quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Lua: animação da Pixar para refletir sobre metodologia educacional

La Luna (2011) - Enrico Casarosa | Pixar Animation Studios from Efkâr on Vimeo.

O vídeo acima, La Luna (A Lua), trata-se de belíssimo curta-metragem de animação da Pixar, com roteiro e direção de Enrico Casarosa, e descobri por acaso, via Twitter de short_film, que passou a me seguir nesta rede social.
Nada é por acaso, nem mesmo o acaso, sempre comento com amigos, pois a descoberta desta pequena preciosidade de vídeo deveu-se a uma postagem do Educa Tube, no Twitter. Se eu não tivesse publicado outro belo curta, chamado Validação: O poder do elogio e da positividade, não teria este novo seguidor e sem ele, não conheceria uma série de curtas-metragens que ele indica em sua rede social.
La Luna, vídeo com menos de 7 minutos, possui um visual primoroso e traz uma mensagem universal, que como sempre, procuro adaptar ao meu fazer pedagógico. E vem ao encontro de uma conversa que tive ontem sobre metodologia educacional com um colega e amigo, professor de educação física, que depois retomo ao final desta postagem.
A história é simples: três personagens, dois adultos e um menino em um barco pretendem fazer uma viagem à Lua, apenas subindo uma mágica escada. Provavelmente seja filho, pai e avô. Três gerações e um mesmo sonho e objetivo. O menino vai primeiro e fixa em nosso satélite natural uma âncora que mantém o barco firme, preso a uma corda. Lá em cima, na Lua, o menino se deslumbra com o chão repleto de estrelas cintilantes. Logo chegam pai e avô, cada qual com uma vassoura. O menino - e as crianças possuem mesmo esta percepção visual aguçada -, logo associa a vassoura do avô a sua barba e a do pai ao seu bigode, tipo "escovão". A missão é varrer as estrelas, colocando-as nas crateras e, talvez, para o lado escuro da Lua. Os adultos munidos de suas vassouras e o menino de um ancinho seguem em seu trabalho, por toda noite, até que retornam ao pequeno barco, recolhendo a escada e a corda com a âncora. Na cena final, a surpresa. De Lua Cheia no céu, torna-se Minguante, por conta do trabalho em equipe daquele trio familiar.
O que tem este curta a ver com educação? Ora, o que arte e cultura têm a ver com educação? Praticamente... Tudo! E no caso específico de La Luna, lembrou-me a aprendizagem e o trabalho em equipe e a metodologia educacional, pois o avô possui sua vassoura na forma de sua barba, o pai na forma de seu bigode, por força do hábito e da vinculação homem à sua ferramenta de trabalho, sua metodologia. O menino é o aprendiz, iniciado naquela experiência familiar. Vejam que antes dos 2 minutos, ainda no barco, o menino observa o suposto pai e imita o seu coçar bigodes, depois olha pro avô e reproduz o coçar de ouvido (comportamento espelhado). O curioso desta viagem é que o menino é o único que consegue flutuar e prender a âncora e o sonho na Lua, e pai e avô seguem-no graças a corda. Bela metáfora da aprendizagem, de que o jovem ainda mantém o sonho intacto e que o adulto depende deste para realizar os seus ...
Ontem (10/04/2013), estava na aula de futsal (futebol de salão) de meu filho Allan, de 8 anos, conversando com seu professor Cláudio Cordeiro, justamente sobre a importância do trabalho coletivo. E que o trabalho deste professor de educação física fazia com seus colegas, em duplas, para mim era o ideal, pois unia a juventude com a experiência. Cláudio, um professor maduro, divide seu turno na escolinha de futsal com o jovem estudante de educação física Pablo Rosa; da mesma forma, noutro turno, o experiente Renê Daniel faz dupla com o novato e carismático estudante de educação física Mateus São Bento - o Mateusinho. E lembrou a mim mesmo, quando fui assessor jurídico na educação, que dividi não apenas o setor, mas dúvidas e certezas, com o jovem estudante de Direto Fábio Ribeiro, que na época (2001), era meu estagiário e hoje um estabilizado advogado. Unir experiência com juventude, na vida e np trabalho, sempre traz bons resultados e acho que deveria ser o método mais adequado de interagir com grandes grupos, pois a dupla pode se revezar, ora um sendo o titular e o outro o suplente na didática. Enquanto um fala, o outro, como um monitor, fica no apoio, observando, percebendo o que deixou de ser dito ou explorado. Sem falar que promove o descanso das cordas vocais, deixa o colega mais seguro e não tão solitário diante de muitos alunos e diversas atividades e adversidades. Mas, acima de tudo, o trabalho compartilhado promove este duplo olhar entre as ideias consolidadas no passado com as novas possibilidades do presente, num diálogo entre gerações que começa com os próprios educadores e segue com os seus educandos. Uma Lua Crescente que torna-se Nova, depois Cheia de realizações...

Observação do Educa Tube: Para os que tiverem problemas para carregar o vídeo acima, versão do Vimeo, indico abaixo uma versão de La Luna que encontrei no Educa Tube.

9 comentários:

  1. José Antonio este vídeo é excelente. Gostaria muito de usar em meu seminário sobre Educação. Como faço para tê-lo! Me envia resposta por email georgia-bispo@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Já enviei email, Geórgia. Sucesso em teu trabalho. Abrs, Zé Roig

    ResponderExcluir
  3. Interessante a proposta a que vinculas o vídeo... três gerações, cada qual com sua maneira de realizar a mesma tarefa... bem aquilo que debatemos mesmo José!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Rafael... 3 gerações, e um mesmo processo, cada qual com sua metodologia, mas mesmos objetivos... uma bela metáfora para a educação. abrs, amigo.

      Excluir
  4. Adorei seu blog! Já estou seguindo.
    http://www.educasempre.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato, Erica. Visitarei o teu blog também. abrs, Zé Roig.

      Excluir
  5. Gostaria de utilizar esse vídeos em minhas aulas de Ciências - La luna, se puder me enviar... gigatinhas@gmail.com ficaria agradecida... muito bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gisele, se tiveres o aTube catcher instalado, podes baixar a versão que tem em meu blog, direto do You tube.
      Link aqui:
      http://www.youtube.com/watch?v=dWvdhFiYjGQ#t=223
      Se não tiveres, baixes o aTube, copies este endereço do vídeo e baixes para teu computador, na pasta Vídeos.
      http://www.baixaki.com.br/download/atube-catcher.htm
      Um abraço,

      Excluir
    2. Infelizmente o vídeo tem capacidade de 71 MB, o que não é possível seu envio por email, Gisele. Mas tente baixá-lo pelo aTube como te indiquei. Um abraço,

      Excluir