quarta-feira, 22 de junho de 2016

Tempo de Criança: Curta-metragem sobre o cotidiano de uma menina quando a mãe está fora de casa




O vídeo acima Tempo de Criança, descobri no You Tube e trata-se de curta-metragem (2010), do diretor Wagner Novais, do Rio de Janeiro (RJ), Brasil e aborda "Uma construção poeticamente dramática sobre o cotidiano de uma menina que tem que ser grande quando a mãe não está em casa".
O elenco é composto por Ketellen Coutinho, Luciana Bezerra, Manoela Rosa, Pablo Vinícius, Roberta Valente, Rodrigo Cardoso.
Mais que uma obra de arte é um pequeno reflexo da sociedade em que boa parte das crianças não têm mais o direito ser criança, apenas e tão-somente criança, enquanto criança, mas passam a ser tratadas e se portar como adultos em miniatura.
Nessa Terra de Gigantes (parafraseando antigo seriado de TV dos anos 1970) e canção homônima da banda Engenheiros do Hawaii (anos 1980), as crianças ora são tratadas como hiperativos (e tomam remédio para isso) ora diagnosticadas com a síndrome do pensamento acelerado (que é uma espécie de reação as estímulos que sofrem via clipes, músicas, jogos, filmes etc).
Nem 8 nem 80. Muitas vezes, até mesmo especialistas esquecem que criança é criança, e como tal, possui uma agitação natural, uma curiosidade e busca por descobertas. Exemplo disso é a fase dos "porquês"... Por que a Terra é azul? E o sol amarelado? E as nuvens brancas? E a água incolor? E etc etc etc...
Muitas crianças que crescem sozinhas, muitas vezes com pais ausentes ainda que de corpo presente. Crianças que precisam trabalhar cedo, que são exploradas até por grandes empresas, que sofrem abusos emocionais e sexuais, que não podem estudar, que tem alienação parental (impedimento por um dos progenitores de conhecer e conviver com o outro).
Existem pais conscientes e outros que delegam à escola a educação de seus filhos. Pais que antes depositavam o futuro dos filhos na escola e hoje apenas depositam os filhos nela...
Existem crianças que passam sofrem violência doméstica, outras que passam boa parte do dia sozinhas, pois os pais precisam sair cedo para trabalhar fora e só voltam tarde... Crianças que acabam sendo educadas pela TV, internet, sem a mediação de pais ou professores...
Crianças que não apenas ajudam na lida da casa, mas que são responsáveis por ela e que acabam sendo pais substitutos de seus irmãos menores...
Enfim, há que se discutir Limites e Valores, sem esquecer de destinar um "Tempo de Criança", que deveria ser um tempo mágico e não tão trágico, como algumas crianças padecem, e envelhecem precocemente ao invés de amadurecer gradualmente...
Há, então, a necessidade urgente e permanente de um tempo reservado para todos sermos crianças com outras crianças... sejam eles filhos ou alunos...

Um comentário: