quarta-feira, 31 de julho de 2013

Atividades Educativas: portal educacional





A imagem acima, trata-se do portal educacional ATIVIDADES EDUCATIVAS, que me foi indicado pela colega e amiga Janaina Senna Martins, educadora de Rio Grande, RS, Brasil e Coordenadora do Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) Rio Grande / 18ª CRE.
No referido portal encontra-se uma série de materiais interessantes, desde filmes, vídeos, jogos até apostilas, passatempos, e indicações de materiais diversos por disciplinas, seja do ensino regular como da educação especial.
O Educa Tube recomenda visita e divulgação aos demais educadores.
Abaixo, link para o portal e para a guia de sugestões de filmes e vídeos:

ATIVIDADES EDUCATIVAS - PORTAL EDUCACIONAL

ATIVIDADES EDUCATIVAS - SUGESTÃO DE FILMES

terça-feira, 30 de julho de 2013

Como é o aluno do Século XXI ? : Uma visão dos estudantes de 6 a 17 anos de hoje



O vídeo acima, A Vision of K 12 Students Today (Uma visão dos estudantes de 6 a 17 anos de hoje), jpa conhecia versão em inglês, mas descobri esta legendada, visitando o blog Dicas de Ciências, da colega e amiga Andrea Barreto, do Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
O vídeo trata da "Geração NET: O que os alunos esperam da escola e de seus professores frente as TIC" e foi legendado por Samantha Kutscka para o Núcleo de Pesquisa de Novas Tecnologias Aplicadas à Educação - Escola do Futuro da Universidade de São Paulo, SP, Brasil, e recomendo aos educadores para reflexão sobre este novo aluno que requer um novo professor para saber lidar com novos tempos e espaços escolares.
Convergência de máquinas e pessoas, colaboração entre professores e alunos, trocas de experiências, aprendizagens múltiplas e significativas a toda a comunidade escolar, compartilhar descobertas, alguns temas que precisam ser pensados, discutidos, refletidos e praticados no ambiente escolar.
Como o vídeo mostra: é preciso engajar o aluno, ajudando-o a pensar, analisar, criar, avaliar, aplicar as informações que gerem conhecimento.
Enfim, um vídeo essencial para pensar a educação no século XXI, em que alunos são digitais e os professores, em boa parte, ainda analógicos. A lógica da rede está além da rede lógica dos computadores - estes meros acessórios. A lógica da rede está em saber trabalhar coletivamente: professores com alunos (colaborativamente) e professores com professores (cooperativamente).

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Quintal da Cultura - Sacizinhos, de Tatiana Belinky



O vídeo acima, Sacizinhos, do programa Quintal da Cultura, trata-se de série infanto-juvenil da TV Cultura/SP, Brasil, em que a personagem Filomena conta a história "Dez Sacizinhos", da escritora Tatiana Belinky (falecida em junho/2013).
O Quintal da Cultura e o vídeo em questão descobri visitando o blog Ufa! Bloguei!, da colega e amiga Suely Aymone, educadora de Uruguaiana, RS, Brasil, e é um ótimo espaço para trabalhar o imaginário infanto-juvenil.
Abaixo, link para o canal de vídeos no You Tube, que recomendo para os educadores da educação infantil, pelo rico material:



QUINTAL DA CULTURA - CANAL DE VÍDEOS NO YOU TUBE

Vejam também, do mesmo programa e canal, o engraçado vídeo Professora Dorotéia, logo abaixo:



domingo, 28 de julho de 2013

Abrace a vida / O céu pode esperar: dois comerciais e um mesmo fim



O video acima Abrace a vida, descobri por acaso no You Tube e considero um dos comerciais mais criativos, belos e inteligentes que já vi... Com uma ideia simples: uma família na sala de casa e o pai, aparentemente, simula dirigir um veículo, mas quando a brincadeira toma ares de realidade, a esposa e filha fazem as vezes de cinto de segurança...
O filme encerra justamente com esta frase: "Abrace a vida: sempre que você usar cinto de segurança".
Há um duplo sentido, neste abraço, seja simulando o cinto, como a segurança familiar, e é um comercial que serve a diversas interpretações. Um ótimo material para trabalhar com alunos, desde a consciência da importância dos equipamentos de segurança de um veículo, como as relações sociais e familiares.
Uma brincadeira, de dirigir sem cinto, pode tornar-se uma dura realidade, se não tivermos quem nos abrace... Para refletir e repassar...

Na mesma linha, outro incrível comercial, chamado O céu pode esperar, com fantásticos efeitos visuais, igualmente para refletir sobre a importância do cinto de segurança, vejam abaixo:



Interessante comentário de um visitante no You Tube, indagando justamente por que vídeos como estes não passam na TV brasileira, e sim comerciais de cerveja... Boa pergunta para um amplo debate sobre a tal história do "se dirigir, não beba"...

sábado, 27 de julho de 2013

A Corporação (2003): documentário canadense impactante sobre o mundo em que vivemos



