segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Radio Garden: espécie de Google Maps das rádios online mundo afora para ouvir em tempo real



A imagem acima é da Radio Garden, espécie de Google Maps das Rádios mundo afora, que descobri no Twitter, em que cada pontinho verde é uma estação de rádio online que pode ser ouvida em tempo real. Sensacional. Basta clicar nos pontinhos e ir ouvindo as vozes do mundo.
Para acessar ao portal, basta clicar no link logo a seguir, que está marcado a uma rádio e que permite viajar pelas demais, como se faz no Google Maps:

RADIO GARDEN

Um ótimo site para que professores e alunos, pais e professores possam explorar.
Um amigo radialista, ao receber o link para a Radio Garden se interessou em incluir sua rádio no portal também. :-)
Certa vez, orientei projeto de Rádio Escola, em que na impossibilidade da professora e sua escola adquirirem equipamentos para instalação, se associaram à rádio comunitária da cidade, o que ampliou o espectro da audição, que originalmente ficaria vinculado apenas ao interior da escola. Com isso, devida a rádio comunitária ter página na internet, foi possível ampliar para toda cidade e o mundo.
Tal projeto pode ser acompanhado no link abaixo:

Projeto Rádio Escola: do local ao universal (Mídias na Educação)

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Alain Donnat: O último dia de aula de um professor



O vídeo acima que intitulei de O último dia de aula de um professor, foi indicação via Facebook do amigo Fernando Luis, músico em Rio Grande (RS) Brasil, e como o nome indica, trata-se de homenagem que escola e alunos prestaram ao professor Alain Donnat, de 70 anos, quando de sua aposentadoria, no dia que se despediu da escola após ter ensinado por quase 40 anos, na França.
Um corredor de crianças se formou por toda a sua passagem, o que deve ter feito passar também um filme na mente daquele educador.
Momentos históricos que devem ser documentados pela comunidade escolar, seja em chegadas ou partidas, em saídas de campo em projetos educacionais.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

O Desafio da Escola e a animação O Desafio da Igualdade de Gênero




O vídeo acima O Desafio da Escola, descobri na rede social e é um mini documentário promovido pela ONG Plan International, que "mostra as reflexões de um grupo de educadores sobre o desafio de promover a igualdade de gênero nas escolas e a tentativa de executar isso na prática em duas escolas de Teresina, Piauí, Brasil" e visa construir identidades e desconstruir mitos do universo masculino e feminino, promovendo a igualdade de gênero.
Derivado desta iniciativa, surgiu a animação (logo abaixo) O Desafio da Igualdade, que propõe "a discussão sobre o tema, a organização divulgou um vídeo em que faz uso de animações e desenhos para explicar a importância de uma educação que promova a igualdade de gênero na infância".



Conforme o portal Brasil Post: "De maneira didática, o vídeo da campanha conta a história dos gêmeos Ana e João e traz reflexões importantes: é preciso questionar hábitos tidos como naturalizados, mas que só reforçam desigualdades".
Um material para "ampliar o diálogo e ajudar os educadores a criarem ambientes livres de preconceito".
No site Desafio da Igualdade é disponibilizado materiais com dicas, explicações e dados sobre a desigualdade de gênero no país.
No link abaixo, existem outros vídeos sobre o tema da igualdade de gêneros:

PlanBrasilTV - Canalno You Tube

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Professora israelense faz comovente depoimento (como aluna e educadora) sobre a educação especial e a educação em geral



O vídeo acima Chen Miller, foi indicação via Facebook do colega e amigo Fernando Luis, músico de Rio Grande (RS), Brasil e trata-se de comovente e emocionado depoimento de professora israelense que conta sua experiência na educação especial e que viralizou nas redes sociais. Segundo dados, até o Ministro da Educação de Israel Naftali Bennett compartilhou o referido vídeo.
Chen inicia seu relato contando sua experiência com um aluno e a forma como tratou a situação em sala de aula, até conseguir cativá-lo sem desistir de insistir na valorização da autoestima do mesmo. Na primeira semana, o menino indócil e agressivo, na segunda semana se acalma, e na terceira semana ele passa a interagir pois a professora jamais desistiu de incentivá-lo refletindo como muitos desistem dos alunos, pelos mais variados motivos.
Naquele dia, na terceira semana, quando o menino sentou-se próximo à professora, ele comenta que foi o dia que ele a escolheu para ser sua professora e trabalhar com a pedagogia. E que ela o escolheu para ser seu aluno, no dia que resolveu ser professora e ensinar. Uma grande lição de desapego e de força de vontade, de amor à profissão, apesar de todas as dificuldades.
Como editor deste blog também sou educador que coordenou projeto de informática na educação especial há quase 10 anos atrás e além disso sou poeta, lembrei de versos meus que diziam que "é o amor que nos escolhe antes mesmo de nós a ele". Penso que na vida na educação e na sociedade, muitas vezes é a profissão que nos escolhe antes do que nós a ela. E quando fazemos o que gostamos, como a educação, por exemplo, ela nos escolhe antes de nós pensarmos estar fazendo as escolhas.
O mais comovente neste vídeo é quando a professora Chen diz que, quando menina, no primeiro dia numa sala de aula, foi este também o mais difícil dia de sua vida. Que foi uma criança problemática, pois na quinta série não sabia ler nem escrever, tinha dificuldades com a matemática e baixa autoestima.
Chen Miller diz que "O que eu sei sobre a pedagogia não se aprende na universidade", que aprendeu com a vida, em cada lágrima que escorreu pelo seu rosto; em cada respiração profunda que respirou. Ou seja, aprendeu a viver, vivendo, observando, refletindo... br /> E o mais surpreendente é a revelação final, de quem Chen Miller foi também aluna com dificuldades de aprendizagem e hoje é professora na educação especial, em Israel. Que decidiu ser professora para propor mudanças a partir de sua visão, tanto como aluna como professora, "para mostrar que também é possível agir diferente": professores, diretores, educadores, que cada um tem grande influência, através de suas palavras, com o aluno, seja positiva ou negativamente.
A grande lição de Che Miller? Que devemos ser professores sem esquecer que um dia fomos alunos e passamos por tudo o que nosso alunos hoje passam, e devemos saber utilizar nossa bagagem sentimental para enfrentar os desafios de nosso jornada...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Criar coragem: campanha comercial estimula a empatia a partir do imaginário cinematográfico




O vídeo acima #CreateCourage - Rogue One: A Star Wars Story, foi indicação via Twitter do colega e amigo Robson Garcia Freire, educador do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e trata-se campanha da Globe Telecom, que é empresa de telecomunicações das Filipinas, em campanha comercial, chamada #CriarCoragem, inspirado na Rogue One, da série de cinema, para estimular a empatia e que sorteará uma viagem para a Star Wars Celebration em Orlando, Flórida, válida apenas para moradores das Filipinas.
O comercial que mescla narrativa de curta-metragem, mas sem diálogos, apenas com uma música ao fundo que lembra um videoclipe, mostra a rotina de dupla de dois irmãos, indo para a escola. O maior, um menino, usa jaqueta com capuz de stormtrooper e a menina, menor, um capacete e por onde andam chamam a atenção de todos.
Um ótimo material de sensibilização e de dinâmica de grupo, além de servir para propor reflexão sobre a empatia no cotidiano escolar e fora dele, a partir do imaginário infantojuvenil, o cinema e a literatura. De pais e professores conversarem com seus filhos e alunos sobre o imaginário de cada geração. De como pais e professores receberam e perceberam a série Star Wars no passado e seus filhos e alunos atualmente. Além da possibilidade de algum educador desenvolver algum projeto de interpretação e criação literária a partir das imagens do vídeo propondo uma análise de contexto das personagens, de histórias paralelas e finais alternativos. Quem sabe até um remake do mesmo, feito por professores e alunos.
Basta que todos criem coragem e usem a criatividade.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Viagem à escola do século XXI: Uma jornada inspiradora pela educação no mundo




O vídeo acima Viagem à escola do século XXI, descobri via Twitter do colega e amiga Francisco Velasquez, educador do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e trata-se de material de divulgação do livro homônimo do psicólogo e pesquisador espanhol Alfredo Hernando Calvo, cujo título completo é "Viagem à escola do século XXI – Assim trabalham os colégios mais inovadores do mundo".
O livro apresenta escolas inovadoras com METODOLOGIAS que são chave para transformar a educação. E quem acompanha o Educa Tube Brasil sabe o quanto tem valorizado a metodologia, inclusive, dizendo que "Novas tecnologias requerem novas metodologias" e que inovação requer transformação, que a simplicidade é o que permite a continuidade das ações.
Conforme notícia no portal da Fundação Telefônica:

"Em pleno século XXI, um ensino baseado somente na transmissão de informação já não atende aos anseios das novas gerações, que pedem por novos espaços, novos métodos e novas maneiras mais colaborativas de extrair conhecimentos relevantes da informação que nos cerca. Assim, conseguem potencializar competências e desenvolver novas habilidades.
Ao longo das páginas da publicação, o leitor conhece 80 exemplos de ações transformadoras realizadas em escolas ao redor do mundo. A narrativa é desenvolvida no formato de um diário de bordo, possibilitando uma experiência de leitura dinâmica e fluida. Dividido em quatro blocos – viagem, ideia, método e ação – é possível vivenciar o dia-a-dia dos estabelecimentos, seus desafios, evidências e métodos de inovação. É como se o leitor/viajante estivesse pessoalmente em cada um dos locais retratados!
Além disso, a publicação também oferece sugestões de atividades simples e diretas para educadores e para todos aqueles que buscam a inovação no dia-a-dia"
.

Existem mundo afora novas formas de aprender e ensinar, e coletar essas experiências em vídeo e livro, fazer documentários, pequenos vídeos, curtas etc são essenciais ao educador do século XXI. Divulgar suas experiências aos colegas de escola e à comunidade, via blog, redes sociais etc.
A iniciativa do pesquisador Alfredo Hernando de reunir isso tudo em livro é louvável e necessária e vem ao encontro de sua vocação pela Inovação Educativa, conforme ele próprio afirma.
Bogotá, Bangladesh, Índia, Nova Iorque, São Paulo, Sidney e Barcelona são algumas das cidades que foram visitadas. "O que é uma escola? É uma sala com cadeiras? Ou simplesmente qualquer lugar onde se aprenda?", pergunta o narrador do vídeo.
Tempo, espaço, metodologia e tecnologia são conceitos que precisam ser reavaliados no processos de ensino-aprendizagem. Como o Educa Tube Brasil sempre destaca em suas postagens: Esta geração é audiovisual e traz em si o que os equipamentos eletroeletrônicos trazem embutidos: mobilidade portabilidade intuitividade, interatividade, convergência etc.
Hernando declara que "O grande objetivo dessas escolas é o de buscar a personalização da aprendizagem", pois cada aluno é único e tem seu tempo próprio para aprender, e completa que tem "Um sonho de uma escola diferente, que funciona, onde todos os seus alunos têm êxito e um projeto de vida é possível".
Para que isso ocorre há que se ter personalização, cenários de aprendizagem, trabalho em equipe, competências múltiplas, tecnologia, aprendizagem por projetos, gamificação e êxito educativo, na opinião de Alfredo Hernando.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

A educação e os desafios do nosso tempo: documentário educacional




O vídeo acima A educação e os desafios do nosso tempo, descobri no You Tube e trata-se de documentário "produzido pela Unowebtv, da Unochapecó, [e] tem o intuito de levantar questões relacionadas ao constante processo de transformação do mundo, da sociedade, da tecnologia e como isso afeta a educação hoje e a afetará no futuro. São apresentados pontos de vista diversos que contribuem para um debate acerca da educação que temos e da educação que precisamos".
Um ótimo material que trata de transformação, informação, avanço tecnológico, novas estruturas sociais na era da sociedade do conhecimento e muito mais.
Material que promove reflexões sobre o tempo e o espaço educacional. O que fazer e como fazer, o grande desafio da educação.
Como diz um professor: "A sala de aula parou um pouco do tempo"... Mas o tempo não para, cantou o poeta, digo eu. Há que, então, pensar na "educação e os desafios do nosso tempo", e este documentário, mais do que uma provocação, pode ser uma fonte para debate e reflexão.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Direito à Educação Infantil: documentário educacional e trabalho interinstitucional




O vídeo acima Direito à Educação Infantil, descobri via Twitter da colega e amiga Christiane Angelotti, editora de São Paulo (SP), Brasil e publisher do portal Para Educar.
Trata-se, do documentário que, conforme apresentação do mesmo no You Tube, "tem como intuito informar e mobilizar a sociedade sobre a importância do direito à Educação Infantil, em especial o direito à creche. O curta-metragem apresenta o trabalho desenvolvido na Educação Infantil, em São Paulo, pelo Grupo de Trabalho Interinstitucional sobre Educação Infantil (GTIEI).
Além disso, o documentário aborda os processos psicológicos e sociais que são desenvolvidos na etapa da Educação Infantil e também revela a importância da creche para a sociabilidade das crianças.
'Direito à Educação Infantil' é uma produção do advogado Rubens Naves juntamente com a página do Facebook 'Direito à Creche', com roteiro e direção geral de Marta Nehring e direção de Marcela Lordy"
.
Material para reflexão, pois ainda que se refira à realidade de uma escola, é algo que ocorre em todo o país pois envolve outras questões como cidadania, direitos, garantias, políticas públicas e muito mais.
"Os atores da área jurídica precisam ouvir os educadores, às famílias, às crianças", diz o promotor de Justiça; Fato, pois somos todos atores sociais e precisamos conhecer a realidade social, para justamente debater soluções, estabelecer planos, metas diretrizes comuns a todos.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Zach King e sua magia digital que lembra um conto real




O vídeo acima, que intitulei MAGIA DIGITAL, foi indicação via Facebook da colega e amiga Lilian Martha Fischer Schwarz, bibliotecária de Rio Grande (RS), Brasil e trata-se de série criativa de vídeos no Vine de Zach King, um jovem talentoso youtuber e editor de vídeos norte-americano que tornou-se popstar nas redes sociais e que parece unir truques de magia, ilusão de ótica e edição de vídeo para produzir resultados surpreendentes, divertidos e inovadores.
Um bom exemplo de como a edição de vídeo para simular a magia e como a criatividade não tem limites. E que professores podem se associar a seus jovens e criativos alunos no que tange ao uso das tecnologias no ambiente escolar.
O bo educador é aquele que faz parecer magia o ato de educar.
Lilian me indicou o referido vídeo, pois em uma das cenas, Zach King simula voar com um par de asas feitas de papelão. Algo semelhante ao que meu pai tentou fazer quando tinha 14 anos, em sua pequena cidade natal São José do Norte, no extremo sul do Rio Grande do Sul Brasil. Primeiramente, tentando saltar da torre da igreja matriz, e depois jogando-se do alto de um casario histórico.
Esta história familiar serviu de base para uma tarefa escolar de meu filho, que me pediu pra contar uma história e ele ilustrou. O resultado pode ser visto a seguir, no pequeno conto O menino que queria voar. Conto este que serviu de base para o projeto Lego Poema ou Poesia em blocos de montar: Oficina de criação literária e multiletramento.



A seguir, vídeo entrevista com o artista plástico Zeméco (O verdadeiro menino que queria voar), para o documentário Paisagem e memória, da produtora Grifa (1999):



quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Painel Silábico: Material Lúdico para Formação de Palavras (reciclando ideias e materiais)




O vídeo acima PAINEL SILÁBICO encontrei no Twitter e trata-se de "Material Lúdico para Formação de Palavras", construído pelo professor Evandro Veras a partir de materiais de fácil aquisição, como canos de PVC, joelhos e roletes para colocação de papel higiênico, que se transformam em material e painel didáticos, para uso na alfabetização de alunos, que poderão montar palavras de uma forma lúdica e divertida.
Algo que demonstra como a simplicidade permite a sustentabilidade e continuidade de ideais e materiais.
Abaixo, recomendo link para o canal de vídeos de Evandro Veras que possui outros materiais didáticos de fácil construção, onde é possível encontrar também o Pião Silábico Garrafas Pet, Pião Silábico Matemática, Pião Silábico Paliteiros e muito mais:

EVANDRO VERAS







segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O novo, a novidade e o inovador: drones com LEDs são usados para simular fogos de artifício




O vídeo acima Starbright Holidays Aerial Drone show at Disney Springs, descobri na rede social e trata-se de surpreendente e criativa ação que uniu duas gigantes da arte e da tecnologia, respectivamente, a Disney e a Intel. Todos devem se lembrar da abertura dos filmes e desenhos da Disney, com uma queima de fogos nos céus acima do castelo emblemático da empresa de entretenimento. Uma marca registrada da empresa. Agora o estúdio de cinema se associou a gigante de processadores para computadores Intel para oferecer o que chamam de "uma experiência inovadora aos frequentadores do Walt Disney World Resort, na Flórida".
Conforme o portal Canaltech: "Trata-se de um show de drones equipados com emissores de luz, capazes de criar animações e até mesmo simular a explosão de fogos de artifício. (...) a atração conta com um exército formado por 300 veículos aéreos não tripulados para pintar imagens coloridas no céu durante a temporada de férias no parque do Mickey. Os drones possuem LEDs que podem criar mais de 4 bilhões de combinações de cores. 'Estamos muito animados para trabalhar com a Walt Disney Imagineering para trazer uma abordagem inovadora para seus shows de luzes de renome mundial', disse o vice-presidente sênior da Intel, Josh Walden. A Walt Disney Imagineering é o braço de design e desenvolvimento da The Walt Disney Company, responsável pela criação e construção dos parques temáticos Disney em todo o mundo. 'Juntos nos trabalhamos para enfrentar uma nova fronteira de entretenimento, imaginando o céu como nossa tela e as luzes como nossa tinta', completou o executivo".
Ainda segundo matéria do Canaltech: "A versão mais recente dos drones Intel Shooting Star, modelo usado no projeto da Disney, é construída com materiais como plástico e poliestireno extrudido (XPS), o que os torna mais leve, pesando apenas 280 gramas. Outras curiosidades sobre os drones incluem o fato de possuírem autonomia para voar por até 20 minutos, além de serem à prova de respingos e capazes de voar sob a garoa. Se você não pretende visitar a Disney nessas férias, confira um vídeo demonstrativo do show de luzes programado, sincronizado e controlado por um notebook".
A matéria completa pode ser acessada pelo endereço abaixo:

https://canaltech.com.br/noticia/geek/disney-usa-drones-iluminados-para-simular-fogos-de-artificio-84267/

O Educa Tube Brasil pensando a questão da inovação entre o novo, a novidade e o de fato inovador, vale-se deste vídeo para justamente mostrar como algo pensando em um contexto e conceito, pode se transformar e ser de fato uma inovação, como é a questão do drone com as luzes LEDs substituindo os fogos de artifício. br /> Assim ocorre na educação, quando um educador pensa os recursos disponíveis, além de seu modo conceitual e o transforma além das possibilidades como, por exemplo, uma câmera digital ou a câmera do telefone celular como um scânner de mão, fotografando (e digitalizando) imagens e textos para envio online e/ou impressão. Educadores inovadores percebem o You Tube como um espaço não apenas de pesquisa (feito uma máquina do tempo), mas de divulgação de sua produção, usando vídeos, animações, slides etc. disponibilizando-as em um canal próprio. Inovar é transformar a novidade em algo duradouro. Ou pensar em outra função relevante para algo que antes não tinha sido imaginado.
Enfim, inovar é imaginar além do uso convencional e conceitual primeiro, conseguindo observar novas possibilidades além da novidade, como o vídeo acima demonstra.

sábado, 19 de novembro de 2016

Como o jogo, a música e a diversão levaram a grandes invenções e inovações, por Steven Johnson




O vídeo acima How play leads to great inventions (Como o jogo levou a grandes invenções, tradução livre), que acrescento a música e a diversão em sentido geral, é um incrível, divertido e criativo material produzido pelo escritor Steven Johnson para o TED.
Conforme apresentação do vídeo no You Tube: "A necessidade é a mãe da invenção, certo? Bem, nem sempre. Steven Johnson nos mostra como algumas das ideias e tecnologias mais transformadoras, como o computador, não surgiram por necessidade, mas sim pelo prazer estranho do jogo. Compartilhe esta fascinante e ilustrada exploração da história da invenção. Você encontrará o futuro onde quer que as pessoas estejam se divertindo mais".
Jogo, diversão, música arte e cultura em geral são elementos que fazem parte do cotidiano e da história da humanidade, e por isso mesmo devem ser cada vez mais incorporadas à educação.
O Educa Tube Brasil também recomenda outra interessante palestra de Steven Johnson ao TED, intitulada "De onde vêm as boas ideias" link logo a seguir, em que ele demonstra como as ideias não são apenas fruto de inspiração, tratando do que denomina de "rede líquidas", dos cafés de Londres, que levaram a amplas conexões entre seus usuários, muitos deles, figuras ilustres que trocaram ideias entre si e geraram inovações a partir da criatividade estimulada pelo ambiente (bastando ativar as legendas, escolhendo o idioma no menu, no canto inferior direito da janela de exibição do mesmo:

DE ONDE VÊM AS IDEIAS - STEVEN JOHNSON

Johnson pesquisou esses padrões recorrentes nos ambientes que geram inovações e criatividade, pensando nas possibilidades de replicá-los noutros ambientes gerando igualmente inovações e criatividade. E ai, o editor deste blog ficou imaginando a questão espacial que envolve as escolas de como ambientes em que a arquitetura escolar é inovadora repercute por demais na criatividade dos professores e alunos ( existem diversos exemplos no blog, como as escolas de educação infantil em Reggio Emília, na Itália; o jardim de infância no Japão; a escola Raio de Sol, no Brasil etc).
Johnson fala da importância das metáforas e de linguagem que conduzem a momentos de criatividade e inovação e comenta como a sincronia com o outro se estabelece. Que grandes ideias precisam de um período longo de incubação, e que são frutos também de intuição e instinto.
Didaticamente, Johnson demonstra que os espaços de interação existem desde a antiguidade, de Aristóteles Sócrates e Platão, até os cafés londrinos. E ao observarmos as imagens, de fato parece um espaço caótico, quando na verdade está ali o devido espaço para trocas de ideias que geram conhecimento mútuo. Assim deveria, digo eu, também funcionar a escola do século XXI e algumas grandes empresas de tecnologia têm se valido de espaços transformadores para proporcionarem suas inovações.
Johnson alega que uma ideia criativa e inovadora é o resultado de uma rede de outras ideias que geram esse conhecimento, como uma rede de neurônios...
Por fim, fantástica é a história por trás do Sputnik que gerou o GPS, a partir de uma conversa em um café entre cientistas. Johnson fala em "mentes conectadas" que proporcionaram isso, e o Educa Tube Brasil ressalta a seguidamente a importância de que professores percebam que a atual geração que é audiovisual, já traz em si os conceitos que nos equipamentos eletroeletrônicos veem embutidos: mobilidade, portabilidade, intuitividade, interação e convergência.
Os dois vídeos de Johnson contemplam muitas ideias que este blog educacional sem fins lucrativos, tem destacado a cada postagem: da importância da arte, da cultura, dos jogos, da tecnologia se incorporarem ao fazer pedagógico já que fazem parte do contexto social do alunado; e de que estes conceitos dos equipamento que já existem nos jovens, sejam melhor aproveitado no ambiente escolar.

E o exemplo que Steven Johnson utiliza para demonstrar sobre essa rede de conhecimento que se cria é sobre o projeto de incubadora neonatal na África que se vale de peças sobressalentes de automóveis para seu conserto e manutenção. Assistam, pois vem ao encontro do que o Educa Tube Brasil defende: a simplicidade permite a sustentabilidade e continuidade de ações e projetos; já que inovar não é criar algo totalmente novo, mas também transformar o que já existe, dando-lhe novo significado e função.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

A criança que existe em nós: Emotivo anúncio natalino de aeroporto internacional




O vídeo acima, Coming Home for Christmas (Voltando para casa para o Natal), descobri na rede social e é um comovedor anúncio produzido para o aeroporto de Heathrow, de Londres, Inglaterra.
Uma propaganda tocante sobre um casal de ursinhos carinhosos e idosos de pelúcia que volta pro lar e tem um final surpreendente que serve para falar de infância e velhice sobre memória, história e sociedade.
Todos sabemos que os ursinhos de pelúcia são talvez os primeiros amigos imaginários que as crianças têm, e do fato que todos nós quando idosos, nos tornaremos novamente crianças...
O lema final do anúncio diz: "Coming home, the best gift of all" (Chegando em casa, o melhor presente de todos). E é um fato. Por mais que adoremos viajar, conhecer outros lugares e pessoas, o retornar para a casa, para o lar, para a família, para o convívio dos amigos é único. Assim também fazem os alunos, que nas férias viajam, ou ficam em casa brincando, mas depois de um tempo já desejam, muitos deles, retornar ao segundo lar (a escola), para conviver com os amigos e colegas. Não é regra geral, mas muitos têm essa sensação. Principalmente aqueles que ainda mantém-se crianças apesar da idade cronológica que possam ter.
Um ótimo vídeo para trabalhar com o imaginário infantojuvenil e do adulto. Pequenos vídeos, independente do gênero, podem proporcionar uma sensibilização para atividades envolvendo grupos, proporcionando uma afinidade com o tema proposto.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Tolinho: curta-metragem de animação que é criativa revisitação do conto da Chapeuzinho




O vídeo acima, TOLINHO, é um incrível curta de animação que assisti durante o I CBPVE - Congresso Brasileiro de Produção de Vídeo Estudantil, realizado em Pelotas (RS), Brasil, durante o relato de experiências de professores com alunos na produção de vídeos estudantis, dirigido pela prof. Luciane Benites Hersing e arte de suas alunas.
Trata-se de criativa animação produzida para o "SÃO LÉO EM CINE" (trocadilho com a palavra "Ensine"), festival de vídeo estudantil organizado pela SMED de São Leopoldo (RS), Brasil.
Conforme a apresentação do referido vídeo, feita no You Tube: "O curta de animação 'Tolinho' apresenta o tão conhecido conto de fadas Chapeuzinho Vermelho com uma visão nova, contando com uma pitada de humor e um final bem diferente do esperado. Livre adaptação, inspirado no livro infantojuvenil de Marjolaine Leray 'Uma Chapeuzinho Vermelho.'
Uma adaptação de uma história, criando um curta sobre um conto, ressignificando a própria linguagem literária pela cinematográfica, unindo as ilustrações, a narração das alunas e a direção da professora. E o resultado final é surpreendente, pois vai ao encontro do que o Educa Tube Brasil se propõe: mostrar projetos em que a simplicidade e a criatividade permitem a sustentabilidade e continuidade dos projetos e atividades, unindo a arte a cultura e a tecnologia na educação.
Abaixo, segue link para o canal de vídeos do festival de vídeos:

SÃO LÉO EM CINE: FESTIVAL DE VÍDEO ESTUDANTIL

terça-feira, 15 de novembro de 2016

LêComigo: Projeto sem fins lucrativos que ajuda a coletar e espalhar livros pelo Brasil




O vídeo acima LêComigo, descobri via Twitter de Christiane Angellotti, editora de São Paulo (SP), Brasil e publisher do site educativo Para Educar.
Trata-se de projeto de coleta e distribuição de livros, que iniciou com o Matheus em conversa com sua família e o que poderia doar no Natal, procurando pela casa e achando livros, chamando os irmãos, amigos, colegas de escola para fazer o mesmo.
Mais adiante, de acordo com o Instituto Singularidades, o LêComigo tornou-se "uma organização sem fins lucrativos que visa incentivar por meio de ações socioculturais o empoderamento dos jovens junto a escolas e famílias brasileiras utilizando o livro como ponto de partida. O objetivo é criar encontros entre jovens de diferentes realidades sociais utilizando o livro como ponto de partida. A intenção é despertar uma nova consciência, iniciar uma nova história social e cultural através do respeito, da empatia e diversão".
Uma bela iniciativa de jovens leitores para novos jovens leitores, que entre as diversas atividades promovem também o "Rally do Bem", visitando diversas cidades e estados brasileiros e que pretende criar células do projeto em cada escola particular de São Paulo (SP) para coleta de livros em bom estado para doação a futura distribuição. br /> Abaixo, mais um vídeo com as andanças do Lê Comigo e endereço do site:



LÊCOMIGO - SITE OFICIAL

LÊCOMIGO - NO FACEBOOK

Em tempo: Posteriormente à publicação desta postagem, encontrei este belo depoimento dos criadores do LêComigo, chamado VIVÊNCIAS, que disponibilizo a seguir:



segunda-feira, 14 de novembro de 2016

A Negação do Brasil: documentário sobre os atores negros, a televisão e a sociedade brasileira




O vídeo acima A Negação do Brasil, descobri no You Tube é um documentário essencial para entender a sociedade brasileira e, como destaca a apresentação no You Tube, "é uma viagem na história da telenovela no Brasil e particularmente uma análise do papel nelas atribuído aos atores negros, que sempre representam personagens mais estereotipados e negativos. Baseado em suas memórias e em fortes evidências de pesquisas, o diretor aponta as influências das telenovelas nos processos de identidade étnica dos afro-brasileiros e faz um manifesto pela incorporação positiva do negro nas imagens televisivas do país.
O documentário é enriquecido ainda mais com depoimentos de atores como Milton Gonçalves, Ruth de Souza, Zezé Motta e Maria Ceiça, entre outros, que contam suas experiências e discutem o preconceito contra artistas negros.
Em uma das passagens mais interessantes, o ator Toni Tornado lembra um episódio ocorrido em Roque Santeiro. O público soube que dois finais diferentes foram gravados para o folhetim: em um deles, a viúva Porcina (Regina Duarte) terminava nos braços de Roque (José Wilker), e no outro, o escolhido para ir ao ar, ela ficava com Sinhozinho Malta (Lima Duarte). O que ninguém ficou sabendo é que uma terceira opção foi filmada, na qual a personagem se entregava ao amor de seu fiel empregado, interpretado por Tornado. Um final transgressor demais para ser veiculado"
.
Um ótimo documentário para refletir sobre aspectos da arte da cultura e da história brasileira.

domingo, 13 de novembro de 2016

“Menina Bonita do Laço de Fita”: curta-metragem de animação para abordar o não-preconceito




O vídeo acima “Menina Bonita do Laço de Fita” é um curta-metragem de animação adaptado de obra homônima de Ana Maria Machado, com produção da Oger Sepol Produções e a direção de Diego Lopes e Claudio Bitencourt, e foi indicação via Facebook da colega e amiga Carla Kalindrah, arte educadora do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e editora do blog Arte na Prática.
A Oger Sepol é uma produtora de conteúdo audiovisual sediada em Curitiba (PR).
Segundo a apresentação do vídeo no You Tube:
"O filme aborda o aspecto racial e o não-preconceito, através da convivência harmoniosa de indivíduos de raças e cores diferentes. Para isso, conta a história de um coelho que, apaixonado pela cor negra de sua vizinha, faz tudo para ficar igual ela. Depois de várias tentativas frustradas, acaba encontrando a felicidade ao se casar com uma coelha preta e ao ter filhos brancos, pretos e malhados".
De acordo com o portal Dhaena:
"É muito interessante inserirmos ensinamentos e valores que preconizem a igualdade entre todos os seres humano. A Lei 10.639/03 que obriga o ensino da História e Cultura Afro-Brasileira visando subsidiar o currículo de Educação Infantil, por esse motivo, os professores dos anos iniciais precisam ser transmissores desses ensinamentos e valores.
Sobre diversidade cultural, Santos (1987, p. 16) diz:

'É importante considerar a diversidade cultural interna à nossa sociedade; isso é de fato essencial para compreendermos melhor o país em que vivemos. Mesmo porque essa diversidade não é só feita de idéias; ela está também relacionada com as maneiras de atuar na vida social, é um elemento que faz parte das relações sociais no país. A diversidade também se constitui de maneiras diferentes de viver, cujas razões podem ser estudadas, contribuindo dessa forma para eliminar preconceitos e perseguições de que são vítimas grupos e categorias de pessoas'."

sábado, 12 de novembro de 2016

Sonho: animação em que animais cantam "Os Miseráveis" enquanto encaram a própria extinção




O vídeo acima Dream (Sonho), descobri na rede social através do portal B9 (Brainstorm9) e trata-se de "poderosa animação [brasileira] criada para o Wildlife Conservation Film Festival – que será realizado em Nova York de 17 a 23 de outubro – só prova que tudo segue seu caminho natural, até que o homem, sempre ele, resolve se meter onde não é chamado. Animais ameaçados, na savana, no mar e no ártico, cantam 'I Dreamed a Dream', do musical 'Os Miseráveis', [inspirado na obra homônima do escritor francês Victor Hugo] enquanto testemunham os faróis de veículos e navios se confundirem com os olhos humanos".
Um delicada, comovente e avassalador curta-metragem de animação que une arte e cultura, música e literatura, história e sociedade. E que se presta a diversas utilizações no ambiente escolar, em atividades integradas unindo professores de artes, história, geografia, ciências, filosofia, sociologia, etc.
Recomendo o uso de fragmentos do livro "Os Miseráveis", de Victor Hugo, para contextualizar a obra e a música utilizada na animação.
Como certa vez comentei nas redes sociais: Existem pessoas humanas, pessoas não-humanas (os animais) e desumanas (aquelas que nãos e apiedam do seu semelhante nem dos demais seres vivos do planeta).
O vídeo em questão é um precioso material para tratar de memória, história, meio ambiente, consciência social e educação ambiental.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Viajantes: timelapse em 8K capta incríveis belezas do céu, da terra e das águas de parque nacional




O vídeo acima Viajantes descobri via portal B9 e é uma incrível timelapse que capta em formato 8k (de altíssima resolução) as belezas do Parque Nacional Voyageurs, em Minnesota, nos EUA.
Vídeo produzido pelo grupo “More Than Just Parks” registra as belezas do céu, da terra e das águas. O referido parque localizado ao norte do estado de Minnesota tem quase todo o local alagado, o que fez a equipe registrar tudo de barco.
Um material para incentivar que pais e filhos, professores e alunos façam com seus smartphones ou câmeras digitais, pequenos vídeos, não importa se com alta ou baixa resolução de imagem, capturando a realidade local, o entorno de sua escola ou casa, valendo-se da técnica do timelapse. Existem aplicativos para capturar vídeos neste formato que permitem ver as transformações a longo período, como a movimentação das nuvens, das pessoas, dos carros e tudo mais. A criatividade é o limite para cada produção. E ao final do ano, quem sabe, a escola poderá fazer um pequeno festival de vídeos estudantis, criando categorias, por temas, faixa etária, área de estudos etc.
Além disso, vídeos como estes podem servir para dinâmicas de grupo e projetos envolvendo meio ambiente e a educação ambiental pois somos todos viajantes neste Planeta Água.
Em tempo: a linda canção que compõe o vídeo chama-se Technicollor Beat, do grupo Oh Wonder. Technicolor, de acordo com a Wikipedia: "(...) é uma marca norte-americana pertencente à Technicolor Motion Picture Corporation em que o processo consistia na coloração dos filmes. Foi utilizado até a década de 70. A Technicolor era a segunda maior empresa de coloração cinematrográfica após a britânica Kinemacolor e a mais utilizada pelos estúdios de Hollywood de 1922 a 1952".

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Os estudantes: os cúmplices imprescindíveis na inovação educativa, por Alfredo Corell




O vídeo acima Los complices imprescindibles en la innovacion educativa, descobri no portal Huffington Post e depois o audiovisual no You Tube e trata-se de apresentação do professor Alfredo Corell, docente universitário, imunológo e diretor da área de Formação do Professorado e de Inovação Docente da Universidade de Valladolid (UVa), da Espanha, que coordena o projeto de inovação docente "Imunomedia". Fala feita durante o TEDxValladolid, em setembro de 2016.
O TED são pequenas conferências, de 15 a 20 minutos, realizadas mundo afora. E ao vídeo em questão (em espanhol) podem ser ativadas as legendas de tradução.
Para Alfredo, o professor precisa ter "paixão vocacional" e comenta que o cúmplice da inovação educativa parece ter sido esquecido pelo professor, que é o estudante. Que o professor parece usar a capa de invisibilidade (talvez uma referência a série de filmes de Harry Potter). Que professor não é um monolito. E que a interação com o aluno é uma necessidade.
Corel crê que o mais ignorante é aquele que esconde o conhecimento para si mesmo e que não reconhece o valor da colaboração com o estudante.
Fato! Projetos em colaboração e coautoria entre professore aluno, e cooperação entre professores, unindo suas turmas podem inovar, pela transformação da própria metodologia e didática empregadas, somando esforços e permitindo a dinamização do tempo e espaço escolares.
Alfredo Corell demonstra como é possível inovar em ambientes tradicionais e conservadores, muitas vezes refratários e resistentes a transformações, valendo-se da criatividade, da emoção e da organização de projetos. Não há como motivar o aluno e os colegas sem a automotivação.
Como este blog tem destacado, INOVAR nem sempre é partir do zero, mas transformar ideias antigas em coisas novas, transformar coisas, objetos e propostas já existentes, adaptando-as a novas realidades, mas principalmente, respeitando a realidade local. Afinal, novas tecnologias requerem novas metodologias.
Abaixo, o canal de vídeo do professor Corell no You Tube:
ALFREDO CORELL - YOU TUBE br />

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Mandala digital: Desenho espelhado via aplicativo para ipad e exercício de criatividade




O vídeo acima na página Seb Lester descobri via Facebook da colega e amiga Carla Kalindrah, arte educadora do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e editora do blog Arte na prática.
Trata-se do criativo Amaziograph, de Marina Staykova, que é um aplicativo para ipad pro, usando a Apple pencil, que transforma o desenho em forma espelhada, lembrando incríveis mandalas para colorir.
No vídeo abaixo, Seb Lester compara-o ao "Sol, Lua & Estrelas. Uma mistura de medieval, celta e até mesmo art Deco [as] influências desta peça".



Ainda que não existe um app para android, é possível desenhar mandalas de forma artesanal, exercitando a criatividade humana, não tão perfeita, mas não menos belas e expressivas. Um vídeo apenas para incentivar o desenho livre a olho nu, não tão dependente de recursos sofisticados...

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Do seu pai: blog em que pai escreve cartas emocionantes para os filhos




A imagem acima é do blog DO SEU PAI, que descobri via Twitter da colega e amiga Christiane Angelotti, editora de livros de São Paulo (SP), Brasil e publisher do portal Para Educar.
DO SEU PAI é um blog que foi criado em janeiro de 2013 pelo Pedro Fonseca, que além de pai é fotógrafo e publicitário e que decidiu escrever cartas comoventes para os seus filhos, reunindo-as numa espécie de Diário Virtual, que é justamente o blog.
Conforme o portal Catraquinha:

"As cartas, postadas quase que diariamente no blog Do seu pai, transmitem sentimentos, cuidado, aprendizados e reflexões, sempre 'de pai para filho', e também são um sucesso de repercussão na blogosfera.
'Esse aqui é um blog de pai para filhos. Com todo o amor que tenho dentro e fora de mim', explicou ele em seu post inaugural.
A ideia para o projeto surgiu, inicialmente, do desejo de Pedro de escrever um livro de histórias infantis. A diferença é que o blog traz histórias e retratos reais dos filhos de Pedro, Teresa, João e Irene, e também de sua esposa"
.

Uma bela iniciativa que outros pais e até professores poderiam se espelhar, registrando suas experiências com filhos e alunos, numa espécie de Diário de Aula Virtual.
Abaixo, link para o blog de Pedro Fonseca:

DO SEU PAI - BLOG

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Insatisfeito: curta-metragem de animação sobre pequenas frustrações no cotidiano


UNSATISFYING from PARALLEL STUDIO on Vimeo.


