terça-feira, 11 de outubro de 2016

A casa do futuro e a ideia que tinham nos anos 1960 do que viria a ser a Internet




O vídeo acima The Internet in 1969 (A Internet em 1969), descobri no You Tube e trata-se, na verdade, de um fragmento do curta-metragem de 1967, produzido pela Philco-Ford, intitulado The Home Of The Future: Year 1999 A.D. (A Casa do Futuro: Ano 1999), que pode ser assistido na íntegra, logo a seguir e, como o título indica, traz uma versão preconcebida do que acreditavam que seria o futuro, lá nos anos 1960.



Tanto o primeiro, que mostra mais um conceito do que seria a internet, como o segundo vídeo que trata dos avanços tecnológicos e a concepção de futuro, demonstram que "Algumas das previsões parecem estar certas enquanto que outras mais parecem ainda peças de ficção como o seriado Star Trek".
Evidentemente que a ideia daquele tempo tem conceitos ainda daquele tempo, como botões, canetas, papel, vários monitores, desktops, sem vislumbrar situações que hoje trazem em si a mobilidade, o toque na tela, bluetooth e muito mais.
A cada geração, trazemos conceitos da anterior e avançamos em situações impensadas, como será no futuro, nem tão distante assim, a Internet das Coisas, conectando todos os equipamentos eletrônicos que dialogaram entre si, e que antes era apenas enredo de filme de ficção científica.
Ainda não temos o carro voador do desenho animado de Os Jetsons, nem o teletransporte de Star Trek, mas temos os drones, o wi fi, o smartphone. O antigo comunicador de Star Trek é o telefone móvel, apenas sem a função de teletransportar as pessoas. Ainda... :-)
Dos anos 1990 para cá, muita coisa avançou em termos tecnológicos, e a tendência é que o conceito de Smart em TVs e telefones, integrando diversas funções, a Internet das Coisas e outras mais, promova novos avanços tecnológicos nas próximas décadas.
A Internet em geral, como o Google e o You Tube, em especial, podem ser considerados como máquinas do tempo, pois disponibilizam quase tudo, como uma enciclopédia mundial ou a Biblioteca Universal, como o escritor Jorge Luiz Borges tratava em um de seus contos fantásticos.
Nos anos 80/90, já cantava a Legião Urbana, na canção Índios, que "O futuro não é mais como era antigamente". A cada geração, a visão do futuro encontrará fatos que foram previstos e outros continuam no imaginário. Mas é justamente esse imaginário que move todos os projetos, ideias e ações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário