domingo, 31 de dezembro de 2017

O fantástico livro voador e breve reflexão sobre a importância da leitura




O vídeo acima, cena da premiada animação O Fantástico Livro Voador, foi indicação via Facebook pela colega e amiga Josane Batalha Sobreira, educadora de Campinas (SP), Brasil e faz uma bela e poética reflexão sobre a importância da leitura: "Um livro que não se lê, é um livro que morre".
Estimular a leitura, tanto de livros impressos como digitais, tornar uma biblioteca escolar em um local vivo e não mero depósito de livros, são ações educativas cada vez mais necessárias para estimular a criatividade, a criticidade, a interpretação de textos e a produção textual. Quem lê viaja sem sair do local é muito mais do que um "lugar-comum". Valer-se de cenas de filmes, animações, curtas-metragens, clipes são formas de promover mais do que uma dinâmica de grupo. Uma forma de sensibilizar o público para um tema a ser proposto e um projeto a ser trabalhado em equipe.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Dark Stories: aplicativo que mescla narrativa, solução de enigmas e diversão coletiva




A imagem acima Dark Stories é um aplicativo que meu filho (Allan, de 12 anos) indicou e que joga em seu smartphone. Trata-se de um app que mescla narrativa, resolução de enigmas e diversão coletiva.
Conforme apresentação no Google Play: "Dark Stories é um jogo fácil de jogar e divertido, mas algumas das histórias são bastante difíceis de resolver. Todas as histórias são fictícias. Para resolvê-las, os jogadores precisarão provar suas habilidades como detetives". E é recomendado que seja jogado em grupo.
COMO JOGAR
Dark Stories deve ser jogado em grupo. Uma pessoa, designada como narradora, escolhe um enigma e lê sua descrição em voz alta. Depois, o narrador lê sua solução sem dizer às outras pessoas. Os outros jogadores deverão fazer perguntas para resolver o enigma. O narrador só pode responder às perguntas usando "Sim", "Não" ou "Não é relevante". A única solução possível é aquela fornecida na parte de trás de cada carta enigma. Se a resposta ainda não for suficientemente clara, os jogadores devem seguir a interpretação do narrador do enigma.
Um bom recursos para trabalhar com interpretação e produção textual com alunos.
Para baixar e testar o aplicativo, basta clicar no link abaixo:

DARK STORIES - APP

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Vida de Professor: divertido e reflexivo "Stand Up", de Diogo Almeida para além da educação




O vídeo acima Vida de Professor, foi indicação da colega Cláudia Borges, educadora de Rio Grande (RS), Brasil e trata-se de "stand up" do humorista Diogo Almeida e retrata o cotidiano escolar.
O curioso que certa fala de Diogo vem ao encontro do que falo há anos: "de que entendo os filhos (alunos) quando conheço os pais". É uma expressão que podemos chamar de "lugar-comum", já que todos que lidam com público e com a educação em especial, já tiveram essa sensação, de que os filhos são os espelhos de seus pais e/ou responsáveis, tanto positivamente como negativamente.
Uma pequena peça de humor que diz muita coisa do que acontece no ambiente escolar e que serve não apenas para reflexão, mas para pensar neste grande reality show que é a educação, que poucos conhecem a fundo - com toda a sua complexidade - e muitos palpitam.
A vida de professor não é apenas feita de metodologia e didática, mas muitas vezes fruto da resolução de problemas, que nem sempre são criados pela escola. Muitas vezes vêm da comunidade. A escola é o reflexo da sociedade. E se a sociedade desconhece a realidade escolar, se cobrar além da instrução, uma educação que também compete à própria família, há que se discutir seriamente o papel social de cada um: do aluno, do professor do gestor escolar, do gestor público, da família e da sociedade.
Um vídeo como este serve não apenas para o professor de suas histórias, mas de propor mudanças sérias nessa realidade.
Que 2018 seja um ano melhor para a Educação, sem tanto patrulhamento intromissão de figuras alheias à educação, tentando cercear o próprio desempenho da profissão.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Astronauta de sucata: curta-metragem com temática ambiental é o vencedor do Festival de Cinema Escolar de Alvorada (RS)




O vídeo acima Astronauta de Sucata foi indicação inderata do amigo Josias Pereira, professor da Faculdade de Cinema da UFPel, de Pelotas (RS) Brasil e trata-se do curta-metragem vencedor do Festival de Cinema Escola de Alvorada (RS), obtendo os seguintes prêmios: Vencedor dos prêmios de Melhor Filme, Melhor Atriz e Prêmio Sirmar Antunes de Protagonismo Negro, no 3º FECEA em Alvorada/RS.
Filme produzido pelo grupo Construindo Caminhos durante oficina de Audiovisual, ministrada por Alex Racor, no Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos, em Alvorada/RS. Com colaboração de todos os grupos da instituição G1, G2 e G3. Tendo como educadores responsáveis: Miguel Barreto, Osmar Moraes da Silva, Alessandra Silva e Irmã Fátima Lessa. Trabalho finalizado em Nov/2017.
Um criativo divertido e originalíssimo curta-metragem que como o próprio título indica, trabalha com os conceitos de reciclagem e de cuidado com o meio ambiente, utilizando os mais variados materiais para compor cenário, figurino e contexto.
Além do cinema é utilizada a música para passar uma mensagem universal, além da apropriada citação de São Francisco de Assis.
Um belíssimo curta-metragem que mescla gravações animações, apresentações diversas, com um resultado incrível e motivador.
Parabéns aos alunos e professores envolvidos na produção deste curta-metragem estudantil.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Três plataformas de conteúdo audiovisual com potencial educativo: Afroflix, VideoCamp e LibreFlix


Descobri na rede social o Centro de Referências em Educação Integral, que selecionou três plataformas online e gratuitas que oferecem conteúdo cinematográfico com temas que dialogam com o conceito de educação integral. São filmes, documentários, séries e animações que discutem direitos humanos, educação, infância, gênero, questão racial, entre outros pontos. São eles o AfroFlix, o VideoCampo e o LibreFlix, que seguem abaixo descrições e links para visitação:
AFROFLIX



O AFROFLIX é uma plataforma colaborativa que disponibiliza conteúdos audiovisuais a partir de um critério: pelo menos uma pessoa negra assina uma área de atuação técnica/artística da produção. Criado em 2016 de forma independente, o site oferece mais de 100 títulos brasileiros, classificados em oito categorias como documentário, experimental e ficção.
O objetivo da iniciativa é chamar a atenção para as produções e fazer com que circulem pela rede. Por isso, qualquer usuário pode assistir os conteúdos e indicar novos títulos para o site, desde que sigam o critério mencionado.
O destaque da plataforma é o filme “Batalhas”, produzido pelo próprio AFROFLIX, sobre o espetáculo “Na Batalha”, que narra a história do funk por meio do passinho – dança contemporânea das favelas cariocas.

VIDEOCAMP



O VIDEOCAMP é o resultado da parceria entre Instituo Alana e produtora Maria Farinha Filmes, a plataforma funciona como uma espécie de curadora de conteúdo. O Videocamp faz a ponte entre os produtores e o público, reunindo produções audiovisuais nacionais e internacionais com viés social e provocativo, como os filmes “O começo da vida” (2016) e “Criança, a alma do negócio” (2008).
A ferramenta é gratuita e para navegar é preciso criar uma conta de acesso à plataforma. Também é possível solicitar exibições gratuitas e públicas dos filmes, mas para isso é necessário reunir o número mínimo de cinco espectadores. Além disso, o Videocamp permite ao usuário comentar e classificar as produções.

LIBREFLIX



O Libreflix é uma plataforma que reúne conteúdo audiovisual independente e de livre exibição, como os documentários “Freenet”, “Educação Proibida” e “Quem matou Eloá?”. A premissa do site é a do compartilhamento de cultura, ou seja, que conteúdos relevantes atinjam cada vez mais pessoas.
Por isso, a plataforma é aberta e colaborativa, incentivando o acesso e que os usuários adicionem filmes, séries ou documentários, com a condição de que a produção não tenha restrição de direitos autorais.

