segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Ainda dá Tempo: "a infância é a inspiração para um mundo melhor"

Ainda dá Tempo (There is still time) from Ainda da tempo on Vimeo.


O vídeo acima, Ainda dá Tempo (There is still time) que descobri via portal CASA DO BRINCAR (de onde copiei o subtítulo para esta postagem). O vídeo encontra-se no portal de vídeo VIMEO e trata-se de experimento social reunindo pais e filhos para uma entrevista. Primeiro os pais indicam suas expectativas para o futuro, a maioria em tom pessimistas. Depois os filhos demonstram, algo natural em sua idade, uma visão mais alentadora e positiva do futuro que os aguarda. Ótimo para refletir sobre a visão de mundo das duas gerações: os adultos, talvez, contaminados pelo bombardeiro de notícias catastróficas pelos telejornais e as crianças ainda vivendo em seu mundo imaginário.
Conforme apresentação do vídeo no VIMEO: "Este é um projeto independente com o objetivo de abrir os olhos para o simples fato que para começar uma mudança, é preciso primeiro acreditar que ela é possível. O mundo é de todos nós e precisa do nosso otimismo para que o ímpeto de mudar se transforme em uma mudança real, e acreditamos que isso só é possível começando por uma transformação interna. Mudando nosso jeito de pensar, mudamos nosso jeito de agir e agindo mudamos o mundo. Ainda dá tempo."
Sempre é bom lembrar que o futuro é construído hoje e que as crianças de hoje é que serão nosso futuro. Portanto ouvir mais as crianças, deixá-las serem crianças e não adultos miniaturizados é uma oportunidade de manter acessa a fé e a esperança em um futuro melhor.
A atual geração já nasceu conectada às Mídias e TIC e traz embutida em si, conceitos que os equipamentos eletrônicos contém: intuitividade, interação, convergência, portabilidade, mobilidade etc. Cabe aos adultos não humanizar demais as máquinas, tampouco robotizar ás crianças. Uma ideia que venho discutindo por longo tempo com outros educadores, sejam eles pais ou professores, através de minhas andanças pelo Planeta Educação.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Respirar: impressionante e exuberante tempestade filmada em time-lapse e em formato 8K

Breathe // An 8K storm time-lapse film from Mike Olbinski on Vimeo.


O vídeo acima Breathe (Respirar), de Mike Olbinski, descobri via rede social no portal de vídeos VIMEO e trata-se de impressionante e exuberante gravação de uma tempestade em time-lapse(técnica do lapso de tempo) e em formato 8K, com belíssima e altíssima resolução.
A técnica do lapso de tempo (que existe diversos app disponíveis para download e instalação no smartphone), permite que se veja detalhes da movimentação, gravados durante um longo tempo, mas com saltos na imagem. Professores e alunos, em suas saídas de campo, podem fazer suas experimentações, gravando seu cotidiano e compartilhando, tanto no ambiente escolar, como nas redes sociais, blogs etc.
Ótimo material também para tratar de meio ambiente, educação ambiental, arte (da natureza), edição de vídeo etc.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Pequeno Manual da Cultura Surda: para entender "o que é ser surdo e o que o surdo não quer ser"




O vídeo acima Pequeno Manual da Cultura Surda, descobri via Facebook da colega e amiga Cristiane Lima Terra Fernandes, educadora de Rio Grande (RS), Brasil e como a própria Cris destaca: é um material "Fantástico para compreender um pouco mais sobre o que é ser surdo e sobre o que o surdo não quer ser!"
Catherine Moreira e Cauê Gouveia mostram o Pequeno Manual da Cultura Surda, desmistificando coisas e esclarecendo outras àqueles que desconhecem a cultura surda. Ótimo para discutir inclusão e interação, linguagem e comunicação. Inclusão requer interação, toda linguagem é uma forma de comunicação. Tudo requer EMPATIA, e diria mais: alteridade, do se colocar no lugar do outro.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Cálculo de porcentagem básica de modo simples e rápido, sem a necessidade do uso de calculadora (Matemática com o Procópio)




O vídeo acima Porcentagem rápida, encontrei no Facebook do colega e amigo Rafael Procópio, educador do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e editor do portal Matemática com o Procópio.
O vídeo em questão é uma parceria do Rafael Procópio com o apoio do portal Catraca Livre Educação e já teve mais de 3 milhões de visualizações.
Procópio é um educador carismático, criativo e divertido, que une justamente estas suas características pessoais em seus vídeos e animações. Os vídeos de curta duração passam a mensagem matemática em uma linguagem acessível, simples e de fácil compreensão e memorização. Rafael tem se notabilizado justamente por isso: pela ousadia, irreverência, eloquência e criatividade. É um dos YouTubers educacionais mais destacados pelo YouTube e Google e uma fonte de inspiração àqueles educadores que desejem ter seu canal, não apenas de vídeo, mas de comunicação com seu alunado e público em geral.
O trabalho de Rafael Procópio pode ser acompanhado também noutro portal, link abaixo:

MATEMÁTICA RIO

domingo, 7 de janeiro de 2018

Experimento social: redesenhando os estereótipos das profissões




O vídeo acima Redesenhando os estereótipos, foi indicação via Facebook do colega e amigo Fernando Luís, poeta e músico de Rio Grande (RS), Brasil e editor do blog Zé Urbano.
O vídeo retrata a atividade proposta por uma professora a seus alunos, de desenhar pessoas de diferentes profissões, iniciando por um bombeiro, um cirurgião e u piloto de avião. Os desenhos foram os mais diversos, mas em sua maioria eram retratos de homens desempenhando aquelas profissões. Ao adentrarem um piloto de avião, um cirurgião e um bombeiro com seus equipamentos e tirando capacetes e máscara, a grande surpresa para as crianças: eram mulheres que desempenhavam aquelas profissões.
Em um tempo que parece retroceder para valores antiquados, uma atividades dessas num contexto polemizados como o escolar do Brasil, atualmente, já por si só poderá gerar falsas polêmicas. Mas pensar a realidade, como ela é, já que mulheres atuam em praticamente todas as atividades laborais e querer negar essa realidade é pura escapismo social.
O mundo não pode ser visto á imagem e semelhança de apenas um grupo social, conservador e/ou intransigente. Se a família se omitir e a escola for impedida de tratar de situações do cotidiano por conta de dogmas religiosos ou políticos, será a própria vida em sociedade que mostrará às crianças esta realidade, muitas vezes de forma distorcida e/ou traumática.
Colocar-se no lugar do outro, conhecer e respeitar a liberdade individual do outro é essencial para dirimir conflitos desnecessários e para a boa convivência em sociedade. Promover experimentos sociais que promovam o exercício da alteridade, da igualdade e da equidade e nada prejudicará o aluno. Pelo contrário, promoverá a tolerância, o respeito, a solidariedade na sociedade. Os filhos deveriam escolher as próprias profissões a partir de seu talento, vocação ou interesse, e não apenas para seguir a tradição familiar ou o desejo dos pais. Bons profissionais são aqueles que fazem o que gostam ou que tem vocação.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Criativo, simples e divertido: dobradura de desenhos para crianças e uma sugestão de projeto educativo




O vídeo acima Dobradura de desenhos divertida para crianças, descobri via Facebook da colega Andréa Rodrigues, educadora de Novo Hamburgo (RS), Brasil.
Uma ideia simples criativa e divertida de utilizar recursos acessíveis, como papel, lápis, lápis de cor e canetinha para causar um efeito visual de movimentação. Fiquei imaginando uma série destes desenhos, manipulados pelos alunos, em formato de linha do tempo ou de "Histórias em Quadrinhos" coletiva. Imaginei uma "Hora do Conto" visual, em que cada aluno cria seu personagem e pode com ele interagir com os demais, sendo a professora a responsável por conduzir a narrativa e estimular a participação de todos numa história coletiva que pode ser primeiro escrita no papel e depois desenhada. Fica a dica aqui e o educador que a quiser colocar em prática, favor dar crédito a minha sugestão e se documentar o projeto, terei o maior prazer de divulgar neste blog educacional.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Uma História Moderna de Terror: entre o riso e a reflexão sobre as conexões digitais ou não




O vídeo acima Uma História Moderna de Terror, descobri vi Facebook da colega Andréa Rodrigues, educadora de Novo Hamburgo (RS), Brasil e trata-se de divertido material para promover uma reflexão sobre os hábitos do cotidiano, em que para uns, alguém não ter um perfil na rede social é quase como não existir no mundo real, dando calafrios nos mais exagerados.
A questão de quem não tem nada no mundo real ser considerado fake às avessas é sensacional. Lembra-me pesquisa feita com alunos do ensino médio nos EUA e depois replicada no Brasil, em que perguntando sobre o que não achavam no Google, o que seria, disseram: - Se não está no Google, não existe! è a lógica de quem apenas vê o lado digital da questão...
Um material para discutir sobre a exposição extremada no mundo digital, da mesma forma que também conversar sobre o movimento inverso: o extremismo de não querer ter nada conectado, nenhum tipo de conexão com o mundo real que também é digital.
Nem 8 nem 80, nem exposição demais nem de menos. Hoje, pensando na educação, é essencial ter um perfil, uma conta de e-mail para poder utilizar alguns recursos como blog, canal de vídeos, jogar, fazer downloads etc. O bom professor não pode ser refratário ás TIC e Mídias Sociais. Pois conectar-se ao aluno é também conhecer o mundo que ele habita, além da sala de aula. Para poder estabelecer estratégias metodológicas e didáticas faz-se necessário estar conectado, não apenas online. Há diversas bibliotecas disponibilizando seus acervos no formato digital (PDF) para download gratuito; muitos professores compartilhando suas experiências em blogs, canais de vídeos, perfis de redes sociais.
Portanto, nem 8 nem 80 ao lidar com as conexões, sejam elas digitais ou não. Mas há que se ter, como tudo na vida equilíbrio, bom senso, meio-termo.
O vídeo em questão provoca risos e reflexões.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Belíssimas tatuagens botânicas feitas por artista usando plantas e flores




O vídeo acima Tatuagens botânicas descobri via paper.li da colega e amiga Gládis Leal dos Santos, educadora de Joinville (SC), Brasil e editora do blog Educação, tecnologias e algo mais.
Trata-se de um criativo e original vídeo sobre a arte da jovem tatuadora Rita Zolotuhina (Rit Kit), de Kiev, na Ucrânia, que utiliza uma técnica criada por ela mesma para criar tatuagens botânicas, batizadas como "live leaf tattoo" (Tatuagem folha viva, tradução livre deste blog).
Segundo o portal As coisas mais criativas do mundo: "Rita plantas vivas e carbono, fazendo uma espécie de decalque na pele de seus clientes. O resultado é um desenho com todas as imperfeições e ranhuras do vegetal utilizado. Depois desse processo, ela pinta a tatuagem, geralmente da forma mais fiel possível às cores originais das plantas de verdade [...] Apaixonada por plantas e por desenho desde a infância, a designer chegou a se formar em arquitetura, mas foi na tatuagem que descobriu um caminho para extravasar a sua arte.
O resultado é de uma beleza ímpar, mesclando o traço das flores e plantas com o desenho e as tintas da jovem artista.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A Terra: uma criatura viva (animação/simulação da NASA em time-lapse)




O vídeo acima The Earth - A Living Creature (The Amazing NASA Video) (A Terra: uma criatura viva), descobri na rede social, no portal Sempre Questione, e trata-se de uma interessante animação (simulação) da NASA, a agência espacial dos EUA, feita com a técnica de lapso de tempo, durante 7 dias em 2005, analisando um Tufão categoria 4, que se encontrava na costa da China.
A simulação Scientific Vizualization Studio da NASA, atrav[es de dados coletados pelo Goddard Earth Observing System Model, usando um supercomputador, dando a impressão da Terra ser uma criatura viva como de fato podemos dizer que seja mesmo, por tudo que ela abriga em seu interior.
Para terem mais dados sobre o vídeo, basta clicar no link abaixo:

Vídeo da NASA mostra a Terra como uma criatura viva

domingo, 31 de dezembro de 2017

O fantástico livro voador e breve reflexão sobre a importância da leitura




O vídeo acima, cena da premiada animação O Fantástico Livro Voador, foi indicação via Facebook pela colega e amiga Josane Batalha Sobreira, educadora de Campinas (SP), Brasil e faz uma bela e poética reflexão sobre a importância da leitura: "Um livro que não se lê, é um livro que morre".
Estimular a leitura, tanto de livros impressos como digitais, tornar uma biblioteca escolar em um local vivo e não mero depósito de livros, são ações educativas cada vez mais necessárias para estimular a criatividade, a criticidade, a interpretação de textos e a produção textual. Quem lê viaja sem sair do local é muito mais do que um "lugar-comum". Valer-se de cenas de filmes, animações, curtas-metragens, clipes são formas de promover mais do que uma dinâmica de grupo. Uma forma de sensibilizar o público para um tema a ser proposto e um projeto a ser trabalhado em equipe.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Dark Stories: aplicativo que mescla narrativa, solução de enigmas e diversão coletiva




A imagem acima Dark Stories é um aplicativo que meu filho (Allan, de 12 anos) indicou e que joga em seu smartphone. Trata-se de um app que mescla narrativa, resolução de enigmas e diversão coletiva.
Conforme apresentação no Google Play: "Dark Stories é um jogo fácil de jogar e divertido, mas algumas das histórias são bastante difíceis de resolver. Todas as histórias são fictícias. Para resolvê-las, os jogadores precisarão provar suas habilidades como detetives". E é recomendado que seja jogado em grupo.
COMO JOGAR
Dark Stories deve ser jogado em grupo. Uma pessoa, designada como narradora, escolhe um enigma e lê sua descrição em voz alta. Depois, o narrador lê sua solução sem dizer às outras pessoas. Os outros jogadores deverão fazer perguntas para resolver o enigma. O narrador só pode responder às perguntas usando "Sim", "Não" ou "Não é relevante". A única solução possível é aquela fornecida na parte de trás de cada carta enigma. Se a resposta ainda não for suficientemente clara, os jogadores devem seguir a interpretação do narrador do enigma.
Um bom recursos para trabalhar com interpretação e produção textual com alunos.
Para baixar e testar o aplicativo, basta clicar no link abaixo:

DARK STORIES - APP

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Vida de Professor: divertido e reflexivo "Stand Up", de Diogo Almeida para além da educação




O vídeo acima Vida de Professor, foi indicação da colega Cláudia Borges, educadora de Rio Grande (RS), Brasil e trata-se de "stand up" do humorista Diogo Almeida e retrata o cotidiano escolar.
O curioso que certa fala de Diogo vem ao encontro do que falo há anos: "de que entendo os filhos (alunos) quando conheço os pais". É uma expressão que podemos chamar de "lugar-comum", já que todos que lidam com público e com a educação em especial, já tiveram essa sensação, de que os filhos são os espelhos de seus pais e/ou responsáveis, tanto positivamente como negativamente.
Uma pequena peça de humor que diz muita coisa do que acontece no ambiente escolar e que serve não apenas para reflexão, mas para pensar neste grande reality show que é a educação, que poucos conhecem a fundo - com toda a sua complexidade - e muitos palpitam.
A vida de professor não é apenas feita de metodologia e didática, mas muitas vezes fruto da resolução de problemas, que nem sempre são criados pela escola. Muitas vezes vêm da comunidade. A escola é o reflexo da sociedade. E se a sociedade desconhece a realidade escolar, se cobrar além da instrução, uma educação que também compete à própria família, há que se discutir seriamente o papel social de cada um: do aluno, do professor do gestor escolar, do gestor público, da família e da sociedade.
Um vídeo como este serve não apenas para o professor de suas histórias, mas de propor mudanças sérias nessa realidade.
Que 2018 seja um ano melhor para a Educação, sem tanto patrulhamento intromissão de figuras alheias à educação, tentando cercear o próprio desempenho da profissão.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Astronauta de sucata: curta-metragem com temática ambiental é o vencedor do Festival de Cinema Escolar de Alvorada (RS)




O vídeo acima Astronauta de Sucata foi indicação inderata do amigo Josias Pereira, professor da Faculdade de Cinema da UFPel, de Pelotas (RS) Brasil e trata-se do curta-metragem vencedor do Festival de Cinema Escola de Alvorada (RS), obtendo os seguintes prêmios: Vencedor dos prêmios de Melhor Filme, Melhor Atriz e Prêmio Sirmar Antunes de Protagonismo Negro, no 3º FECEA em Alvorada/RS.
Filme produzido pelo grupo Construindo Caminhos durante oficina de Audiovisual, ministrada por Alex Racor, no Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos, em Alvorada/RS. Com colaboração de todos os grupos da instituição G1, G2 e G3. Tendo como educadores responsáveis: Miguel Barreto, Osmar Moraes da Silva, Alessandra Silva e Irmã Fátima Lessa. Trabalho finalizado em Nov/2017.
Um criativo divertido e originalíssimo curta-metragem que como o próprio título indica, trabalha com os conceitos de reciclagem e de cuidado com o meio ambiente, utilizando os mais variados materiais para compor cenário, figurino e contexto.
Além do cinema é utilizada a música para passar uma mensagem universal, além da apropriada citação de São Francisco de Assis.
Um belíssimo curta-metragem que mescla gravações animações, apresentações diversas, com um resultado incrível e motivador.
Parabéns aos alunos e professores envolvidos na produção deste curta-metragem estudantil.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Três plataformas de conteúdo audiovisual com potencial educativo: Afroflix, VideoCamp e LibreFlix


Descobri na rede social o Centro de Referências em Educação Integral, que selecionou três plataformas online e gratuitas que oferecem conteúdo cinematográfico com temas que dialogam com o conceito de educação integral. São filmes, documentários, séries e animações que discutem direitos humanos, educação, infância, gênero, questão racial, entre outros pontos. São eles o AfroFlix, o VideoCampo e o LibreFlix, que seguem abaixo descrições e links para visitação:
AFROFLIX



O AFROFLIX é uma plataforma colaborativa que disponibiliza conteúdos audiovisuais a partir de um critério: pelo menos uma pessoa negra assina uma área de atuação técnica/artística da produção. Criado em 2016 de forma independente, o site oferece mais de 100 títulos brasileiros, classificados em oito categorias como documentário, experimental e ficção.
O objetivo da iniciativa é chamar a atenção para as produções e fazer com que circulem pela rede. Por isso, qualquer usuário pode assistir os conteúdos e indicar novos títulos para o site, desde que sigam o critério mencionado.
O destaque da plataforma é o filme “Batalhas”, produzido pelo próprio AFROFLIX, sobre o espetáculo “Na Batalha”, que narra a história do funk por meio do passinho – dança contemporânea das favelas cariocas.

VIDEOCAMP



O VIDEOCAMP é o resultado da parceria entre Instituo Alana e produtora Maria Farinha Filmes, a plataforma funciona como uma espécie de curadora de conteúdo. O Videocamp faz a ponte entre os produtores e o público, reunindo produções audiovisuais nacionais e internacionais com viés social e provocativo, como os filmes “O começo da vida” (2016) e “Criança, a alma do negócio” (2008).
A ferramenta é gratuita e para navegar é preciso criar uma conta de acesso à plataforma. Também é possível solicitar exibições gratuitas e públicas dos filmes, mas para isso é necessário reunir o número mínimo de cinco espectadores. Além disso, o Videocamp permite ao usuário comentar e classificar as produções.

LIBREFLIX



O Libreflix é uma plataforma que reúne conteúdo audiovisual independente e de livre exibição, como os documentários “Freenet”, “Educação Proibida” e “Quem matou Eloá?”. A premissa do site é a do compartilhamento de cultura, ou seja, que conteúdos relevantes atinjam cada vez mais pessoas.
Por isso, a plataforma é aberta e colaborativa, incentivando o acesso e que os usuários adicionem filmes, séries ou documentários, com a condição de que a produção não tenha restrição de direitos autorais.

domingo, 24 de dezembro de 2017

Bloco de notas: notando e anotando as pessoas ao redor




O vídeo acima Post-it, descobri por acaso no YouTube e me encantei com o lirismo deste curta-metragem que fala de coisas tocantes. Uma moça solitária sentada em um banco de praça percebe a chegada de um rapaz e sua misteriosa caixa. Da conversa estimulada por ela, sabe-se um pouco do jovem e do conteúdo da tal caixa, com pertences do trabalho de sua mãe, dentre elas o post-it, que é o prosaico e eficiente bloco de notas com folhas adesivas que serve para autocolar lembretes em livros e outros locais.
Com a chegada de um terceiro personagem que se senta entre o casal o bloco de notas passa a ter papel fundamental, aproximando os três e fazendo que a moça e rapaz possam dialogar por meio de pequenos recados, em palavras-chave, que definem um ao outro. Daí em diante Claire e Elroy saem pelas ruas distribuindo as folhas amarelas adesivas colando nas pessoas, escrevendo antes uma pequena característica de cada um. Notando e anotando as pessoas, Claire fez Elroy mudar seu jeito de ver o mundo e encarar a vida, sendo por ele marcada ao final do vídeo com a palavra "Nosey" (intrometida). Muitas vezes pessoas se intrometem em nossa vida para mudar nossa forma de interagir com o entorno e conosco.
Uma brincadeira divertida e uma mensagem de solidariedade. De comunicação em pequenos textos quase telegráficos. Uma ideia que pode ser reproduzida em projetos em sala de aula, numa dinâmica de grupo, em alguma atividade que envolva o autoconhecimento, em um "chá de bebê", em um encontro de final de ano, tipo amigo secreto etc. Em que possamos com pequenas anotações ir qualificando alguém ou propondo um desafio de escrita coletiva, de poemas, contos, crônicas a partir da escolha de certas "palavras mágicas" que poderão ser coladas em quadros, paredes, cadernos etc.
Fica aqui registrada a ideia (e minha autoria) neste projeto literário que poderá ser feito em parceria com outros educadores e seus alunos.
Pra quem quiser conhecer um pouco da origem do post-it, recomendo clicar AQUI.
Observação: As legendas e sua tradução podem ser ativadas na barra inferior da janela do vídeo.

sábado, 23 de dezembro de 2017

Poesia em imagens: um videoclipe em forma de animação que une poesia e imaginação




O vídeo acima You Are The Reason (Você é a razão), do cantor Callum Scott, que descobri no YouTube e trata-se de um videoclipe com belíssimas animações. Um livro literalmente vivo, em que cada imagem ilustra os versos da canção.
Um vídeo que me deu algumas ideias para futuro projeto educacional, mesclando justamente música, imagem, poesia, desenho, interpretação e produção textual com alunos. Um videoclipe que proporciona unir poesia, música, HQ e imaginação.
Futuramente divulgarei o referido projeto literário aqui neste blogue educacional.
No clipe, o livro literalmente cria vida, algo que lembra cena antológica do filme As Crônicas de Nárnia: a viagem do peregrino da alvorada (vide abaixo), quando a tela na parede do quarto começa a transbordar além da imagem de uma barco no mar, inundando toda a peça e levando os jovens para o reino encantado. A literatura e o cinema são estas formas de teletransportar a imaginação para um outro mundo. E é possível incorporar o cinema e a literatura ao cotidiano escolar, dentro de uma proposta pedagógica criativa.



Enquanto isso, fica aqui a sugestão aos educadores de arte e literatura, de língua portuguesa e inglesa de pensarem projetos intertextuais, valendo-se das múltiplas formas de expressão artística em seu fazer pedagógico.