O vídeo acima “Unsatisfying” (Insatisfeito tradução livre) foi criado pelo Parallel Studio, um estúdio de animação com sede em Paris. Vídeo que segundo o portal B9: seus autores dizem que o vídeo foi inspirado em várias situações insatisfatórias: pequenas frustrações do cotidiano. Vídeo que deu origem a uma competição no site unsatisfying.tv. Por lá, os mentores do Parallel Studio aceitam sugestões de vídeos com outras situações frustrantes. Basta enviar um clipe com um card de título e pelo menos 1080 x 1080 pixels de resolução.
O próprio ato de educar, quando feito de forma mecânica, focada na memorização pura e simples, pode ser algo monótono, frustrante, irritante...
Utilizar recursos audiovisuais, material impresso, saída de campo, desde que vinculados ao conteúdo didático pode quebrar com esse sentimento no cotidiano escolar.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Contações de "Histórias de porta em porta": projeto de intervenção urbana e rural



O vídeo acima Histórias de porta em porta, descobri via Twitter da colega e amiga Christiane Angelotti, editora de livros de São Paulo (SP), Brasil e publisher do portal Para Educar.
O referido vídeo trata-se de projeto idealizado por Luciano Pontes um contador de histórias que percorre de porta em porta s as casas, o bairro, a cidade e o estado de Pernambuco, acompanhado do flautista Gustavo Vilar para suas contações de histórias, relembrando o que os grandes contadores de histórias, os trovadores na era medieval faziam, resgatando a sabedoria popular, pelas histórias, o canto e a brincadeira...
Em tempos virtuais da Idade Mídia, resgatar a oralidade da Idade Média, da contação de histórias, dos jograis e outras manifestações artísticas e culturais é essencial, justamente para não perdermos nossa memória, história e a própria humanidade. Usar o lúdico para percorrer os caminhos, atingindo de porta em porta a crianças, jovens, adultos e idosos é um projeto relevante que merece ser destacado, pois trabalha com memória e esquecimento, o particular e o universal educação e sociedade.
Fico imaginando um projeto que percorra uma escola, de porta em porta de sala de aula, fazendo essa contação de histórias de professores contando histórias de quando eram alunos para os seus alunos, de alunos pedindo aos pais para contarem suas histórias de quando alunos e reunir tudo isso em pequenos vídeos e editar em forma de um documentário.
br />

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Projeto Cordel na Escola: Eu, Você, Nós fazemos cordel na escola (arte, cultura e sociedade)




O vídeo acima PROJETO CORDEL NA ESCOLA - Eu, Você, Nós fazemos cordel na escola, descobri no You Tube e é iniciativa do professore César Rodrigues, coordenador do projeto nas escolas de Cubatão (SP) Brasil, onde os alunos aprendem sobre literatura de cordel, além de música e artes plásticas, na questão das ilustrações em xilogravura, criando textos críticos e as próprias letras das canções, em exercício de criatividade e autoria.
O cordel é uma tradição do povo nordestino e encontra na cidade de Cubatão uma grande comunidade, onde há vinculação com a cultura nordestina.
O prof. César Rodrigues mostra a exposição das obras em cordel (que vem de cordão) nos corredores da escola mostra primeiro a xilogravura e depois apresenta o "Cordelão" que seria a revistinha de cordel em tamanho gigante.
Um belo projeto que envolve música, canto, violão, gravura, desenho, pintura, arte e cultura, história, sociedade, vinculada aos projetos políticos pedagógicos das escolas do município.
Abaixo, breve apresentação do vídeo no You Tube, feita pelo professor César Rodrigues, em seu canal de vídeos:

"Trabalho com a cultura popular nordestina dentro do currículo escolar, entendendo que tais manifestações culturais não devam ter uma passagem 'turística' pelo currículo. Ou seja, não podem estar presente nos conhecimentos propostos pela escola apenas em determinadas datas comemorativas e/ou quaisquer outros sazonais. Ao contrário, as mesmas têm de estar presentes durante todo o ano letivo fazendo parte do cotidiano pedagógico, tendo as relações de poder que as envolvem presentes nos diálogos entre docentes e discentes".

Uma bela iniciativa que une arte e cultura, memória e história, educação e sociedade.

Dentro deste tema, recomendo o divertido e criativo vídeo abaixo O que é a Literatura de Cordel, de César Odeid, para complementar a postagem "compreender a importância desta manifestação na formação da cultura brasileira":



Por fim, destaco vídeo Poesia de Cordel, com Braulio Bessa, em que relembra frase de Patativa do Assaré, famoso poeta e cordelista nordestino: "É melhor escrever errado a coisa certa, do que escrever certo a coisa errada". Frase que me fez lembrar das mesóclises daqueles com profunda correção gramatical e rasa correção ética e moral. E viva a cultura popular brasileira!

br />


domingo, 30 de outubro de 2016

De quem é a escola? A quem a escola pertence? Aula de cidadania de estudante secundarista




O vídeo acima Ana Júlia assembleia legislativa do Paraná - PEC 241, descobri nas redes sociais e trata-se de fala emocionada e comovente da estudante secundarista Ana Júlia Ribeiro, de 16 anos, aluna do Colégio Estadual Manuel Alencar Guimarães, proferida na Assembleia Legislativa do Paraná, Brasil, representando as mais de 850 escolas e institutos federais ocupados no estado, na tarde de quarta-feira (26/10/2016), defendendo a legitimidade das ocupações e dando aula de cidadania aos deputados estaduais, em manifestação também contra o Projeto de Emenda Constitucional, popularmente chamado de PEC, de número 241, agora PEC 55, que congela por 20 anos recursos para educação, saúde e outras áreas.
Já no início de sua fala, Ana Júlia pergunta aos presente: De quem é a escola? A quem a escola pertence?
Pergunta que me faço sempre como educador e faço a outros colegas pois a escola só existe e os professores funcionários, prédio e tudo mais em função do aluno. O objetivo principal de uma escola existir é em função de educar alunos. A escola não é feita primeiro para empregar profissionais da educação. A escola é a própria educação viva e um direito fundamental e constitucional, tão importante como a vida.
Em minhas andanças por escolas, conversando com professores e alunos sobre metodologia, tecnologia, arte, cultura e educação, tenho descoberto muitos projetos pedagógicos relevantes, e alunos que se destacam por sua visão de mundo. Jovens que leem escrevem, produzem material audiovisual. Jovens que trazem em si conceitos que foram incorporados nos equipamentos eletrônicos como: convergência, mobilidade, portabilidade interatividade, intuitividade e muito mais.
Uma escola é reflexo da sociedade, mas uma escola democrática deve estar aberta à reflexão, e não cerceada em seu pensamento crítico. Deve-se estimular o debate de ideias, a argumentação, a réplica, a tréplica e não impedir que opiniões circulem, ou que só sejam admitidas ás que certas figuras políticas considerem válidas. br /> O próprio equívoco que alguns têm é de confundir ocupação com invasão. Ninguém invade algo quando defende o direito de uma educação de qualidade, melhoria do ensino, defesa de um direito constitucional aviltado por um projeto contrário ao bom senso. E em segundo plano, há que se posicionar contra outro projeto denominado "Escola Sem Partido", que se diz combater a doutrinação ideológica na escola, mas que tenta cercear o pensamento crítico de professores e alunos.
Primeiramente cabe definir o que é doutrina e ideologia, que por si só são essenciais em qualquer área do conhecimento humano. Existem doutrinas jurídica, religiosa, política, filosófica etc. Da mesma forma ideologia é algo além de questões partidárias. Todos têm uma ideologia que é justamente um conjunto de ideias sobre o mundo. A própria política é o exercício de representar e ser representado, de tomar decisões sobre sua vida e da sociedade, que vai além da questão partidária. Tomar partido sobre algo não requer obrigatoriamente estar vinculado a uma agremiação política.
A grande confusão está na postura dos próprios autores deste projeto (já criticado por juristas, jornalistas, professores e outras categorias), alguns destes idealizadores da "Escola Sem Partido", que são, sim, doutrinadores no sentido religioso e com mandatos eletivos, tentando impor aos outros sua visão de mundo, aliados a pseudo apartidários, que curiosamente foram eleitos recentemente, e que denúncia indicam que são financiados por grandes grupos políticos e econômicos.
Se de fato houvesse a tal doutrina partidária que acusam professores e alunos, quem sabe as câmaras de vereadores, assembleias legislativas e Congresso Nacional teriam cada qual sua bancada da Educação, quando na realidade vemos ter se formado a chamada bancada BBB: da Bíblia, do Boi e da Bala, ou, respectivamente, de doutrinadores religiosos, com suas igrejas, redes de rádio e TV, os grandes ruralistas e os policiais, além das bancadas de banqueiros e outros mais.
Se a Educação tivesse tal poder de doutrinação, alegado por seus críticos, o desmonte de programas sociais e educacionais não estaria em curso.
E o mais sério em tudo isso é o total desconhecimento por parte de alguns sobre a realidade da escola pública no Brasil, tentando legislar sobre o que não têm profundo conhecimento, inclusive recebendo propostas de pessoas sem nenhuma vinculação com a educação.
Segundo o escritor e semiólogo Umberto Eco: "Todos os textos escolares nazistas ou fascistas baseavam-se em um léxico pobre e em uma sintaxe elementar, com o fim de limitar os instrumentos para um raciocínio complexo e crítico", e impossível não pensar nesta citação, toda vez que projetos visam tão-somente cercear a opinião, o debate e ainda por cima, limitar recursos públicos à educação.
Pelo jeito, foi preciso uma estudante para dar uma aula de cidadania a quem deveria ser também professor, no sentido de ter conhecimento de causa e não apenas doutrinas vagas sobre um tema tão relevante e fundamental à própria sociedade.

sábado, 29 de outubro de 2016

Crianceiras: aplicativo infantil transforma poemas de Manoel de Barros em música por Márcio Camillo




O vídeo acima CRIANCEIRAS, descobri via portal Nota Terapia, e trata-se de aplicativo infantil traz poemas de Manoel de Barros musicados por Márcio Camillo e pode ser baixado gratuitamente pelo link abaixo ou no Play Store:

