quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Quem matou o carro elétrico? (documentário com temática ambiental)



O vídeo acima, trata-se do documentário de Chris Paine, Quem matou o carro elétrico?, e que encontrei no You Tube.
Conforme sinopse:
"Em 1996 ele surgiu nas estradas da Califórnia. Era o carro mais rápido e mais eficiente já construído. Funcionava a eletricidade, não emitia poluentes e colocou a tecnologia americana no topo da indústria automotiva. Mas muita gente grande ficou realmente incomodada e esses carros foram destruídos. Especialistas, consumidores, ambientalistas, políticos, diretores envolvidos e até estrelas de cinema deram suas versões. Quem Matou o Carro Elétrico? é a verdadeira autópsia que revela os culpados deste crime contra a humanidade e a tecnologia."
Um documentário que traz muitas informações e revelações... Desconhecia que os primeiros carros elétricos remontam ao início do século XX, junto com os carros à combustão, movidos à gasolina. E que aqueles foram perdendo espaço gradualmente, por força do lobby do petróleo, desde sempre.
Choca saber que as grandes montadoras estadunidenses, e até japonesas e coreanas, tiveram na década de 1990 potentes carros elétricos, velozes, silenciosos, não poluentes e baratos, mas que por conta da pressão da indústria petrolífera, foram depois todos recolhidos, esmagados, triturados, destruídos, sobrevivendo apenas alguns com colecionadores e museus. Este documentário narra esta trajetória, e é imperdível para educadores e alunos conhecerem um pouco do mundo em que vivemos, e os reflexos dessas ações, que trouxeram em contrapartida poluição, aquecimento global, doenças etc.
Chega a ser irônico ver uma grande montadora ir contra o seu próprio produto, provavelmente por força da pressão do lobby do petróleo, retirando todos os veículos do mercado, que estavam em leasing, não aceitando sequer a opção de compra por parte de seus usuários.
Mais irônico ainda ver George W. Bush - que tem toda a história familiar vinculada ao petróleo - dizer que este é um vício. Mas foi Bush pai, e depois Reagan, os que começaram este processo contra os carros elétricos. Todos sabemos que o grupo que eles pertencem é a favor dos interesses da indústria bélica, automobilística e armamentista. Conglomerado que defendeu a invasão de países soberanos à título de impedir uso de armas de destruição em massa - jamais encontradas -, e por conta disso destruindo tais países, além do fato de que todos os estes países têm grandes reservas energéticas de gás e petróleo. Apenas mera coincidência? Assistam ao documentário e façam a própria reflexão.
Destaco frase do Dr. Ovshinsky - dono de uma das maiores fábricas solares de filme fino do mundo (para revestimento de tetos solares, revestidos de película/filme, que são ligados a cabos para captação de energia pura e limpa): "Quem quiser fazer uma revolução, não precisa pegar em armas (...) mudar o mundo usando ciência e tecnologia". Vejam também outro documentário de Chris Paine, sobre o mesmo tema, intitulado "A Vingança do Carro Elétrico", que conforme sinopse no You Tube:
"Em A vigança do carro elétrico, o diretor Chris Paine leva sua equipe de filmagem aos bastidores da Nissan, GM, e da Tesla Motors para narrar a história do ressurgimento mundial de carros elétricos. Sem usar uma única gota de petróleo estrangeiro, esta nova geração de carro é o futuro do Mundo: rápido, furioso, e mais limpo do que nunca.
Com quase todos as principais fabricantes de carro agora se lançando na produção de novos modelos elétricos, o carro elétrico segue a corrida para ser o primeiro, o melhor, e para ganhar os corações e mentes do público em todo o mundo. Não é apenas a próxima geração de carros verdes que está na linha. É o futuro do automóvel em si".




Impossível, ao assistir aos documentários, não lembrar do longa-metragem TUCKER: UM HOMEM E SEU SONHO (trailer do filme, logo abaixo), com direção de Francis Ford Coppola, inspirado na vida do construtor de carros que abalou a concorrência nos EUA, e que fez as grandes montadoras de Detroit se unirem para acabar com o seu sonho. Imperdível também. Recomendo assistirem a este belo filme.



Abaixo, imagens de alguns dos veículos inovadores que Tucker, como o Torpedo:



Por fim, dentro do clima de "Fim de Mundo", por conta de notícias alarmistas na mídia, em decorrência da supostas previsões do Calendário Maia, de fim de um ciclo e não do mundo propriamente dito, recupero um sucesso dos anos 1990, do grupo R.E.M, que tem o sugestivo título de "É o fim do mundo como nós o sabemos (e me sinto bem)" ou It's The End Of The World As We Know It (And I Feel Fine). Fato: Todo dia, ao deitarmos e dormirmos, é um pequeno fim do mundo, e ao acordarmos no dia seguinte, é um pequeno renascimento. O mundo não acabará, mas é preciso mudar o que deve ser mudado (Mutatis mutandis):

4 comentários:

  1. Novo link Multi-Subtitles http://www.youtube.com/watch?v=FD1CUdsCqvE Primeira parte esta off.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelo novo link, já atualizei a postagem. Um abraço,

      Excluir
  2. Grato pelo novo link, já atualizei a postagem. Um abraço,

    ResponderExcluir
  3. Novo link: https://www.youtube.com/watch?v=DB969BZ3sCw

    ResponderExcluir