sexta-feira, 5 de julho de 2013

O Grande Desafio: cinema, educação e sociedade



O vídeo acima O Grande Desafio (The Great Debaters), que também é conhecido por "O Grande Debate", trata-se de filme sobre a vida de "Melvin B. Tolson (Denzel Washington), um brilhante professor e amante das palavras. Embora tenha convicções políticas que possam atrapalhar sua carreira, ele decide apostar nos seus alunos para formar um grupo de debatedores e colocar a pequena Wiley College, do Texas, no circuito dos campeonatos entre as universidades norte-americanas. Mas o seu maior objetivo é enfrentar a tradição de Harvard diante de uma enorme platéia. Inspirado em fatos reais."
Um belo filme para tratar de temas complexos e sempre atuais como racismo, discriminação, preconceito, bem como abordar a questão da defesa de ideias e ideais, ainda mais em tempos de redes sociais em que há certa intolerância por parte de alguns usuários, que querem fazer valer seu ponto de vista sem uma boa argumentação.
Denzel Washington, que interpreta o professor e dirige o filme, nos lega um ótimo material, que embora artístico e cultural, pode ser histórico, pedagógico e social.
Em uma das cenas, o aluno Lowe diz ao professor Tolson: "Só na escola pode-se ler o dia todo, ou na cadeia". Infelizmente esta realidade não tem ocorrido, nem em casa, tampouco na escola e muito menos na prisão. A leitura deveria ser essencial para todos, pois é justamente o ato de ler que nos dá a devida argumentação para sustentar um ponto de vista. Sem leituras, têm-se uma visão e discurso superficial de mundo.
O professor Tolson soube reunir um grupo de alunos e com eles enfrentar as melhores universidades negras dos Estados Unidos, até conseguir disputar e vencer o grande desafio contra uma das melhores universidades do mundo: Harvard.
Tolson dizia: "No debate, suas armas são as palavras", indicando que sempre há que se partir de uma proposição, afirmativa ou negativa, um fato ou conjectura, e sustentar sua opinião, amparado em pesquisa, retórica e bom humor.
Tenho assistido, às vezes, entre incrédulo e estupefato, a manifestação de pessoas aparentemente esclarecidas, que replicam ideias sem a devida checagem, como se fossem papagaios. No Fake book (fake, de falso mesmo), há muita coisa que não procede, mas que as pessoas curtem, compartilham, comentam sem o menor cuidado, mais incentivando a desinformação do que outra coisa.
Cabe ao educador, seja pai ou professor, a contextualizar as notícias e informações, estimulando o contraditório (que é o ponto de vista diverso), seja nas redes sociais, no ambiente escolar, em casa e na sociedade, checando fontes, incentivando a réplica e tréplica cordial entre as pessoas.
Vejo muitas pessoas dizendo-se democratas, mas que ao serem contrariados em seu ponto de vista, levam para o lado pessoal a crítica, sem tentar sequer sustentar sua opinião, e em certas vezes, até bloqueando e ameaçando pessoas que pensam diferente. Há que se debater sempre os temas relevantes, e debater também a falta de debate atualmente, seja na escola ou na sociedade.
Um filme como The Great Debaters é uma ótima oportunidade para reflexão e motivação escolar.
Abaixo, resenha sobre o referido filme:

THE GREAT DEBATERS - O GRANDE DEBATE

2 comentários:

  1. Olá gostaria de saber se esse filme de algum conceito de negociação,se sim qual?

    ResponderExcluir
  2. Olá. Este filme fala sobre a arte do Debate, da argumentação e contra-argumentação de ideias. Não necessariamente sobre negociação. Não é um filme jurídico, mas educacional com fundo filosófico, mas creio que pode ser interessante de assisti-lo. Grato pela visita, Zé Roig

    ResponderExcluir