CRIANCEIRAS - APLICATIVO INFANTIL DE POESIA MUSICADA

Conforme o Nota Terapia: "Em homenagem aos 100 anos de Manoel de Barros, o Oi Futuro está patrocinando um aplicativo voltado para o público infantil no qual os pequenos podem assistir clipes musicais com as poesias do autor. As músicas são de Márcio de Camillo e as ilustrações de Martha Barros, filha do poeta. O app, que pode ser baixado gratuitamente nos aparelhos com Android e iOS, é um desdobramento do espetáculo de Márcio, com o mesmo nome.
Os clipes contam com atividades interativas, em que as crianças podem pintar e desenhar a partir da história contada, além de explorar o poema que acabaram de ouvir. As crianças ainda podem personalizar fotos com temas das ilustrações"
.
Belíssima iniciativa de unir arte e tecnologia, poesia e música, cultura e sociedade.
Inovação pode ser algo simples, uma nova ação sobre algo já existente, transformando as coisas... Como transformar poesia em música, via este aplicativo, que além de tudo, ainda tem mais três opções: desenhar, ler poemas e editar fotos com algumas figuras e molduras.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Literatura e Controle social: Os mundos distópicos de Orwell e Huxley e a atualidade



O vídeo acima Literatura e Controle social, recebi marcação no Facebook e explica de forma didática, direta e objetiva "o mecanismo de controle social como foi imaginado por George Orwell, autor de 1984, e Aldous Huxley, autor de Admirável Mundo Novo!".
Como pergunta o perfil que postou: "Qual dos mundos se parece mais com o nosso?"
Orwell e Huxley foram dois grandes escritores que captaram o surgimento de regimes totalitários em sua origem, mas como o próprio vídeo demonstra, George Orwell pensava o mundo presente à sua época, tanto que 1984 é um espelhamento de 1948, ou seja, a inversão dos dois dígitos finais. Orwell tratava do fascismo ao seu tempo.
Já Aldous Huxley, mais visionário, captou a tendência da humanidade desde a antiguidade, pelo famoso panis et circus (pão e circo), e a alienação que decorre do prazer sem limites, de uma programação permissiva, e o mais paradoxal de tudo: do controle social que advém desse aparente descontrole da falta de limites e valores, através de uma programação focada na cultura inútil e não na cultura geral.
Vemos hoje, que mesmo com a informação dispersa na rede mundial e nas redes sociais, as pessoas acreditam piamente em boatos, em charlatões, na desinformação. Daí o papel social cada vez maior do professor como aquele que desperta o senso crítico do aluno. Talvez por isso mesmo, governos e/ou políticos autoritários queiram cercear por todos os meios a autonomia do professor, inventando pretextos (Escola Sem partido, por exemplo), para atingir este controle social.
Um ótimo vídeo para incentivar a leitura de livros e de mundos, distópicos e reais; para discutir filosofia, sociologia, arte e cultura, história e memória, política e sociedade.
Como bem escreveu Willian Mac-Cormick: "A escrita é bomba de efeito moral. Por vezes lacrimeja, paralisa, assusta. Mas, geralmente, traz consigo um efeito colateral".

Posteriormente à publicação desta postagem, encontrei nas redes sociais esta instigante entrevista feita em 1958 por Mike Wallace com Aldous Huxley, que complementa o vídeo acima:



quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Dia dos Mortos e a Cultura Mexicana em belíssima e comovente animação para reflexão




O vídeo acima Dia dos Mortos, descobri via Facebook da colega e amiga Carla Kalindrah, arte educadora do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e trata-se de belíssima e comovente animação sobre a Cultura Mexicana.
Um vídeo que preza pela beleza e delicadeza das imagens e da história, e que mescla arte, cultura e sociedade.
Uma bela narrativa visual e cíclica que cativa o espectador.
Trabalhar com arte e cultura na sala de aula, independente da disciplina estimula a alteridade, do colocar-se no lugar do outro, incentiva a criatividade, favorece a interação, ainda mais, como este blog sempre destaca: a atual geração é audiovisual e interativa. Usar imagens, vídeos músicas, fotografias, revistas, cenas de filmes, recortes de jornais, jogos, esportes promovem a convergência do social com o formal. E este blog está repleto de ações e projetos neste sentido.
Um vídeo para ser usado não apenas em festas de Halloween, mas para tratar de memória, história, vida e morte. Que se presta às aulas de artes, história, filosofia, sociologia e muito mais.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

A felicidade começa com um sorriso: Contagiemo-nos mais com as coisas boas da vida



O vídeo acima A felicidade começa com um sorriso, descobri via Facebook do colega e amigo Jarbas Novelino, educador de São Paulo (SP), Brasil e editor do blog Boteco Escola.
Trata-se de vídeo que mostra um flagrante no metrô (não pude verificar a origem, mas acredito que seja algum experimento social, por conta dos diversos ângulos de gravação), em que um homem aparentemente assiste um vídeo em seu tablet e começa a rir sem parar, fato que contagia os demais passageiros, alguns de forma direta, outros, levando um tempo maior para arrancar-lhes um sorriso.
Assim acontece no cotidiano, quando educadores, contagiamos alguns de imediato e outros levam mais tempo para que possamos tocá-los no sentido educacional.
A resistência inicial, seja a esboçar um sorriso ou um apoio a uma atividade, depende das estratégias de interação que o educador se propõe.
O vídeo em questão serve também para refletir sobre o fato de que a maioria das pessoas pode ser sugestionada, tanto para o bem como para o mal. A maioria é cordial, mas pode ser influenciada por bons ou mal exemplos. E que o educador deve ter essa consciência de sua influência no ambiente escolar.
É possível contagiar um grupo aos poucos nesta grande viagem do conhecimento que é a educação.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Sala Aberta: O que acontece quando aluno ensina aluno? E o canal Pedro Ensina




O vídeo acima Filosofia - Consciência Mítica X Experiência Filosófica trata-se do primeiro vídeo da série Pedro Ensina, do canal de vídeos do aluno PEDRO LUZ, que foi destaca do portal SALA ABERTA, cujo tema é "O que acontece quando aluno ensina aluno?
Conforme matéria do portal Sala Aberta (que este blog reproduz a seguir):

"Aluno do 2º ano do ensino médio do Colégio Dante Alighieri (São Paulo-SP), Pedro Luz, 16, sempre teve facilidade para tirar as dúvidas de seus colegas de classe, principalmente, durante o período de provas. Contudo, no começo de 2015, ele percebeu que mesmo se esforçando não conseguiria ajudar a todos que recorriam a ele. 'As dúvidas eram muitas e sobre diversos temas', relembra. Foi quando Pedro decidiu se juntar aos amigos João Magnani e Arthur Brazão e fundar o canal no Youtube 'Pedro Ensina', onde ministra conteúdos de física, química e filosofia.
'A ideia do canal surgiu como uma forma de atender à essa demanda. Nós buscávamos, com isso, aumentar a abrangência das explicações, pois não só um vídeo pode ser acessado por qualquer um e em qualquer lugar, como também ele fica disponível no futuro para quem quiser rever a matéria. Ou mesmo para alunos mais novos, que ainda aprenderão aquilo na escola', explica o estudante."
O trio começou focando as aulas nos próprios colegas de sala e no restante do colégio. 'A diferença é justamente que somos alunos também. Por isso, temos um contato bem maior com outros estudantes, conseguindo identificar mais facilmente quais são as dúvidas comuns e buscar outras maneiras de explicar o conteúdo, sob o ponto de vista dos alunos', conta. Os jovens se surpreenderam, contudo, quando passaram a receber mensagens e comentários de estudantes de todo o Brasil. 'Foi uma surpresa receber a primeira mensagem de um menino que nem conhecíamos nos parabenizando e dando sugestões. Os comentários de alunos de outras escolas nos deram um incentivo a mais para continuar com os vídeos', relata.
As aulas de filosofia são as mais acessadas no canal. 'O formato com que apresentamos esse conteúdo específico na internet ainda é pouco explorado por outros produtores de videoaulas', justifica Pedro. Contudo, o garoto confessa que prefere ensinar química e física porque tem mais facilidade nesses assuntos"
.

Algumas coisas que chamam a atenção no canal e nas videoaulas é justamente que vídeos incorporam o ponto de vista do aluno para aluno, em formato leve com média de 10 minutos cada vídeo, resumindo temas complexos de forma simples, por tópicos. Uma estrutura que pode ser incentivada por professores se adotarem a metodologia do seminário integrado, em que certos conteúdos podem ser divididos com grupos de alunos para apresentação aos demais sob orientação e mediação de um professor, gravando o conteúdo para acervo digital da disciplina e da escola, e como parte da própria avaliação escolar do aluno.
Ações assim dão maior desenvoltura, autoconfiança, independência ao aluno.
O editor deste blog, quando ainda aluno, dava aulas aos seus colegas do ensino médio, quando nem imaginava que se tornaria anos mais tarde, um educador. Naquele tempo internet, microcomputador, gravação de vídeo não era algo acessível, pelo contrário. Hoje, não apenas alunos como professores podem produzir seus materiais audiovisuais e criar um blog ou um canal de vídeos no You Tube para compartilhar de forma aberta ou restrita a grupos suas videoaulas sobre os mais variados temas. Os jovens Youtubers já se apropriaram dessa importante ferramenta de interação, para criar seus vídeos sobre temas que lhes interessam. Alguns professores já se tornaram destacados Youtubers também, mas ainda há um espaço a ser melhor explorado pro professores, escola e a educação.
Este blog educacional tem destacado em diversas postagens como o You Tube pode ser tanto uma imensa máquina do tempo para que se recupere audiovisuais do passado, bem como um imenso repositório e acervo digital universal do presente às gerações futuras.

