ceia de Natal com sua família.
Um curta-metragem que me lembrou o filme "Filhos do Paraíso", que segue link de resenha deste blog, logo abaixo, pois trata de envolvimento de um professor de educação física com um aluno corredor:

FILHOS DO PARAÍSO (CINEMA E EDUCAÇÃO)

A seguir, trailer do filme iraniano "Filhos do Paraíso", que possui versão integral no YouTube:



Os visitantes do Educa Tube Brasil devem perceber que na imagem abaixo, do filme acima mencionado, há uma das crianças que fazem parte da composição de imagens do banner deste blog educacional. :-)



domingo, 25 de novembro de 2018

Quando a arte imita a arte: referências da pintura no cinema (telas frente a telas)



O vídeo acima Referências da pintura no cinema, foi indicação via Facebook pela colega e amiga Carla Karlindrah, educadora de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil e trata-se do fabuloso exemplo de quando a arte imita a própria arte, da sétima arte (cinema) sendo influenciado pelas artes plásticas. Muitas são as cenas, inclusive, além dessas do cinema imitando o próprio cinema, como Brian De Palma citando visualmente a Hitchcock em sua obra e outros mestres. Intertextualidade nas mais variadas linguagens visuais.
Como bem mencionou Carla Kalindrah: "Porque os arquétipos são 'telas mentais' da ordem cósmica, são imagens que falam algo profundo sobre nós...." De fato, a arte é o que preserva o que de mais humano existe em nós, que preserva nossa humanidade... E não apenas as telas refletem umas às outras... As demais artes influenciam mutuamente: a literatura, a pintura, a escultura, a arquitetura etc. Tudo isso garante ao mesmo tempo nossa identidade, universalidade e atemporalidade...
Abaixo, matéria que ampliar o tema e traz novos vídeos, que reproduzo a seguir:

How Famous Paintings Inspired Cinematic Shots in the Films of Tarantino, Gilliam, Hitchcock & More: A Big Supercut






sábado, 24 de novembro de 2018

De Platão a Foucault: 136 curtas de animação sobre filosofia, sociologia e política em canal no YouTube




O vídeo acima, An Introduction to Plato's The Republic (Uma Introdução à República de Platão), descobri nas redes sociais, no portal da Revista Bula e trata-se de iniciativa da A Macat Analysis, um canal de vídeos no YouTube, que disponibiliza 136 curtas de animação sobre filosofia, sociologia e política de Platão a Foucault.
São animações de curta duração, de cerca de 3 minutos em média, mas extremamente relevantes por divulgarem as principais teorias dos grandes pensadores da humanidade. E o mais importante: socializadas de forma gratuita no YouTube, possibilitando sua utilização em sentido amplo, em escolas, cursos etc.
Conforme a Revista Bula: "Os temas abordados são bastante amplos, contemplando desde filosofia clássica, com os pensamentos de Platão e Aristóteles, até a filosofia moderna, de Foucault e Judith Butler".
Vejam a lista de alguns destaques: Charles Darwin, em “A Origem das Espécies”; Sun Tzu, “Arte da Guerra”; Aristóteles, “Política”; Henry David Thoreaus, “A Desobediência Civil”; Sigmund Freud, “A Interpretação dos Sonhos”; Virgina Woolf, “Um Teto Todo Seu”; Max Weber, “A Política como Vocação”; Thomas Hobbes, “Leviatã”; Immanuel Kant, “Crítica da Razão Pura”; Friedrich Hegel, “Fenomenologia do Espírito”; Levy Strauss, “Antropologia Estrutural”; Karl Marx, “O Capital”; Friedrich Nietzsche, “Para Além do Bem e do Mal”; Hannah Arendt “A condição Humana”; Simone de Beauvoir, “O Segundo Sexo”; entre outros.
Embora as animações tenham sido produzidas em inglês, basta ativar o recurso de legendas e tradução do YouTube, no canto inferior direito da tela de reprodução.

Abaixo, link para o referido canal, com os 136 curtas de animação sobre filosofia, sociologia e política:

MACAT ANALYSIS

O jogo do século: vôlei para idosos em uma experiência inclusiva, divertida e criativa




O vídeo acima, que intitulei de "O Jogo do Século", descobri via Facebook do colega e amigo Nerocy Miranda Filho, educador residente em Maringá, Paraná, Brasil e trata-se de uma atividade recreativa feita com idosos envolvendo coordenação motora e socialização. Um jogo de vôlei estilizado, com pessoas em idade avançada, sentadas em cadeiras e fazendo um balão de bola. Algo divertido, criativo e original, que lembra experiências inclusivas similares com pessoas portadoras de necessidades especiais, cadeirantes, cegos, deficientes físicos etc.
Como sempre digo, inovar é transformar ideias em algo novo e o vídeo acima traz em si esse conceito inovador, de proporcionar atividade física e mental a idosos, que muitas vezes vivem num mesmo espaço social, mas não convivem uns com os outros.

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Quando a Geometria encontra a Arte: O "Matemágico" Caleidoscópio de Dedos




O vídeo acima Caleidoscópio de Dedos - Quando a Geometria encontra a Arte , foi indicação via Facebook da colega e amiga Carla Karlindrah, educadora de Niterói (RJ), Brasil.
Trata-se de uma belíssima junção da arte com a educação, numa "MateMágica" incrível.
Um caleidoscópio a partir de fascinante movimentação de dedos e mãos, criando um efeito hipnótico e estético, numa perfeita sintonia e sincronia entre os participantes...
Geometria e arte. Geometria é arte. Matemática e magia. Matemática é magia...