domingo, 24 de dezembro de 2017

Bloco de notas: notando e anotando as pessoas ao redor




O vídeo acima Post-it, descobri por acaso no YouTube e me encantei com o lirismo deste curta-metragem que fala de coisas tocantes. Uma moça solitária sentada em um banco de praça percebe a chegada de um rapaz e sua misteriosa caixa. Da conversa estimulada por ela, sabe-se um pouco do jovem e do conteúdo da tal caixa, com pertences do trabalho de sua mãe, dentre elas o post-it, que é o prosaico e eficiente bloco de notas com folhas adesivas que serve para autocolar lembretes em livros e outros locais.
Com a chegada de um terceiro personagem que se senta entre o casal o bloco de notas passa a ter papel fundamental, aproximando os três e fazendo que a moça e rapaz possam dialogar por meio de pequenos recados, em palavras-chave, que definem um ao outro. Daí em diante Claire e Elroy saem pelas ruas distribuindo as folhas amarelas adesivas colando nas pessoas, escrevendo antes uma pequena característica de cada um. Notando e anotando as pessoas, Claire fez Elroy mudar seu jeito de ver o mundo e encarar a vida, sendo por ele marcada ao final do vídeo com a palavra "Nosey" (intrometida). Muitas vezes pessoas se intrometem em nossa vida para mudar nossa forma de interagir com o entorno e conosco.
Uma brincadeira divertida e uma mensagem de solidariedade. De comunicação em pequenos textos quase telegráficos. Uma ideia que pode ser reproduzida em projetos em sala de aula, numa dinâmica de grupo, em alguma atividade que envolva o autoconhecimento, em um "chá de bebê", em um encontro de final de ano, tipo amigo secreto etc. Em que possamos com pequenas anotações ir qualificando alguém ou propondo um desafio de escrita coletiva, de poemas, contos, crônicas a partir da escolha de certas "palavras mágicas" que poderão ser coladas em quadros, paredes, cadernos etc.
Fica aqui registrada a ideia (e minha autoria) neste projeto literário que poderá ser feito em parceria com outros educadores e seus alunos.
Pra quem quiser conhecer um pouco da origem do post-it, recomendo clicar AQUI.
Observação: As legendas e sua tradução podem ser ativadas na barra inferior da janela do vídeo.

sábado, 23 de dezembro de 2017

Poesia em imagens: um videoclipe em forma de animação que une poesia e imaginação




O vídeo acima You Are The Reason (Você é a razão), do cantor Callum Scott, que descobri no YouTube e trata-se de um videoclipe com belíssimas animações. Um livro literalmente vivo, em que cada imagem ilustra os versos da canção.
Um vídeo que me deu algumas ideias para futuro projeto educacional, mesclando justamente música, imagem, poesia, desenho, interpretação e produção textual com alunos. Um videoclipe que proporciona unir poesia, música, HQ e imaginação.
Futuramente divulgarei o referido projeto literário aqui neste blogue educacional.
No clipe, o livro literalmente cria vida, algo que lembra cena antológica do filme As Crônicas de Nárnia: a viagem do peregrino da alvorada (vide abaixo), quando a tela na parede do quarto começa a transbordar além da imagem de uma barco no mar, inundando toda a peça e levando os jovens para o reino encantado. A literatura e o cinema são estas formas de teletransportar a imaginação para um outro mundo. E é possível incorporar o cinema e a literatura ao cotidiano escolar, dentro de uma proposta pedagógica criativa.



Enquanto isso, fica aqui a sugestão aos educadores de arte e literatura, de língua portuguesa e inglesa de pensarem projetos intertextuais, valendo-se das múltiplas formas de expressão artística em seu fazer pedagógico.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Amigo que é amigo não deixa o outro na mão e a magia da matemática




O vídeo acima Quando o teu melhor amigo não te deixa na mão encontrei na rede social Facebook da colega e amiga Tania Cristina Garibaldi Vieira, educadora de Rio Grande (RS), Brasil e é um vídeo hilário que dá para refletir sobre a aprendizagem.
Um vídeo que dialoga com 5 x 5 = Natal, que se trata de uma cena do belíssimo filme Cinema Paradiso, que já foi utilizada tempo atrás no Educa Tube Brasil, justamente para discutir sobre o aprender e o memorizar, conforme link abaixo:

Cinema e Matemática: entre o memorizar e o aprender ( 5 x 5 = Natal)

Vídeos assim e outros mais sobre matemática, cenas de filmes e filme em que professores e alunos discutem o papel da matemática podem ser utilizados em sala de aula para valorizar o potencial da disciplina, usando a brincadeira para falar de algo sério.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Star Wars Medley ao som de escaletas tocadas por dois criativos e divertidos jovens




O vídeo acima Star Wars Medley, foi indicação do colega e amigo Fernando Luis músico e poeta de Rio Grande (RS), Brasil.
Um show de criatividade e humor, já que os dois jovens encerram a apresentação com uma clássica canção dos primórdios do cinema. Música, cinema e imaginário. Arte e cultura. Múltiplas formas de expressão e de interação com as diversas gerações de fãs da série Star Wars e doutros clássicos da música e do cinema, que permitem pensar diversos projetos entre professores e alunos. Existem nas salas de aula talentos natos e outros a serem descobertos. Através da arte e da cultura é possível promover a interação e a integração do aluno ao conteúdo curricular, desde que feito de forma planejada e adequada. Que não seja apenas a arte pela arte, mas a arte-educação, a arte na educação.