Abaixo, link para o canal de vídeos de Pedro Luz:

PEDRO LUZ: E A SÉRIE PEDRO ENSINA

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Morador de rua canta a capela e vídeo é editado em estúdio com arranjo musical fabuloso




O vídeo acima All I Know, descobri via Facebook do amigo Fernando Luís, músico de Rio Grande (RS), Brasil e trata-se de flagrante de apresentação de Ellison Red Anderson, morador de rua (à época) que canta a capela e viralizou na internet.
Posteriormente José Quiroga, músico do QUIROGA Slow Jam Remix, editou o vídeo, fazendo um arranjo musical e tocando diversos instrumentos sobre o vídeo original, criando uma versão remix fabulosa.
Um dos exemplo de como inovar é transformar as coisas, dando-lhes nova versão e de como a simplicidade permite a continuidade das ação, ressignificando-as, reconfigurando-as.
Na educação, tenho visto diversas ações assim, transformadoras de situações iniciais, ampliando suas possibilidades, com simplicidade e criatividade.
Que este vídeo sirva de inspiração para outros talentos, estejam na música, na canção, na educação ou na edição de vídeos.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

O Mundo Além da Palavras, por Jalal-ud-Din Rumi, poeta e sábio do séc. XII




O vídeo acima O Mundo Além da Palavras, foi indicação via Twitter da amiga Carmen Regina Dias, poeta de Cascavel (PR), Brasil e editora do blog poético Divan, e trata-se de edição de imagens a partir de poema de Jalal-ud-Din Rumi, poeta e sábio islâmico do século XII.
"Dentro deste mundo há um outro mundo impermeável às palavras./ Nele, nem a vida teme a morte, nem a primavera dá lugar ao outono/ (...) Para mudar a paisagem, basta mudar o que sentes", assim inicia o belíssimo poema, declamado na voz da atriz Letícia Sabatella.
Como sempre inicio minhas falas em escolas e outros locais, quando envolve arte, cultura e sociedade, digo que "Tudo é poesia na vida, seja na tragédia, na comédia ou na tragicomédia do cotidiano". Tudo é arte e esta deveria fazer parte do ambiente escolar, pelas possibilidades de sensibilizar nossa humanidade. Através da arte e da cultura damos vazão a nossa criatividade, algo essencial para pensar a educação no século XXI, em que os jovens são intuitivos, colaborativos, estão conectados entre si e via equipamentos eletroeletrônicos; e que a dança, a música, o teatro, o esporte e outras manifestações deveriam dialogar com as demais disciplinas do ensino formal.
Na educação e na sociedade podemos mudar nossa paisagem interior e a exterior, a partir do que sentimos e do que expressamos; pois dentro de nós existe um imenso universo de possibilidades que pode se expandir pela interação com o outro. Quando conhecemos melhor o outro, seja o aluno ou o professor, o pai e o filho, o amigo, o colega, tudo toma outra dimensão, e surge um mundo além das palavras, por conta das ações coletivas.
O vídeo em questão mescla uma série de fatores que podem ser reproduzidos em atividades artísticas, culturais e educacionais: mesclar texto, áudio, música, imagens com um resultado incrível, dependendo da criatividade do grupo. Um poema, a voz de quem declama, imagens de pinturas como pano de fundo e o resultado é arte pura. Algo que pode ser adaptado a outros temas no ambiente escolar.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Mantenha-se firme: Todo mundo sofre (arte, cultura e sociedade)




O vídeo acima Hold on (Mantenha-se Firme), descobri no You Tube e trata-se de campanha da organização não governamental Médicos Sem Froteiras, que "leva ajuda médico-humanitária a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição e exclusão do acesso à saúde".
Uma belíssima versão e um lindo arranjo musical da canção Everybody Hurts (Todo Mundo Sofre), da banda R.E.M., videoclipe legendado, logo a seguir:



Dois vídeos para lembrar a todos de nossa humanidade, e relembrá-los que todos sofrem, todos se machucam, mas tudo é possível de remediar. A arte e cultura podem ser terapêuticas no convívio social. A arte faz que vejamos o mundo com os olhos dos outros. A arte nos provoca o sentido da alteridade, do colocar-se no lugar do outro que sofre, que se machuca, que supera seus limites.
Aquele que ainda se apieda de seu semelhante, ainda conserva sua humanidade; aquele que consegue se ver refletido no outro, ainda é um ser humano. aquele que desce de sua torre de marfim e conhece a realidade de sua comunidade, mantém sua dignidade humana.
Um vídeo para sensibilizar àqueles que se consideram superiores aos outros, que promovem o bullying, o racismo, o preconceito e a discriminação...
Um outro mundo é possível, se cada um fizer a sua parte... Aquele que e solidário nunca estará solitário...

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Geometria no Cinema: Como moldar a maneira de pensar e de evocar sentimentos em filmes




O vídeo acima Movie Geometry - Shaping the Way You Think (Geometria no Cinema: como moldar a maneira de pensar, tradução livre do blog), descobri na rede social, no portal UpdateorDie, que indica "Como a geometria é capaz de evocar sentimentos em filmes".
Conforme o portal: "Em 'Movie Geometry', o cineasta Jack Nugent examina o uso de formas geométricas observando como eles são empregados para evocar certos sentimentos e reações.
Cores, texturas, iluminação e precisão geométrica são atributos necessários para que o cinema ganhe consistência e colabore para a visualização e imersão.
Esse tipo de estratégia é usada principalmente em animações quando, por exemplo, um rosto fino é visto como mau, um redondo como bom e um quadrado como teimoso.
De acordo com o vídeo, nossos cérebros enxergam esse conceito de forma intuitiva, já que são projetados para ver as coisas cortantes e pontiagudas como mais ameaçadoras"
De forma intuitiva, a atual geração, que é audiovisual, interage com sofisticados equipamentos eletroeletrônicos, que trazem embutidos em si, justamente os conceitos de intuição, interatividade, conectividade, mobilidade, convergência, portabilidade etc.
Pensar a geometria e a matemática em toda parte, através da arte, além de valorizar o conteúdo formal, trabalha com valores artísticos e culturais, favorecendo a interação com a atual geração, que convive fora da escola com vídeos, filmes, música, dança, esportes.
Associar o conhecimento formal ao cotidiano é dar sentido e significado ao próprio ato de educar. E assim como faz o cinema, moldando o pensamento e evocando sentimento, o educador do século XXI, além de ter essa consciência, precisa também valer-se dela para motivar seu alunado, despertar a curiosidade, estabelecer o diálogo, instigar novas descobertas, trabalhar em coautoria etc.

Observação: Acionem as legendas, clicando nos ícones na barra do menu da janela do vídeo, no canto inferior direito, e no símbolo da engrenagem, escolhendo a opção "traduzir".

domingo, 16 de outubro de 2016

Multiculturalidade: Sinfonia de Beethoven tocada por 167 Theremins no Japão (música e tecnologia)




O vídeo acima "Symphony No.9, Boogie" by Matryomin ensemble "Da", descobri na rede social, através do portal Open Culture e trata-se de uma ação multicultural.
Imaginem só "Ode à Alegria", da Sinfonia nº 9, do alemão Ludwig von Beethoven, tocada com 167 Theremins, colocados dentro Bonecas Russas, em Tóquio, no Japão. E o efeito é uma BONITEZA só!
Theremin é um instrumento musical eletrônico que não requer contato físico do tocador, criado pelo inventor russo Leon Theremin (vejam vídeo sobre o mesmo, ao final desta postagem).
No caso do vídeo, chamaram-no de "Matryomin", instrumento novo que une theremin dentro de uma matryoshka, que é o nome dado às bonecas russas, em que uma pequena fica escondida dentro de uma média, que de fica dentro de uma grande.



O matryomin é uma inovação do theremin. O inovar é transformar algo dando-lhe outra função. Assim deveria ocorrer na educação. Que o datashow (projetor multimídia) não seja apenas uma atualização do retroprojetor de slides, que foi uma atualização do mimeógrafo...
Educar é também saber unir arte e cultura, música e tecnologia requer inventividade, criatividade e sensibilidade, tocando fundo a alma do educando.

sábado, 15 de outubro de 2016

Leonore Goldschmidt: A professora que desafiou Hitler criando escola particular para alunos perseguidos pelo fascismo




O vídeo acima A professora que desafiou Hitler, foi indicação via e-mail do professor Robert Betito, de Rio Grande (RS), Brasil, e é um incrível documentário do History Channel sobre a vida e obra de Leonore Goldschmidt, uma professora de origem judia que percebendo a intolerância surgir na Alemanha, pós-1933, com a ascensão de Hitler ao poder, e após sua demissão, criou com outros 5 professores a "Escola Judia Dra. Leonore Goldschmidt", para receber alunos judeus, que eram perseguidos pelo fascismo.
Leonore, sempre com uma aguçada percepção do que estava em curso, e uma visão à frente, começou a preparar seus alunos a viver fora da Alemanha nazista, já temendo o pior que se efetivou, ensinando-os tudo em inglês.
Leonore, em parceria com a embaixada britânica, conseguiu um professor para ensinar inglês aos alunos. A professora possui um extraordinário pensamento estratégico e tático em suas ideias e ações diante de um período tão perigoso. E literalmente a professora criou uma escola para preparar seus alunos para o mundo, para a vida fora da Alemanha nazista. Um oásis no meio da arquitetura do caos.
Julien Bryan era um jornalista contratado pela propaganda nazista para fazer um filme ressaltando o regime, mas conseguiu ver os dominós caindo, antes do fato ocorrer, e contrabandeou seu filme para os Estados Unidos, denunciando o que viu, no documentário "Dentro da Alemanha Nazi".
Enfim, um documentário necessário para valorizar professores, escolas e lembrar períodos sombrios da história da Humanidade, que pensávamos estarem condenados ao passado e vez em quando surgem com seus fantasmas nos assombrando. Algo essencial para que fatos como estes nunca sejam esquecidos e jamais repetidos!

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

#SouProfessor: Vista essa camisa (Ser professor é ser humano)



O vídeo acima, #SouProfessor, trata-se de manifestação em defesa da educação, do professor da Unicamp Leandro Karnal, e me foi indicado via Facebook da colega e amiga Marisa Barreto Pires, de Rio Grande (RS), Brasil.
Segundo Karnal, o professor é condenado à esperança, pois estabelece uma ponte entre o conhecimento formal e à sociedade, já que o professor trabalha com conteúdo, mas também educador de uma atitude.
Karnal, citando Rubem Alves diz que "Nós plantamos carvalhos e não eucaliptos", plantamos para os netos, para as novas gerações.
O magistério, para Leandro, "é uma função humana, ser professor é reinventar e se recriar".
De acordo com o Instituto Península, produtor do referido vídeo: "Acreditamos que o professor é a peça-chave para o desenvolvimento de uma sociedade melhor".
Não basta o reconhecimento da importância do professor e da educação pela sociedade, mas a devida valorização, que implica boa remuneração, formação continuada, condições de trabalho adequadas, espaços para trocas de experiências, avaliação e autoavaliação, respeito e dignidade.
Reconhecimento sem valorização é como a vida sem liberdade. Há que não apenas o professor vestir essa camisa, mas a sociedade abraçar essa causa, em prol de uma educação de qualidade.
Alguns ESTÃO professores, como segunda opção, os chamados "burocratas do saber", mas muitos SÃO professores, pois fazem o que gostam e por nada trocam de profissão, apesar dos pesares, que não são poucos.
Ser professor é ser humano, em duplo sentido, enquanto ator social, consciente de sua função na sociedade e enquanto ser que precisa ser respeitado por quem desconhece sua importância e às vezes propõe medidas que depreciam, denigrem, deturpam sua função...
Pela autonomia do professor e por práticas menos invasivas no ato de educar...
Como dizia Paulo Freire: "Educar é ter a consciência do inacabamento", pois é um processo contínuo, por toda a vida...

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Concerto para hortaliças da Orquestra de Cordas da Grota e a Semana de Cultura na Agricultura



O vídeo acima Concerto para hortaliças, foi indicação via Facebook da colega e amiga Carla Kalindrah, arte educadora do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e, como ela diz: "Daquelas coisas que tornam as humanidades do ser visíveis, palpáveis, palatáveis, audíveis, sinestésicas, hiperestésicas!".
Trata-se, como demonstra a apresentação do vídeo de "parceria entre Agenda Gotsch e Orquestra de Cordas da Grota em um harmônico final de semana de cultura na agricultura (e vice-e-versa!)".
Segundo dados, sobre a Agenda Gostch: "Um suíco chamado Ernst Gotsch, que se mudou para o Brasil na década de 80, trabalha desde então em sua fazenda com a implantação de agroflorestas fundamentadas na Sucessão Natural de Espécies e que propiciam a recuperação dos solos trabalhados. Por meio de um modelo de agricultura que prescinde de insumos externos, Ernst Gotsch reflorestou 480 hectares de área degradada no sul da Bahia. A fazenda desenvolveu seu próprio microclima, 14 nascentes de água foram recuperadas e a fauna repopulou o lugar. O efeito extra de sua intervenção é a colheita agrícola. O experimento tem sido disseminado e adaptado a diferentes regiões e climas nos últimos 30 anos. Neste modelo de agrofloresta, o insumo mais importante é o conhecimento. Assim nasce o Projeto Agenda Gotsch, a partir do qual dois jornalistas visitam a fazenda de Ernst Gotsch para registrar conceitos, implantações e manejos do agricultor. A produção dos vídeos e textos ajudarão produtores de todo o mundo a adotar técnicas agrícolas verdadeiramente sustentáveis".
Projeto que vem ao encontro do que o Educa Tube Brasil sempre destaca: de que é a simplicidade que permite a continuidade das ações, usando a criatividade e a identidade com a realidade local.
Um ótimo material para discutir sustentabilidade, meio ambiente, arte, cultura, agriCultura e muito mais no ambiente escolar.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Admirável Gado Novo: Entre a arte e a cultura, a música e a sociologia




O vídeo acima Admirável Gado Novo, descobri no You Tube, e trata-se de primorosa edição de imagens em time-lapse de Moacir Silveira, da Vídeo Arte Uberaba, a partir de letra e canção homônimas de Zé Ramalho, que pela sua construção ética, estética e poética, torna-se um material universal, atemporal e essencial para refletir sobre arte, cultura, música, educação, tecnologia e sociedade.
Conforme apresentação do próprio Moacir Silveira:

"Zé Ramalho é, sem sombra de dúvidas, um dos cantores e compositores de maior prestígio em todo o Brasil. Ele começou sua carreira em meados dos anos 70, sempre fazendo sucesso, tanto pela poderosa voz quanto pela criatividade e sensibilidade poética de suas composições. Suas canções misturam temas político-sociais, cultura nordestina, mitologia, quadrinhos, psicodelia e misticismo. No embalo dos ritmos nordestinos, Rock, Blues e Folk Music ele desperta paixões entre os amantes da boa música. 'Admirável gado novo', escrita em 1979, fazendo parte do álbum 'A Peleja do Diabo com o Dono do Céu', é uma das mais conhecidas de Zé Ramalho, virando inclusive hino popular. Chegou até a ser censurada pelo regime militar, devido ao forte conteúdo político de sua mensagem. Em 1996, esta música voltou às paradas de sucesso ao ser incluída na trilha da novela global 'O Rei do Gado', como tema de personagens ligados ao MST (Movimento dos Sem-Terra). O próprio título faz alusão às ideias contidas no livro 'Admirável Mundo Novo', de Aldous Huxley. A mensagem contém uma poderosa crítica ao governo militar, que no entender do compositor, deu as costas para o povo do campo, marginalizando-o deixando-o à margem da sociedade e à mercê da ignorância e alienação cultural".

Os versos fortes de Zé Ramalho, em Admirável Gado Novo, são de uma beleza e dureza, que permitem estabelecer elos de ligação entre o passado e o presente, vide link abaixo, a íntegra da letra:

ADMIRÁVEL GADO NOVO - LETRA DE ZÉ RAMALHO

Estudar a História de um país pela arte, cultura, pela MPB (Música Popular Brasileira) pode ser um ótimo projeto pedagógico, pois as manifestações artísticas e culturais são de fato atemporais e permitem um diálogo entre épocas e gerações. Sem falar na análise crítica sobre os diversos planos de discurso: o ético, o estético, o histórico, o filosófico, o sociológico etc.
Fazer estudos comparados entre música e literatura, como no caso da canção de Zé Ramalho e o livro de Aldous Huxley também é algo para ver as influências da obras e autores, uns nos outros. E requer a intertextualidade e a interdisciplinaridade entre História e Arte, Educação e Cultura.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

A casa do futuro e a ideia que tinham nos anos 1960 do que viria a ser a Internet




O vídeo acima The Internet in 1969 (A Internet em 1969), descobri no You Tube e trata-se, na verdade, de um fragmento do curta-metragem de 1967, produzido pela Philco-Ford, intitulado The Home Of The Future: Year 1999 A.D. (A Casa do Futuro: Ano 1999), que pode ser assistido na íntegra, logo a seguir e, como o título indica, traz uma versão preconcebida do que acreditavam que seria o futuro, lá nos anos 1960.



Tanto o primeiro, que mostra mais um conceito do que seria a internet, como o segundo vídeo que trata dos avanços tecnológicos e a concepção de futuro, demonstram que "Algumas das previsões parecem estar certas enquanto que outras mais parecem ainda peças de ficção como o seriado Star Trek".
Evidentemente que a ideia daquele tempo tem conceitos ainda daquele tempo, como botões, canetas, papel, vários monitores, desktops, sem vislumbrar situações que hoje trazem em si a mobilidade, o toque na tela, bluetooth e muito mais.
A cada geração, trazemos conceitos da anterior e avançamos em situações impensadas, como será no futuro, nem tão distante assim, a Internet das Coisas, conectando todos os equipamentos eletrônicos que dialogaram entre si, e que antes era apenas enredo de filme de ficção científica.
Ainda não temos o carro voador do desenho animado de Os Jetsons, nem o teletransporte de Star Trek, mas temos os drones, o wi fi, o smartphone. O antigo comunicador de Star Trek é o telefone móvel, apenas sem a função de teletransportar as pessoas. Ainda... :-)
Dos anos 1990 para cá, muita coisa avançou em termos tecnológicos, e a tendência é que o conceito de Smart em TVs e telefones, integrando diversas funções, a Internet das Coisas e outras mais, promova novos avanços tecnológicos nas próximas décadas.
A Internet em geral, como o Google e o You Tube, em especial, podem ser considerados como máquinas do tempo, pois disponibilizam quase tudo, como uma enciclopédia mundial ou a Biblioteca Universal, como o escritor Jorge Luiz Borges tratava em um de seus contos fantásticos.
Nos anos 80/90, já cantava a Legião Urbana, na canção Índios, que "O futuro não é mais como era antigamente". A cada geração, a visão do futuro encontrará fatos que foram previstos e outros continuam no imaginário. Mas é justamente esse imaginário que move todos os projetos, ideias e ações.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Herói Todo Dia: Há Sempre Uma Maneira de Tornar a Vida Melhor (Saúde, educação e inovação)



O vídeo acima There's Always a Way To Make Life Better (Há Sempre Uma Maneira de Tornar a Vida Melhor), foi indicação via Facebook do colega e amigo Robson Garcia Freire, educador do Rio de Janeiro (RJ), Brasil.
Trata-se de campanha da agência de publicidade Ogilvy & Mather London, do Reino Unido, Everyday Hero (Herói todo dia) realizada em outubro de 2016, sobre inovação e cuidados com a saúde, em que mostra o dia agitado de um super-herói ao seu jeito, gente como a gente, sem nenhum super poder que não a alegria de viver, o amor ao trabalho e ao seu semelhante. Homens aranhas como esse, conheço às dezenas, que não trocam seu jeito de ser nem de viver por nada nem dinheiro algum. Muitos deles são educadores, sejam pais/mães ou professores(as), que acordam cedo, fazem mil coisas e ainda se divertem, alegrando a vida dos que com eles convivem. Pessoas que não esperam premiações, mas são inovadoras ao seu jeito, e que fazem seu trabalho, sem chamar a atenção, mas que possuem o reconhecimento daqueles que com eles convivem.
Inovamos quando fazemos coisas novas ainda que com coisas antigas, transformando-as. E este blog está repleto dessas indicações.
Pensando na saúde escolar e na saúde familiar, há que se pensar não apenas em um corpo saudável mas uma mente sadia, que exercite a solidariedade, a alteridade, a empatia, o espírito de viver em comunidade na sala de casa, na sala de aula, na sociedade. Ao professor e ao aluno devem ser dadas as condições mínimas para a convivência em um ambiente saudável a todos.
Existem sim seres humanos que tornam a vida melhor de seu semelhante, com simplicidade, criatividade, bom humor, alegria e gentileza... Nem todos somos super-heróis, mas podemos ser o que sonhamos. Ou parafraseando versos de canção da banda Engenheiros do Hawaii: "Somos quem podemos ser. Sonhos que podemos ter". Sonhos que se tornem realidade, quando sonhados de olhos acordados, em conjunto, com planejamento, organização e espírito coletivo.