O vídeo acima, A Corporação, descobri no You Tube é trata-se de um impactante documentário canadense (2003), que trata de forma didática sobre o surgimento e transformação das Corporações, com poder mais forte que o político dos governos. Um ótimo material para debater sobre o mundo em que vivemos e os valores que aí estão postos.
Conforme apresentação do vídeo: "Através de seus lobbies junto aos governos e suas ferramentas de merchandising, marketing, branding, etc ,elas definem tendencias de consumo de produtos eletrônicos, vestuário, alimentos, entretenimento, medicamentos, etc. Corporações farmacêuticas influenciam e ate definem o que será e o que não sera ensinado nos currículos universitários de Medicina, Farmácia e outras áreas de Saúde, para defender seus interesses mercantilistas de vendas de inúmeros medicamentos nocivos."
Interessante a análise e comparação entre pessoas físicas e jurídicas, através do Diagnóstico do Distúrbio de Personalidade de Uma Corporação (pessoa jurídica), que se encaixa no diagnóstico do psicopata prototípico, pela negação de valores comuns e defesa de interesses particulares, sem aparente sentido de culpa.
Mais interessante a fala de um dos entrevistas, junto a imagens que falam por si só, de que "as famílias não conseguem enfrentar uma indústria que gasta 12 bilhões de dólares ao ano (nos EUA) em marketing para influenciar seus filhos", investimentos bilionários para "impor a filosofia da futilidade e do consumo de modismos", como declara Noam Chomsky. E isto fica evidenciado nos eletroeletrônicos que são substituídos cada vez mais, por conta do novo aparelho revolucionário para fazer mais do mesmo...
Conforme Richard James Havis (2005): "A Corporação" ataca questões éticas de grandes empresas. Os ataques às práticas éticas e sociais das grandes empresas que compõem o documentário "A Corporação" não serão novidade para a maioria dos liberais bem informados. Mas a pesquisa bem feita, a apresentação clara e a correlação precisa com os escândalos recentes envolvendo grandes empresas norte-americanas devem incentivar os espectadores bem menos informados a refletir mais profundamente sobre o papel das grandes firmas no mundo. Se tivesse sido exibido alguns anos atrás, "A Corporação" provavelmente tivesse passado desapercebido. Mas o destaque ganho por "Fahrenheit 11 de Setembro" e os escândalos envolvendo empresas norte-americanas devem despertar o interesse do público. O fato de Michael Moore aparecer no filme, como entrevistado, é uma atração adicional. A produção canadense é dirigida por Mark Achbar ("Manufacturing Consent: Noam Chomsky and the Media") e Jennifer Abbot a partir de um livro de Joel Bakan. O documentário começa com um breve histórico legal das grandes empresas. De acordo com a lei, as firmas têm os mesmos direitos que os indivíduos: podem processar, ser processadas, etc. Mas o foco do filme está em mostrar que existe uma grande diferença entre o indivíduos e a corporação. Espera-se dos indivíduos que demonstrem responsabilidade ética e social. Já a corporação tem, por lei, apenas uma responsabilidade: garantir a seus acionistas o maior lucro possível. O longa-metragem afirma que esta é uma abordagem unidimensional que conduz à exploração da força do trabalho, à devastação do meio ambiente, a fraudes contábeis e várias outras coisas do gênero. Para comprovar seu argumento, os cineastas entrevistam cerca de 40 pessoas, incluindo Noam Chomsky, Milton Friedman, Mark Moody-Smith (ex-presidente da Royal Dutch Shell) e os jornalistas Jane Akre e Steve Wilson, ex-funcionários da Fox News. Os temas variam desde fábricas de fundo de quintal no Terceiro Mundo até a destruição do meio ambiente, passando pela patenteação do DNA. Uma parte perturbadora do filme mostra um negociador de commodities, Carlton Brown, dizendo que, ao assistir ao ataque terrorista contra o World Trade Center, os dealers de ouro acharam que a tragédia teria um aspecto positivo, na medida em que faria o preço do ouro subir. Os cineastas deram a executivos-chefes como Mooy-Smith a oportunidade de apresentar argumentos em favor da responsabilidade empresarial. O que Moody-Smith quer mostrar é que existem alguns líderes bons nas grandes empresas, capazes de conduzi-las num rumo positivo. Os diretores respondem que esses poucos bons líderes não serão capazes de impor uma responsabilidade ética a uma máquina construída com o objetivo único de auferir lucros. Um raio de esperança é lançado por Ray Anderson, executivo-chefe da Interface, a maior fabricantes mundial de tapetes. Anderson se conscientizou da questão ambiental e reestruturou um terço de sua empresa, que vale 1,4 bilhão de dólares, com base em princípios ecologicamente sustentáveis. "A Corporação" não é um trabalho de ativismo global que defenda a derrubada do capitalismo. Uma seção final do filme analisa como o poder das grandes empresas pode ser reduzido por meios legais e sociais. Alguns trechos do filme, como um em que Michael Moore, antes do lançamento de "Fahrenheit", comenta por que a Disney lança filmes de um inimigo declarado das grandes empresas, como ele, estão datados, e o filme fala muito pouco da Worldcom ou da Enron. Mesmo assim, será muito bem-vindo pela parte do público cujas preferências políticas se situam à esquerda do centro." (Texto fonte: http://cinema.uol.com.br/ultnot/2005/... )

Vejam também, dentro deste mesmo contexto do papel das grandes corporações, o vídeo abaixo, intitulado A Ordem Criminosa do Mundo, "Documentário exibido pela TVE espanhola, que aborda a visão de dois grandes humanistas contemporâneos sobre o mundo atual: Eduardo Galeano e Jean Ziegler. Pode se dizer que há algo de profético em seus depoimentos, pois o documentário foi feito antes da crise que assolou os países periféricos da Europa, como a Espanha. A Ordem Criminal do Mundo, o cinismo assassino que a cada dia enriquece uma pequena oligarquia mundial em detrimento da miséria de cada vez mais pessoas pelo mundo. O poder se concentrando cada vez mais nas mãos de poucos, os direitos das pessoas cada vez mais restritos. As corporações controlando os governos de quase todo o planeta, dispondo também de instituições como FMI, OMC e Banco Mundial para defender seus interesses. Hoje 500 empresas detém mais de 50% do PIB Mundial, muitas delas pertencentes a um mesmo grupo. (Docverdade)":



terça-feira, 23 de julho de 2013

O Planeta Terra é Você



O vídeo acima O Planeta Terra é Você, foi indicação via e-mail do professor Robert Betito, do IFRS Rio Grande, Brasil, e trata-se de material produzido pelo mexicano Carlos Chavira (com legendas em português), para refletir sobre meio ambiente e sociedade, trabalhando consciência social e ambiental na sala de aula.
Se existe alguma raça neste planeta, é a humana, embora o termo mais adequado talvez seja "espécie humana", vivendo junto com outras espécies de seres vivos... Se existe vida inteligente neste planeta, ainda há tempo de descobri-la, a partir de posturas de respeito à Natureza e a todos os seres vivos.
Diante da cada vez maior indiferença das grandes corporações que exploram os recursos naturais do planeta, sem qualquer controle e escrúpulos, ainda que pareça utópico, podemos enquanto humanos, unidos e conscientes de nosso papel de formiguinha diante das cigarras, tentar fazer a diferença, conscientizando um número maior de pessoas, via redes e mídias sociais...
Se "O Planeta Terra é você", comece hoje mesmo a fazer sua parte, repasse este vídeo aos seus amigos reais e virtuais, aos seus filhos e alunos.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A Terra em 100 Anos e o Simulador Terrestre: Documentário sobre meio ambiente



O vídeo acima A Terra em 100 Anos e o Simulador Terrestre, encontrei no You Tube e trata-se de ótimo documentário produzido pelo Discovery Channel, que "mostra o supercomputador chamado 'Simulador Terrestre (Earth Simulator CNTR)', que já fez previsões que se confirmaram, como o furacão Catarina, primeiro furacão a atingir o Brasil, no estado de Santa Catarina".
Conforme apresentação do vídeo, referindo-se ao supercomputador: "E seus cálculos mostram como o clima vai mudar em 100 anos, com o aumento dos gases de efeito estufa. Como a floresta Amazônica vai desaparecer, e como diminuirá as áreas para plantio no mundo. Seu enorme poder computacional, o faz levar em conta todos os fatores responsáveis pelo clima, como luz solar, inclinações da órbita da Terra e até o escurecimento global causado pela poluição. Ele mostra que realmente, a presença do homem, afeta o clima da Terra."
Um exemplo de como a tecnologia, sem bem utilizada, pode auxiliar na previsão climática e em estratégias para preservação do meio ambiente, caso a humanidade se dê conta em tempo... Esta ampulheta digital está nos mostrando que o relógio de areia do tempo está em contagem regressiva, mas ainda podemos reverter tal situação.
Apesar do caos produzido pelos humanos, a Natureza nos mostra a cada dia o seu lado angélico, na beleza dos rios, oceanos, desertos, fauna, flora e tudo mais...
Ótimo material para trabalhar a educação ambiental no currículo escolar.
Mais informações sobre o Simulador Terrestre, no link abaixo:

SIMULADOR TERRESTRE

domingo, 21 de julho de 2013

Super-herois no Hospital Infantil do Texas: brincar é educar a alma



O vídeo acima Super-herois no Hospital Infantil do Texas, como o próprio nome indica, trata-se de atividade lúdica, artística e terapêutica, em que trabalhadores que lavam os vidros, pelo lado exterior do hospital se vestem de personagens do imaginário infanto-juvenil.
Imaginem a surpresa para uma criança internada, de repente ver na janela descer quatro super-herois (Super-Homem, Homem Aranha, Capitão América e Batman)!
Muitos dos educadores que utilizam o imaginário infanto-juvenil em seu fazer pedagógico, seja usando vídeos, filmes, jogos, atividades lúdicas, dentro de uma proposta educacional que privilegie o conteúdo com o ato de brincar, obtém resultados satisfatórios.
Fato que me remete à citação atribuída ao poeta Carlos Drummond de Andrade: "Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem."
Para refletir sobre educação, que não é brincadeira, não, mas que pode incluir o ato de brincar em seu fazer pedagógico, sim.
Saibam mais sobre Hospital Infantil do Texas, assistindo o vídeo abaixo (ativem legendas e sua tradução):



sábado, 20 de julho de 2013

Projeto Território do Brincar: pesquisa de cultura infantil no Brasil



O vídeo acima, Terra da Brincadeira, do programa Sala de Notícias do Canal Futura, encontrei por acaso no You Tube, quando assistia um vídeo correlato.
Trata-se do belo e criativo Projeto Território do Brincar, que faz uma pesquisa "por comunidades rurais, indígenas, quilombolas, metrópoles, sertão, litoral, revelando o país através dos olhos das crianças... Procurando brincadeiras das crianças, fazendo-as descobrirem brincadeiras com o próprio corpo, mostrando vídeos de brincadeiras de outros lugares..." O brincar já é o construir o brinquedo, segundo Renata Meirelles, uma das integrantes do projeto, e penso que o educar é o construir o conhecimento junto com o aluno... Segundo Renata: Os meninos levam uma tarde construindo e um pedacinho do dia o utilizando, brincando... Melhor é o brinquedo feito pelas crianças, segundo uma, pois quando quebra dá pra consertar...
Uma grande iniciativa, simples e ao mesmo tempo complexa de perceber "como a escola consegue enxergar a escola fora da escola".
No vídeo acima, acompanhem a família de Renata Meirelles e David Reeks, em sua viagem pelo Vale do Jequitinhonha, MG, Brasil, pesquisando as brincadeiras da região. A partir da relação do casal e de seus dois filhos com os moradores de Abadia, descobre-se o "Território do Brincar", projeto que tem como missão ouvir o Brasil a partir da voz das crianças.
Vendo este documentário, pensei na questão da educação, como um todo, a partir da fala de Renata Meirelles, de que "a educação ainda é pautada na informação e nem tanto na experiências", fato que talvez repercuta na própria formação do professor, mais teórica do que prática. Ou como bem falou uma colega: a faculdade prepara para passar no concurso público, mas não para enfrentar a sala de aula. Um grande paradoxo educacional e social.
Fazer expedições ao mundo do aluno é essencial ao educador do século XXI, principalmente em relação ao imaginário infanto-juvenil, e como bem faz David Reeks, que trabalha com poesia, dança, música, filmando de um ângulo debaixo, no ângulo de visão da própria criança...
Visitem também abaixo, os links referente ao projeto:

Território do Brincar, Canal de Vídeos no You Tube

TERRITÓRIO DO BRINCAR - SITE

Abaixo, vídeo de Estreia do Projeto Território do Brincar:



Um material para redescobrir o Brasil, através do conhecimento de mundo, onde cada região tem suas linguagens (do falar e do brincar), do universo desencantado que é a escola, de devolver vida ao processo educativo, já que os adultos se sentem ameaçados diante das crianças as crianças desacomodam as coisas... Hoje, os grandes mestres são as crianças; mexer com o sensível do outro. Alguns das reflexões contidas neste vídeo.

Vejam também mais dois vídeos do Projeto Território do Brincar, abaixo - 4º Região - Vale do Jequitinhonha:



Abaixo, Projeto Território do Brincar - 2º Região - Acupe, Reconcavo Baiano:



quinta-feira, 18 de julho de 2013

Paciência: a vida é tão rara, a vida não para



O vídeo acima, Paciência, produzido por Bernardo Nielsen Ayron Borsari e Deivison Pedroza e é uma homenagem especial aos formandos da 1a. Turma de Direito da FUPAC- Nova Lima, e tem como música de fundo a canção de mesmo nome, de autoria e interpretação de Lenine, e mais que um vídeo motivacional, serve para reflexão sobre o que de fato deve importar em nossa vida, em nossas escolhas, onde a simplicidade é um dos melhores caminhos, ainda que seja um dos mais longos, com certeza, um dos mais duradouros...
Conforme apresentação do vídeo, todas as imagens foram cedidas gentilmente pelas famílias dos Formandos da 1a. Turma de Direito 2013 da FUPAC, e ilustram uma visão de mundo em que a paciência, a simplicidade, a alegria da descoberta das coisas e gentes é uma forma de autoconhecimento.
Somos frutos de um meio social, e tentar interagir com este meio é nossa missão, afinal, "A vida é tão rara, a vida não para".
Mais um vídeo de curta duração que serve como exemplo de como é possível na escola unir imagens, vídeos e canções para radiografar o entorno de uma comunidade, motivando a todos e mostrando coisas simples e belas que existem ao redor, mas pela falta de paciência de uns, passam desapercebidas a quase todos.

Enquanto educadores (sejamos pais ou professores), precisamos às vezes exercitar nossa paciência com nossos alunos/filhos e estes deveriam também ter mais paciência com os adultos e seus conselhos, que aparentemente parecem chatos. As lições dos professores são melhor percebidas, quando chegam às vezes tardiamente as lições de Vida. Não é fácil ter paciência em um mundo cada vez mais impaciente. Precisamos nos policiar e sermos cobrados pelos amigos, que são nosso espelho e reflexo... É através do diálogo que vamos pouco a pouco aprendendo a ter a paciência requerida a cada situação. Não é fácil, mas quem disse que viver é algo simples?
Como educadores, precisamos de Paciência para enfrentar os desafios da vida: a PÁ da praticidade das coisas, e a CIÊNCIA, da teoria necessária aos projetos de trabalho e de vida... para sua sustentabilidade, continuidade e simplicidade...
Abaixo, clipe original do cantor Lenine, cantando a belíssima Paciência, em versão acústica:



quarta-feira, 17 de julho de 2013

118 vídeos que explicam cada elemento da Tabela Periódica



A imagem acima, trata-se de notícia do Canal do Ensino, sobre 118 vídeos produzidos pela Universidade de Notthingham (com apoio do jornalista Brady Haran e outros químicos que trabalham na instituição de ensino), que explicam cada elemento da Tabela Periódica, e que foi socializada via Facebook do colega e amigo Robson Garcia Freire, educador do Rio de Janeiro, RJ e editor do blog Caldeirão de Ideais.
Apesar de serem vídeos em inglês, através da opção CC (closed caption), é possível escolher legendas em português.
Vejam link abaixo sobre a referida Tabela:

TABELA PERIÓDICA EM VÍDEOS - UNIVERSIDADE DE NOTTINGHAM

Abaixo, um dos 118 vídeos, o que explica o Hidrogênio:



terça-feira, 16 de julho de 2013

Ninho Vazio: o reality show da natureza (4 ovos, 4 semanas)



O belo e incrível vídeo acima, Robins (4 ovos, 4 semanas), de Fred Margulies, foi indicação via e-mail do professor Robert Betito, do IFRS Rio Grande, Brasil, e intitulei de "Ninho Vazio: o reality show da natureza", pois, conforme apresentação do mesmo: "A Robin [mãe] construiu um ninho em uma cesta pendurada na nossa varanda e pôs quatro ovos. Que mantinha a mãe e o pai ocupados para as próximas quatro semanas. Eis o que aconteceu."
Robins, logicamente, é o nome da família de pássaros que durante 4 semanas choca e depois alimenta seus filhotes, para que depois voem, deixando o ninho vazio.
Todo pai precisa ter esta consciência de que o ninho construído para abrigar os filhos, um dia ficará vazio. É a lei natural, é a lei da natureza humana, inclusive. Das pessoas alçarem voos longos atrás de seus sonhos, de sua independência... Mas cortar o cordão umbilical dos pais em relação aos filhos, parece, muitas vezes, mais difícil que o inverso.
Um belíssimo vídeo, não apenas para refletir sobre a relação pai-filho, que passa rápido, como um filme, bem como as relações com o meio ambiente, mas também para propor uma discussão sobre o poder das imagens para sensibilizar um grupo, seja de alunos ou de professores, até a comunidade escolar, para as coisas que acontecem eu seu entorno, pois a questão local - como neste vídeo - torna-se universal.
Capturar instantes mágicos como este (com câmera digital e/ou fone celular) e socializá-los na turma, para a escola e a comunidade escolar, via blog, mídia se redes sociais é estimular o uso da arte e da cultura na educação...

domingo, 14 de julho de 2013

Coral de Queixas de Teutônia: música, educação, cidadania e sociedade



O curioso vídeo acima, Coral de Queixas de Teutônia, foi indicação via Facebook do amigo Fernando Luís, músico de Rio Grande, RS, Brasil, editor do blog Zé Urbano.
Uma divertida e ao mesmo tempo crítica iniciativa de criação de um Coro de Queixas, organizado pelo artista alemão, radicado na Finlândia Oliver Kochta-Kalleinen com a colaboração da comunidade de Teutônia, RS, Brasil, que fez sua primeira apresentação pública em 2011.
Conforme dados no You Tube: "Com música composta a partir de reclamações dos próprios moradores, o Coro é formado por cerca de 30 integrantes e tem arranjo e regência do professor de música Lucas Brolese".
Vídeo filmado e editado por Imagine Foto e Vídeo, que reúne as queixas de uma comunidade, em arranjo e regência de músicos e a colaboração de pessoas da pequena cidade, unindo arte, cultura, música, educação, cidadania e sociedade, e que muitas escolas poderiam mostrar para a comunidade escolar, não apenas como um vídeo divertido, mas reflexivo do papel de cada, seja fazendo queixas ou destacando fatos positivos de seu bairro, aldeia, cidade...
Destaco o verso "Quero mais ação e menos reunião", um recado direto aos políticos profissionais que parecem às vezes tão amadores no trato da coisa pública. Mais que uma queixa, uma dura constatação...
Ideias simples, criativas, bem humoradas podem motivar outras pessoas a utilizarem sua imaginação em prol do bem comum, literalmente unindo o útil ao agradável, o artístico ao social, o tecnológico ao pedagógico...

sábado, 13 de julho de 2013

A cidade educativa de Araçuaí, por Tião Rocha



O vídeo acima, A cidade educativa de Araçuaí, apresentado pelo educador Tião Rocha, de Belo Horizonte, MG, Brasil, descobri no You Tube, e trata-se de projeto de transformação social, ma cidade de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, com parceria da Petrobras.
Conforme Tião Rocha, é uma iniciativa de reunir os saberes, fazeres e quereres de uma aldeia e colocar à disposição do projeto, a partir da metodologia do "biscoito escrevido", em que as crianças aprendem a escrever seu nome e outras palavras, ajudando na confecção dos biscoitos. Um projeto que trata de sustentabilidade educacional e social, utilizando-se das brincadeiras do cotidiano. A escola é a casa dos alunos, a árvore, e até a sala de aula.
Há um banco de livros e terminais de computadores, com acesso à internet, para consultas variadas, tornando-se uma cidade educativa, em que todos ensinam e aprendem uns com os outros.
Um projeto que fez lembrar dos versos da bela canção Refazenda, de Gilberto Gil - e ainda atual, apesar de escrita em 1975, em um contexto ditatorial -, que brinca com as palavras de forma poética, crítica e social (refazendo tudo, refazenda, refazenda toda, guariroba), víde abaixo:



Logicamente que as palavras abacate e abacateiro, em tempos de ditadura, davam à fruta uma outra conotação. Uma letra pra refletir sobre arte, cultura, história, sociedade e educação.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Educação para a sustentabilidade: CAPITAL NATURAL # 21

CAPITAL NATURAL # 21 : Educação para a sustentabilidade from AIUÊ : produtora de conteúdo on Vimeo.


O vídeo acima, CAPITAL NATURAL # 21: Educação para a sustentabilidade, foi indicação via Facebook de Solange Das Graças Seno, educadora de São Paulo, SP, Brasil.
Trata-se de entrevista sobre educação para a sustentabilidade, feita pelo escritor, jornalista e ambientalista Fernando Gabeira com Rachel Trajber, coordenadora do MEC entre 2004 e 2011 e Rita Mendonça, cofundadora do Instituto Romã, de São Paulo, que representa no Brasil a Sharing Nature Foundation, organização dedicada à educação ao ar livre, além do educador Tião Rocha, fundador do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento, de Minas Gerais.
O Educa Tube destaca algumas ideias interessantíssimas do educador Tião Rocha: A primeira, de que "educação é qualquer coisa que acontece no plural", inspirado em sua pedagogia embaixo de um pé de manga, de que é possível fazer educação fora da escola; que o professor é ensinado para ensinar dentro de uma forma, que vem da lógica da linha de produção, desde a revolução industrial, mas que professor é aquele que ensina, educador é aquele que aprende. Rocha fala de inventar os próprios brinquedos com lixo e sucata, algo que o Educa Tube já comentou em postagens anteriores. Para ele, não somos criadores de produtos, mas de formas, e ai conta a lição que menino deu a ele. Que há que se construir uma cidade sustentável, pensar fora da caixa. Não ensinar ao educador a fazer mais do mesmo, tipo a forma e o formol: "A escola esta sendo mantida como um cadáver de 200 anos...", com a mesma forma do século XIXC em pleno século XXI.
Por fim, conforme manifestação de Rita Mendonça: é necessário descobrir a consciência do coletivo, saindo da zona de conforto, estimulando a atividade física e mental. E o mais interessante, o conceito de transtorno do déficit de natureza, que produz na criança e no jovem a obesidade, a depressão, o deficit de aprendizagem, justamente pela falto do convívio com o natural, presos a espaços artificiais. As crianças são criadas em condomínios, em casas e apartamentos sem mais campos de várzea para jogar, quintal para brincar etc. Para refletir a educação enquanto tempo e espaço.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

O Último Discurso de Chaplin em O Grande Ditador (1940): "Mais do que máquinas, precisamos de humanidade!"



O vídeo acima, chamado O Último Discurso, trecho do filme "O grande ditador" (The great dictator), lançado em 1940 por Charles Chaplin é um daqueles momentos antológicos, simbólicos e emblemáticos, não apenas do cinema, da arte, mas como da vida e da sociedade. Passados mais de 70 anos, continua tremendamente atual, por sinal, virulentamente comovedor, brutalmente cativante: "Mais do que máquinas precisamos de humanidade. Mais do que inteligência precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes a vida será de violência e tudo estará perdido", uma frase, texto e vídeo que já utilizei em formações, palestras e como epígrafe em meus TCCs das especializações em TIC e Mídias na Educação, e que convido a todo educador, seja pai ou professor, assistir com seus filhos e alunos, promovendo um pequeno debate sobre tecnologia e sociedade, ciência e humanidade.
Abaixo, íntegra do texto do referido vídeo:

O ÚLTIMO DISCURSO, DE O GRANDE DITADOR (1940)

quarta-feira, 10 de julho de 2013

A coisa perdida: animação



O vídeo acima, The Lost Thing (A coisa perdida), filme que venceu o Oscar de Melhor Curta de Animação 2011, descobri visitando a página Filmes e Vídeos Educacionais, no Facebook.
Com uma história simples, mas tocante, um homem se lembra de fato acontecido em sua juventude, quando encontrou uma coisa perdida na beira da praia e tentou encontrar algum sentido para ela.
Parando para refletir, penso que as pessoas não observam mais as coisas perdidas ao seu redor, ocupados demais em viver como zumbis de casa para o trabalho e vice-versa... Todos com pressa pra chegar em nenhum lugar...
Para muitos, as Tecnologias da Informação e da Comunicação - TIC, as mídias e as redes sociais são coisas perdidas no ambiente escolar, utilizadas mais como recreação do que com caráter educacional. Algo que todos veem, muitos querem, mas não sabem bem para que serve afinal...
Às vezes, não são as coisas que estão perdidas, mas nós que não damos a elas a verdadeira função social...
Quando deixamos de ver coisas perdidas e passamos a ver tudo em seu devido lugar, pode ser que, como educadores, estejamos acomodados demais, nos conformando com as coisas ou nos tornando a coisa perdida de alguém, necessitando que algo ou alguém nos dê a devida significação...

terça-feira, 9 de julho de 2013

Todos com todos: documentário sobre inclusão escolar



O vídeo acima, Todos Com Todos, foi indicação via Facebook do amigo Fábio Adiron, de São Paulo, SP, Brasil, editor do blog Inclusão: ampla, geral e irrestrita, e trata-se de ótimo documentário, realizado pela Secretaria dos Direitos das Pessoas com Deficiência do Estado de São Paulo, sobre inclusão escolar.
A inclusão, mais que uma interação social, é um processo de aprendizagem entre professores e alunos, pois a criança com deficiência, incluída no ensino regular mostra que todos nós possuímos limitações, sejam físicas, neurológicas e de aprendizagem, mas que podemos superar tais limites, através de experiências colaborativas, participativa e afirmativas de interação e inclusão escolar.
Fabio Adiron conta que quando levou Samuel, seu filho, à escola propondo inclusão à escola não sabia como agir, e que o processo de aprendizagem foi mútuo: escola/família. E de fato, a inclusão requer não apenas a participação do aluno no ambiente escolar, mas a participação efetiva da família neste processo, acompanhando, auxiliando, participando.
Já coordenei projeto de informática na educação especial em que eu tinha dúvidas em como agir diante de necessidades especiais que eu não possuía: cegueira e baixa visão, deficiência mental e física, surdez e alta habilidades. Na época (2005 a 2007), precisei demais das professoras da educação especial, especialistas no tema, que necessitavam de meu apoio, especialista em TIC e Mídias na Educação.
Fato que lembra-me duas citações de Pitágoras: "Ajuda teus semelhantes a levantar a carga, mas não a carregues", algo que lembra ditado popular de "ensinar a pescar e não dar o peixe" e "Com ordem e com tempo encontra-se o segredo de fazer tudo e tudo fazer bem", o que é real, pois necessitei de que alunos surdos me ensinassem Libras e fossem meus intérpretes, junto com os professores da área, além de aluna cega que me ensinou a usar o Dos Vox (software para deficiência visual), e atuou como minha monitora no projeto, e que atualmente cursa Pedagogia. O aprendiz também torna-se mestre; e o mestre, aprendiz. Ainda mais que a pessoa com deficiência, melhor que qualquer professor, sabe de seus limites e possibilidades, e poder contar com a ajuda de pessoas com estas deficiências, atuando como monitores é uma experiência enriquecedora para ambos: professor e aluno.
O Educa Tube destaca a ótima conversa inicial entre Samuel e seu pai Fábio, quando aquele, ao perceber que estava sendo filmado para o documentário, e diante da resposta do pai, diz: "Então eu sou um narrador personagem?". Provavelmente uma fala, fruto de amplas conversas sobre arte, cultura e literatura entre pai e filho. De certa forma, podemos ser o "narrador personagem" de nossa própria história de vida, conduzindo a trama de nossa existência, além do fio condutor das palavras, através de ações concretas inclusivas, como protagonistas e não meros coadjuvantes, figurantes. Mas para isto é preciso também que não somente o aluno seja incluído, mas que o professor, a turma, toda escola, o sistema de ensino e a sociedade se incluam junto neste processo de interação social.
Como bem destaca Adiron: "A convivência de todos com todos, é único caminho que prepara as pessoas para a autonomia e o respeito às diferenças".

sábado, 6 de julho de 2013

Lição de vida: videoclipe adaptado para fins educacionais



O vídeo acima, Lição de Vida, descobri no You Tube, e trata-se de adaptação para fins educacionais do videoclipe In This World, de Moby, veja a canção original abaixo:



A história é simples: quatro pequenos extraterrestres chegam à Terra e munidos de placas, fazem a política da boa vizinhança, tentando estabelecer contato com os nativos.
Um vídeo motivacional para refletir sobre as formas de se atingir um objetivo, seja educacional ou social.
Como educadores, sejamos pais ou professores, muitas vezes somos considerados pelos filhos e alunos como ETs, seres de um outro planeta, assim como nós consideramos os jovens como alienígenas por conta de seu modo de agir, se vestir, agir...
Conhecer um pouco do mundo - ou do "planeta" - do outro pode ser uma boa oportunidade de estabelecer um contato imediato de primeiro, segundo e terceiros graus; ou, melhor dizendo: de ensino fundamental, médio ou superior...

sexta-feira, 5 de julho de 2013

O Grande Desafio: cinema, educação e sociedade



O vídeo acima O Grande Desafio (The Great Debaters), que também é conhecido por "O Grande Debate", trata-se de filme sobre a vida de "Melvin B. Tolson (Denzel Washington), um brilhante professor e amante das palavras. Embora tenha convicções políticas que possam atrapalhar sua carreira, ele decide apostar nos seus alunos para formar um grupo de debatedores e colocar a pequena Wiley College, do Texas, no circuito dos campeonatos entre as universidades norte-americanas. Mas o seu maior objetivo é enfrentar a tradição de Harvard diante de uma enorme platéia. Inspirado em fatos reais."
Um belo filme para tratar de temas complexos e sempre atuais como racismo, discriminação, preconceito, bem como abordar a questão da defesa de ideias e ideais, ainda mais em tempos de redes sociais em que há certa intolerância por parte de alguns usuários, que querem fazer valer seu ponto de vista sem uma boa argumentação.
Denzel Washington, que interpreta o professor e dirige o filme, nos lega um ótimo material, que embora artístico e cultural, pode ser histórico, pedagógico e social.
Em uma das cenas, o aluno Lowe diz ao professor Tolson: "Só na escola pode-se ler o dia todo, ou na cadeia". Infelizmente esta realidade não tem ocorrido, nem em casa, tampouco na escola e muito menos na prisão. A leitura deveria ser essencial para todos, pois é justamente o ato de ler que nos dá a devida argumentação para sustentar um ponto de vista. Sem leituras, têm-se uma visão e discurso superficial de mundo.
O professor Tolson soube reunir um grupo de alunos e com eles enfrentar as melhores universidades negras dos Estados Unidos, até conseguir disputar e vencer o grande desafio contra uma das melhores universidades do mundo: Harvard.
Tolson dizia: "No debate, suas armas são as palavras", indicando que sempre há que se partir de uma proposição, afirmativa ou negativa, um fato ou conjectura, e sustentar sua opinião, amparado em pesquisa, retórica e bom humor.
Tenho assistido, às vezes, entre incrédulo e estupefato, a manifestação de pessoas aparentemente esclarecidas, que replicam ideias sem a devida checagem, como se fossem papagaios. No Fake book (fake, de falso mesmo), há muita coisa que não procede, mas que as pessoas curtem, compartilham, comentam sem o menor cuidado, mais incentivando a desinformação do que outra coisa.
Cabe ao educador, seja pai ou professor, a contextualizar as notícias e informações, estimulando o contraditório (que é o ponto de vista diverso), seja nas redes sociais, no ambiente escolar, em casa e na sociedade, checando fontes, incentivando a réplica e tréplica cordial entre as pessoas.
Vejo muitas pessoas dizendo-se democratas, mas que ao serem contrariados em seu ponto de vista, levam para o lado pessoal a crítica, sem tentar sequer sustentar sua opinião, e em certas vezes, até bloqueando e ameaçando pessoas que pensam diferente. Há que se debater sempre os temas relevantes, e debater também a falta de debate atualmente, seja na escola ou na sociedade.
Um filme como The Great Debaters é uma ótima oportunidade para reflexão e motivação escolar.
Abaixo, resenha sobre o referido filme:

THE GREAT DEBATERS - O GRANDE DEBATE

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Eu tenho um sonho e vontade de vencer. E tu?



O vídeo acima, Eu tenho um sonho e vontade de vencer, E tu?, descobri por acaso no You Tube, e trata-se de vídeo que flerta entre o promocional e o motivacional, produzido pela Quecena, de Portugal, inspirada no vídeo motivacional "Sonhos: o que você quer ser quando crescer?", de Deivison Pedroza.
Um material produzido através de um banco de imagens, para ilustrar uma mensagem universal de reflexão e motivação: "o que vemos é uma gota d'água, o que desconhecemos é um oceano".
Um vídeo que bem poderia motivar educadores e seus alunos a criarem um "banco de imagens" das atividades escolares, capturadas através de câmeras digitais e aparelhos celulares, para posterior edição de vídeo, seja no Movie Maker ou outro, e publicação no You Tube e depois em blog e redes sociais, a partir de um roteiro, texto, poema, conto, documentário etc.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Um sonho possível: A professora particular e o pai educador



O vídeo acima, trailer do filme Um Sonho Possível, em que recentemente fiz um recorte de cena, que intitulei "A professora particular e o pai educador", para fins exclusivamente educacionais, mas que devido a suposta infração a direitos autorais, fora tirado do ar. O referido filme, cujo título original é The Blind Side (O Ponto Cego), é inspirado na vida de Michael Oher ou Big Mike, jovem sem lar, que é adotado por família rica, mas que para realizar seu sonho de ser jogador de futebol americano precisa aumentar seu rendimento escolar, apesar de seu déficit de aprendizagem
. A família, diante do desafio e do sonho, contrata uma professora particular, mas o pai adotivo dá uma verdadeira aula de literatura (em cena que dura 3 minutos, dos 97 aos 104 minutos do filme em questão). Pai que usa de sua sensibilidade para proporcionar uma aprendizagem significativa no filho, a partir do conhecimento prévio que este tinha (no caso: o mundo do esporte e a figura do treinador e seus comandados). Todos somos educadores, embora a família seja ou deveria ser, a primeira educadora de uma criança e/ou jovem, para depois este receber instrução escolar em instituição de ensino. Todos podemos aprender e ensinar, a partir de nossas experiências de vida.
Para refletir sobre cinema e educação, arte e cultura, esporte e sociedade, didática e metodologia.
Vejam também, link abaixo, postagem/resenha sobre o filme Um Sonho Possível:

UM SONHO POSSÍVEL: CINEMA E EDUCAÇÃO

Aqui, link para assistir ao referido filme:

UM SONHO POSSÍVEL - O FILME

terça-feira, 2 de julho de 2013

Chá Literário: arte, cultura, educação e sociedade



O vídeo acima, chamado Chá Literário, trata-se de projeto desenvolvido no 3º ano, turma 131, professora Berenice Renê, do Colégio Marista São Francisco, de Rio Grande, RS, Brasil, Os alunos selecionaram um poema cada um, e gravaram um áudio. No dia 28/06/2013, em apresentação aos pais, na sala de aula, foram lidos alguns dos poemas. Depois, foi ofertado aos pais um CD com 36 poemas (um por aluno) e oferecido, ao final, um chá para confraternização entre pais e alunos. Uma ótima atividade, envolvendo arte, cultura, educação e sociedade.
No vídeo em questão, poema Felicidades, de Roseana Murray, na voz do aluno Allan Brasil Roig, filho do editor do Educa Tube. :-)))
Não basta ser pai, tem que apoiar, divulgar...
Abaixo, íntegra do poema:

FELICIDADES

Pequenas felicidades
passeiam por nossos dias
como joaninhas na palma da mão,
como um desenho de orquídea
trazido pelo vento.
Para não desperdiçá-las
há que estar sempre atento,
caminhar vagarosamente
pelos contornos da tarde,
encher os bolsos com a areia
dourada do tempo.

Roseana Murray

In: Poemas para Ler na Escola, ed. Objetiva

Abaixo, áudio na íntegra dos 35 poemas gravados pelos alunos da turma 131, 3º ano/ 2013 do Colégio Marista São Francisco, de Rio Grande, RS, Brasil.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

John Dewey e a filosofia da educação no século XX



O vídeo acima, John Dewey, que descobri no You Tube, trata-se de animação sobre "As idéias mais importantes do pragmatista norte-americano John Dewey, filósofo, psicólogo e educador que teve grande influência sobre a filosofia da educação no século XX.
Mais uma ótima animação da Univesp TV.
Abaixo, apresentação (em 3 partes) da filosofia educacional de John Dewey, realizada pelo Professor Marcus Vinicius Cunha: