segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O espelho tem duas faces (cinema e educação)


http://youtu.be/wKuyKc62lQg
Nesta cena, que abre o filme, o professor está dando uma aula de matemática, super compenetrado e envolvido com a matéria, da qual gosta muito. E os alunos como estão ?


http://youtu.be/MplrN-l4qrk
Nesta cena a professora dá uma aula para um grande número de alunos, todos bastante presentes e envolvidos com a apresentação.

Iniciando no Educa Tube uma série que pretende unir cinema e educação, destacando algumas cenas de filmes longas metragens, como forma de discutir o papel do professor e do aluno no processo de ensino-aprendizagem, inauguro a série, batizada de "CinEducação", com estas duas cenas magistrais de dois grandes atores, Jeff Bridges e Barbra Streisand, no filme O espelho tem duas faces (1996), com direção da própria Streisand.
As duas cenas destacadas, foram-me indicadas via Facebook, pela coleg'amiga Elis Zampieri, professora da educação especial de Curitibanos - SC - Brasil, editora do blog Sobre Educação e colunista do portal INCLUSIVE, que usou esse belo material para tratar de metodologias educacionais com seus alunos do curso de Magistério: o ponto e o contraponto, as duas faces do ato de ensinar, educar.
Elis sempre tem inovado com seus alunos e tive privilégio de, no dia 26/08/2011, a convite dela, de participar, via web (MSN/messenger), de bate papo online e em tempo real com suas 2 turmas, falando sobre metodologias inovadoras na educação.

O Educa Tube destaca abaixo as duas cenas do filme O espelho tem duas faces e suas possibilidades educacionais:
Na cena 1, mostra um professor que domína e gosta de seu conteúdo, absorto em seu trabalho sem perceber o que ocorre em seu entorno, com alunos desmotivados, dispersivos. O que serve para discutir a questão de que não basta domínio de conteúdo para se ter domínio de classe, é preciso ter uma didática e uma metodologia adequadas, que incentivem o diálogo, que estimulem a colaboração, que instiguem a participação de todos naquele ambiente educacional, independente do nível de estudo, seja fundamental, médio ou superior.
Na cena 2, a professora, que domina o conteúdo, consegue o domínio da classe pelas associações que faz entre o conteúdo acadêmico e o cotidiano de cada aluno, estabelecendo essas relações e intertextualidade. Metodologia adequada é aquela que leva em conta esse conhecimento prévio que o aluno traz de casa, que promove a discussão, o debate, sem perder o foco para o que de fato deve ser ensinado.
O que tenho muito discutido em formações, palestras, oficinas etc: não se consegue motivar alguém sem antes se ter uma significativa automotivação, da mesma forma que não se pode criticar alguém sem antes fazer um exercício de autocrítica também.
Não basta ter domínio de conteúdo para se ter domínio de classe, é preciso automotivar-se e autocriticar-se constantemente, eis uma das lições que a escola da vida nos ensina continuamente.
Recentemente (julho/2014), a partir de comentário neste blog, procurando a versão integral, encontrei mais duas cenas do referido filme (logo abaixo) que servem para reflexão sobre metodologia e didática na educação.
Primeiramente, Cena 3 - Rose assistindo aula do Greg, cena em que "Rose (Bárbara Streisand) vai assistir a uma aula do Gregory (Jeff Bridges) e dá algumas sugestões para deixar a aula mais participativa e interessante. Conceitos de educação de adultos (andragogia), participação em sala, construção colaborativa"; e depois, Cena 4 - Dando aula e falando sobre baseball, em que demonstra que "depois de ouvir as sugestões de Rose, Greg inclui em suas aulas exemplos cotidianos e reais, levando em consideração a experiência e expectativa dos participantes. Percebam como o interesse aumenta":





Cenas que reproduzem fatos da vida real, em que professores aprendem com outros professores, que precisam vez em quando rever seus métodos e terem a sensibilidade de tornarem-se aprendizes sempre.

7 comentários:

  1. Excelente exemplo de que o professor primeiramente tem que ser apaixonado pelo que faz! Podemos ver as expressões de realização da professora, que consegue uma sintonia única com a classe...
    Ângela

    ResponderExcluir
  2. Exato, Ângela. Tem que se gostar do que faz, pra cativar o público. Uma das primeiras lições que o filme e a vida nos dão. :-)) Abrs,

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela fantástica ideia! As duas cenas registram melhor que mil definições, as diferenças de postura. É bem verdade que os assuntos são bem diversos, mas nada impede que a matemática seja ensinada de forma mais cativante e participativa.

    ResponderExcluir
  4. Sim, a matemática pode ser ensinada de forma cativante, como já mostrei aqui no Educa TUbe, na série Matemática em toda parte, do kit DVD TV Escola, em que o professor Bigode mostra através de imagens, animações etc a matemática na arte, na escola, no sítio, na feira, no futebol etc. :-)))

    ResponderExcluir
  5. Eu gostaria de ver esse filme como faço para adquirir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria, tentei encontrar uma versão integral na web, mas não localizei. Somente estas 4 cenas, que atualizei na postagem. O blog que disponibilizava o vídeo saiu do ar por questões de direitos autorais. Se eu achar alguma versão do filme publico na postagem e te aviso. O filme, assisti alguns anos atrás, quando achei numa locadora de vídeos. Não sei se estes vídeos antigos estão disponíveis em acervos recentes. Uma pena que filmes assim não sejam disponibilizados a educadores, para uso educacional sem fins lucrativos. Certa vez editei apenas uma cena de 1 min, de um filme e recebi notificação de que poderia ser bloqueado meu blog por isso. Um abraço, Zé Roig

      Excluir
    2. Oi, Maria, mande-me teu email que compartilho contigo pasta de vídeos educacionais, sem fins lucrativos que tenho com educadores. Um abraço,

      Excluir