terça-feira, 19 de outubro de 2010

Palavra cantada & história contada: clipes que parecem curtas



Iniciei durante Semana da Criança (comemorada no Brasil, na segunda semana de outubro), projeto de interpretação de textos e produção literária, com alunos do ensino fundamental de escola da rede pública de Rio Grande - RS - Brasil, denominado "PALAVRA CANTADA & HISTÓRIA CONTADA: CLIPES QUE PARECEM CURTAS".
Trata-se de proposta de trabalhar com videoclipes, conforme links abaixo, em que seja possível observar que a história cantada pelo cantor ou banda é possível de ser também contada como uma narrativa pelos alunos, primeiro, a partir da força das imagens (clipes em inglês), para a posterior produção textual em língua portuguesa.
Para mim, como educador, escritor e poeta, interessa-me saber através da palavra cantada, qual a história a ser contada pelos alunos.
Nesta atividade, utilizei-me do tradicional (quadro negro e giz) aliado ao moderno (datashow, notebook e conexão 3G), conforme imagens acima, feitas no ambiente escolar, tornando o espaço regular em uma sala de aula digital.
Foram utilizados diversos clipes com esse enfoque:

1º ENCONTRO, com 8ª série, turmas 81 e 82:


CARRY YOU HOME, de James Blunt


CRYSTAL BALL, da banda Keane

2º ENCONTRO - 6ª série, turmas 61, 62 e 63:


ALL I NEED, da banda Radiohead


BAD DAY, de Daniel Powter

3º ENCONTRO - 7ª série, turmas 71 e 72:


WAKE ME UP WHEN SEPTEMBER ENDS, da banda GreenDay


HUNTING HIGH AND LOW, DA BANDA A-HA

As turmas 81 e 82, de 8ª série, foram convidadas a participar do projeto, primeiramente observando e anotando detalhes dos clipes Carry You Home (Voltando para casa), de James Blunt, e Crystal Ball (Bola de cristal), de Keane, trabalhando individual, em duplas e trios, para depois, a partir da palavra cantada, contarem a sua própria história, interpretando as imagens e produzindo uma nova narrativa.
No clipe de Blunt, todos tiveram a mesma percepção sobre o fio condutor da música e possível história nele contida, cada grupo tendo suas versões. Afinal, como escreveu Cecília Meireles: “O vento é o mesmo, mas sua resposta é diferente em cada folha.”
Já no clipe de Keane, mais complexo, surgiram as mais curiosas e criativas interpretações e produções para a história do homem que tinha mulher, filho, carro e bom emprego e de repente perde tudo, por não ser mais reconhecido e ter outro parecido em seu lugar. Várias hipóteses foram levantadas. As três mais originais foram que: poderia ser tudo um sonho, uma viagem no tempo entre o homem mais velho e mais novo e que um deles era clone do outro.
No clip "Tudo que necessito", da Radiohead foi visto em paralelo com o "Dia Ruim" de Daniel Powter, e ambos trazem a tela dividida, mostrando 2 histórias de vida que acontecem também de forma paralela. A observação visual, dos pequenos detalhes das cenas, feita pelos alunos de forma verbal, depois escrita, foi muito interessante.
Do garimpo de textos e observações, este educador, que também é, nas poucas horas vagas, poeta e escritor, surgiram belos argumentos para futuros microcontos, nos blogs ControlVerso e/ou R.E.M. - Rápido Movimento do Olhar, com a devida referências ideias dos alunos.
Percebi, entre os alunos, alguns talentos que, através da leitura e escrita, poderão se destacar no futuro, não apenas nas letras e artes... Possuem uma ótima sensibilidade.
Alguns deles expressaram, em sua gíria, o gosto pelos clipes: "triafu", "trimassa" e outros "tri" (Risos). A maioria desconhecia as bandas indicadas.
Muitos não leem, pois veem nisso uma obrigação, pra fazer algum trabalho; falta estímulo e exemplos que venham primeiro de casa, depois se solidifiquem na escola.
É uma geração marcada pelo audiovisual, percebem detalhes nas imagens, mas quanto a interpretação e ao vocabulário, ressentem-se dessa falta de leitura...

Observação 1: Ao final do terceiro encontro, postarei neste espaço mais observações sobre o referido projeto, indicando também videoclipes para serem utilizados no ensino médio.

Observação 2: Agradeço à direção e aos professores de Português/Literatuta da E.M.E.F. Frederico Ernesto Buchholz, no município de Rio Grande - RS - Brasil, pela possibilidade de colocar em prática o referido projeto.
Educar é compartilhar certezas provisórias e dúvidas permanentes...

5 comentários:

  1. Oi, Chris, que bom que gostou. Eu estou adorando essa interação, que é um projeto-piloto que poderá ser adapatado por outros educadores em seu ambiente escolar, com uma sondagem dos gostos dos alunos e trabalhar não apenas como videoclips, mas curta-metragens, fragmentos de filmes e vídeos diversos.
    Grato pelo comentário e visita cara coleg'amiga.
    Um abraço, Zé.

    ResponderExcluir
  2. Oi José!
    Excelente proposta de criação, que resignifica o trabalho de produção textual na escola.
    Sou de Belém do Pará, trabalho em dois NTE (um do estado e outro da prefeitura de Belém). Na prefeitura estamos desenvolvendo um projeto que pode ser complementar ao seu, pois ao finalizar a produção textual, fabricamos "livrinhos".
    Olhe só esses links aqui:
    http://niedbelem.blogspot.com/2011/08/projeto-livrinhos.html
    Qualquer dúvida, meu "emelho" é:
    rosisw@gmail.com
    Abraço cordial, Rose Oliveira

    ResponderExcluir
  3. Nossa professor, maravilhoso projeto.
    Poderei "roubar" sua ideia?

    Abraços,
    Lidiane

    ResponderExcluir