domingo, 17 de dezembro de 2017

Lily e o boneco de neve: uma encantadora animação digital que incentiva o uso da imaginação




O vídeo acima Lily and the snowman I(Lily e o boneco de neve) é um curta-metragem com áudio da canção Snowman, da cantora Sia, é uma animação encantadora que conta a história de uma menina, seu boneco de neve e o carinho de sua mãe.
Mais que isso, é um grande material para valorização do imaginário infanto-juvenil através das luzes e sombras que se formam no muro da casa da menina, e das imagens formadas pelo boneco, que também é fruto da imaginação.
Uma bela mensagem que mostra mãe e filha unidas pelo mesmo imaginário. Pais e filhos, professores e alunos podem se comunicar da mesma forma valendo-se de suas memórias sentimentais, em projetos educacionais e de vida.
Ou como consta na legenda final da animação: "Arranje tempo para o que você ama" ou para quem você. Pais e professores precisam conhecer o mundo de seus alunos e filhos para poderem interagir e talvez buscando nas próprias memórias possam melhor dialogar com as novas gerações.
Seguindo o espírito natalino, indico logo abaixo um belo clipe Christmas Lights (Luzes de Natal) de uma de minhas bandas (largas) favoritas, Coldplay:



domingo, 10 de dezembro de 2017

Presentes que vêm do coração e o verdadeiro Espírito de Natal que não têm preço, só apreço!




O vídeo acima, Presentes que vêm do coração, descobri no Facebook da poet'amiga Ju Blasina, e trata-se de campanha do CDL - Centro de Diretores Lojistas da cidade do Rio Grande, no extremo sul do Rio Grande Sul, Brasil onde resido e é comovente por diversos componentes>
O ator que encarna o "Espírito de Natal", Pablo Machado dos Santos, filho de minha colega e ex-professora Surama Santos é um talentoso artista que recentemente me cativou na apresentação Natal Luz, no Asylo do Rio Grande, apresentando a encenação do Presépio Vivo, naquela instituição. Além disso, Pablo é um vencedor. Sobreviveu a um assalto em que foi alvejado e esteve em estado crítico, e agora nos brinda com lindas apresentações, vestido de palhacinho.
Na Promoção do CDL Rio Grande, Pablo, vestido de "O Espírito do Natal", entrevista no centro da cidade e em shoppings de Rio Grande, diversas pessoas que abrem um presente com uma palavra mágica: AMOR, GRATIDÃO, CORAGEM, FORÇA, FÉ e outras mais. A reação das pessoas, a emoção dos encontros já valem por si só, por resgatar em nós o humano, o verdadeiro espírito de Natal, que não tem preço, só apreço, como digo àqueles que a gente gosta e que gostam da gente.
A arte esta em toda parte e a cultura é que nos une em sociedade.
Como educador, usando da arte, cultura e tecnologia em meu fazer pedagógico, sei o quanto é importante sensibilizar o aluno para o mundo em que vivemos, do quanto é necessário dialogar com as gerações estabelecendo uma troca de experiências e de saberes. De que a verdadeira rede social começa na família, se amplia na escola e permanece na sociedade, seja de forma digital ou não.
Pequenas ações, como esta, promovem a empatia, a solidariedade, a alteridade, a interação, no verdadeiro espírito social de comunidade. Parabéns ao Pablo, ao CDL e a todos que mantém acessa a chama da solidariedade e da humanidade entre nós...

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Sem palavras: comovente publicidade natalina que trata da inclusão de deficientes auditivos




