sábado, 28 de julho de 2012

Homo Zappiens: educando na era digital



Descobri o conceito de Homo Zappiens, ao assistir a defesa de William Edgar Lanzendorf, de Tubarão - SC (27/07/2012), na pós-graduação em Mídias na Educação / FURG, cujo tema foi "A mídia internet e o ensino da língua inglesa", com a orientação de coleg'amiga Angélica Miranda, professora do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), de Rio Grande - RS - Brasil.
Segundo a professora Izabel Patrícia Meister (Centro de Universitário Belas Artes, de São Paulo - SP), em sua resenha do livro Homo Zappiens: educando na era digital, de W. Veen e B. Vrakking: "O professor Wim Veen, da Universidade de tecnologia de Delft (área de Educação e Tecnologia), Holanda, Países Baixos, e Bem Vrakking, aluno e pesquisador de pós-graduação em engenharia de sistemas, análises de políticas e gerenciamento na mesma universidade, são autores deste livro que de forma explícita nos coloca frente à tecnologia própria da cultura do nosso tempo, especialmente na sua relação com a educação. Para o primeiro, a tecnologia como propulsora de modificações importantes no comportamento, aprendizagem e forma de produção de conhecimento das gerações que se formam dentro desta cultura. O segundo, ao estudar processos de mudança, estabelece a aprendizagem como meio básico para lidar com ela. As necessidades estabelecidas por cada um dos autores bastam para tornar esta uma leitura interessante, na medida em que educação, tecnologia e processos de mudança são vistos como partes de um mesmo ecossistema, o que dá agilidade e dinamismo a estas questões e propõe reestruturações importantes para a educação. Principalmente se levarmos em conta a chamada geração Y, nascida depois dos anos 80, e que faz da tecnologia não uma extensão do corpo, mas o seu próprio corpo, não somente de forma metafórica, mas de forma real, física, pela aderência de equipamentos tecnológicos que lhe dão mobilidade e desprendimento. A convergência das mídias e conteúdos, com lógicas e linguagens próprias, gera formas de comunicação particulares com as capacidades perceptivas, tecnologias de informação e comunicação não limitadas aos seus suportes."
De fato, uma geração conectada em todos os sentidos às TIC, mídias e redes sociais, tanto que parece até que breve, ao invés de cordão umbilical, nascerão conectados a um cabo com entrada USB na ponta. Brincadeiras à parte, é uma necessidade ao educador do século XXI conhecer o universo digital e social de seu alunado, para com esses dados propor estratégias efetivas e satisfatórias de interação. Um diálogo que deve ser feito dentro e fora do espaço e tempo escolares.

Abaixo, link para a íntegra da resenha de Izabel Meister:

RESENHA DO LIVRO "HOMO ZAPPIENS: EDUCANDO NA ERA DIGITAL"

Conforme apresentação do referido livro, pelo Google Books: "Homo Zappiens - Educando na Era Digital' examina como as crianças que crescem em um mundo de tecnologia e de mudanças constantes demonstram maior relutância em encaixar-se no sistema educacional do que qualquer outra geração antecedente. Este livro ilustra os desafios que o estilo de vida digital das mentes dos jovens cria para os professores, as escolas e a educação em geral. Trata-se de um guia para as pessoas entenderem o que faz com que as crianças se concentrem e se desenvolvam na era digital."

Aqui, link para a íntegra do livro (para leitura, impressão ou download):

HOMO ZAPPIENS: EDUCANDO NA ERA DIGITAL, de Wim Veen e Bem Vrakking

O curso Mídias na Educação (formado por 3 módulos: básico, intermediário e avançado) é oferecido pelo Ministério da Educação, via inscrição prévia na Plataforma Freire, e ao seu final, torna-se uma especialização. Seu conteúdo pode ser consultado e baixado livremente pelos interessados, no portal do MEC, link abaixo:

CONTEÚDO CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO - MEC

7 comentários:

  1. Olá José, mais uma vez venho lhe parabenizar pela beleza de seu trabalho. Gostei bastante do assunto. Uma grande abraço e sucesso sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, vanessa, meu mérito é garimpar, achar e disponibilizar, socializar esses saberes, dando créditos a quem me fez descobrir essas inúmeras possibilidades. Não fosse minha participação , assistindo a defesa do William, e levaria mais tempo pra conhecer o livro, vídeo, e ainda baixá-lo, como fiz. Grato pelo carinho, amiga. Um abraço,

      Excluir
    2. Concordo contigo. E esse movimento nosso de ir buscar e ouvir o que os outros têm a dizer é de fato importantíssimo para mover essa imensidão de conhecimentos que nos rodeiam. Digo isto pois estive na semana passada no ENDIPE e fiquei encantada com tantas possibilidades de pesquisa que as tecnologias e as tantas outras áreas da educação nos abrem. Abraço.

      Excluir
    3. Sim as possibilidades são múltiplas, até por que trabalhamos com uma visão e sempre tem que dá as TIC, mídias e redes sociais outras possibilidades, antes inimagináveis. Um abraço, amiga.

      Excluir
  2. Olá Roig! Parabéns pelo seu Blog.
    Foi um grande prazer conhecê-lo pessoalmente, muito embora tenha sido num curto espaço de tempo foi suficiente para entender que fazes um grande trabalho.
    Grande abraço
    Wiliam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, William, pois é foi curto tempo, entre uma defesa e outra, mas foi ótimo ter conhecido teu trabalho... remeta-me por favor, depois da finalização, para meu email joseroig7@hotmail.com
      E temos a rede social e os blogs para interação. Um abraço,

      Excluir
  3. Bom dia amigo. Gostaria de saber se ainda tem o livro HOMO ZAPPIENS: EDUCANDO NA ERA DIGITAL, de Wim Veen e Bem Vrakking na integra e se poderia me enviar. cardillo.luiz@gmail.com

    Obrigado.

    ResponderExcluir