O vídeo acima, que batizei de SEM PALAVRAS, conforme encontrei por acaso no YouTube, trata-se de campanha publicitária natalina (2017) de rede de lojas de vestuário que comove por trazer um assunto atualíssimo, inclusiva que foi tema da redação do Enem - Exame Nacional do Ensino Médio de 2017: a inclusão.
O comercial que parece um curta-metragem conta a história de duas meninas com dificuldade de comunicação, até que uma dela descobre o real motivo: nãos e tratava de antipatia ou falta de empatia, mas de limitação por deficiência auditiva (surdez).
Eu, José Antonio Klaes Roig (editor do blog Educa Tube Brasil), já coordenei entre 2005 e 2007 projeto de informática na educação especial, em parceria com o Núcleo de Tecnologia Educacional que atuava e os professores da educação especial da EEEF Barão de Cerro Largo, de Rio Grande (RS) Brasil. Na oportunidade, eu como formador no uso dos multimeios na educação, tinha como atribuição principal capacitar professores da rede pública estadual no uso das TIC e Mídias na Educação. O projeto com alunos da educação especial surgiu das tratativas do professor Nerocy Miranda Filho (coordenador do NTE à época) com a professora Jane Alano (da Escola Barão). Com a ida do prof. Nerocy para a iniciativa privada, assumi a coordenação do NTE e do projeto, readaptando-o às novas turmas, pois além de alunos deficiência mental foram incorporados alunos com deficiência auditiva, visual e portadores de altas habilidades. E o mais interessante neste projeto é que todos os envolvidos, de professores a alunos, TODOS aprendera uns com os outros. Minha formação na tecnologia precisava do conhecimento da educação especial que os professores tinham, e ambos contamos também com auxílio de monitores: alunos com deficiência auditiva e visual que nos auxiliaram no uso de softwares e programas que os mesmos utilizavam em seu cotidiano. O o mais interessante de tudo: alunos ouvintes aprenderam com relativa facilidade a Libras - Língua Brasileira de Sinais para se comunicar com os colegas surdos, mesmo que estes mesmos alunos (ouvintes) tivessem dificuldades em algumas disciplinas como matemática, por exemplo. O que fez os professores envolvidos no projeto refletir sobre a própria questão da aprendizagem que muitas vezes funciona em função do interesse despertado por alguma atividade significante.
A inclusão tem que ser pensada, não apenas como integração e interação do portador de alguma necessidade especial com a realidade dos demais, mas principalmente da interação e integração de ouvintes com os surdos de videntes com cegos etc. Conhecer o outro, sentir suas limitações é mais do que um exercício de alteridade, mas uma necessidade para que possamos TODOS pensar o próprio ato de aprender e ensinar.
Sem palavras, mas com ações é possível realizar mais coisas que com cem palavras... Quase sem palavras fico quando vejo iniciativas que promovem o respeito à cidadania, ao diferente, ao desigual propondo uma equidade de realizações...

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Divertida e criativa encenação de nado sincronizado feita por alunos do 5º ano




O vídeo acima, Nado Sincronizado, encontrei no Facebook da colega e amiga Jucelene Pacheco, educadora de Rio Grande (RS) Brasil e trata-se de encenação de alunos do 5º ano no show de talentos de uma escola, que mescla bom humor, simplicidade e criatividade. Um exemplo de como é possível ser criativo usando poucos recursos, obtendo um ótimo resultado.
Coisas criativas que ocorrem nas escolas e que precisam ser documentadas e divulgadas.
Quem souber o nome da escola e a cidade, favor deixar aqui nos comentários desta postagem pois não consegui identificá-los.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

O YouTube como pequena máquina do tempo através da memória audiovisual coletiva




O vídeo acima São Francisco 1906 e descobri no YouTube, que considero uma pequena máquina do tempo justamente por possibilitar que encontremos vídeos sobre todos os assuntos, principalmente material histórico como o que mostra pouco menos de 10 minutos de um passeio pelas ruas da cidade de São Francisco, nos primórdios do século XX, quando os primeiros automóveis começaram a rodar pelas cidades.
Não somente o professor de História, mas principalmente este, tem ao seu dispor um riquíssimo acervo de vídeos, documentários etc que possibilitam ilustrar suas aulas e estimular o debate sobre a história do conhecimento.
Evidentemente que não se assemelha as imagens de um Grand Thief Auto (GTA), mas para quem é pesquisador, poder simular um passeio por ruas e cidades antigas é uma sensação inestimável. Poder convidar filhos e alunos para este passeio, melhor ainda. Pensar que o próprio GTA pode ser um espaço virtual de aprendizagem em interação com vídeos históricos, melhor ainda. Basta criatividade, dinâmica e e planejamento de integração do conteúdo programático à atividade em questão.
Reunir fotografias e vídeos antigos da escola, de professores pais e alunos e editá-los como pequenos documentários e socializ-alos em blogs e em apresentações na comunidade escolar.
Contextualizar situações como bondes elétricos que existiram até algumas décadas atrás e que sumiram em prol do petróleo/gasolina e hoje retornam os carros elétricos como algo moderno, é também dialogar entre gerações e sobre conceito como o que é de fato moderno e antiquado. Do vidro que foi substituído pelo plástico. De discutir conceitos sobre educação ambiental, reciclagem de coisas e ideias.
Abaixo, outros vídeos de décadas passadas: