segunda-feira, 13 de abril de 2015

O melhor e o mais difícil trabalho do mundo: Ser Mãe




O vídeo acima, O melhor trabalho do mundo, descobri via redes sociais, via portal Comunicadores, e trata-se de belo e comovente comercial (2012), promovendo campanha para que as Olimpíadas fossem em Londres, e mostra a rotina diária de quatro mães pelo mundo (China, EUA, Inglaterra e Brasil) e sua dedicação com seus filhos, dando-lhes limites, valores, apoio incondicional, motivação, e moldando-os nos valores olímpicos do esporte e da vida.
De fato, o melhor e mais difícil trabalho do mundo, sem remuneração alguma, fruto de vocação, de desapego, de amor, carinho, dedicação...
Como destaca o portal Comunicadores: "A ideia – que é totalmente verdadeira – é de que atrás de qualquer sonho, seja para ser um renomado atleta ou um grande profissional – apaixonado pela área – sempre existiu o empenho de uma Mãe. Que te acordava cedo, te apoiava nos mais diferentes desafios, te suportava nas frustrações e que certamente se arrepiou com cada conquista que você foi tendo ao decorrer da vida".
A figura materna, seja biológica ou por adoção, é um fator essencial na formação da identidade de uma criança, aliada à figura paterna. Mas inegável - exceções à parte - que a mãe é esse centro do mundo de toda criança, acordando para ir à escola, para praticar esportes, para seguir em frente. É a primeira educadora que uma criança tem, ou deveria ter, que é fundamental para a construção dos valores e limites humanos na sociedade.
O esporte pode ser fator de consolidação de valores e limites educacionais e sociais, pelo que ele representa e necessita paa tornar alguém de fato campeão, além de títulos, medalhas, prêmios e podiuns. O verdadeiro salto para o futuro se dá nessa formação continuada, desenvolvida ainda na primeira infância, por uma mãe.
O Educa Tube Brasil sempre diz que entende as atitudes dos alunos - para o bem ou mal -, quando conhece seus pais, e é uma das coisas mais certas da vida, pois assim como o bom escritor precisa ser antecedido de um ótimo leitor, da mesma forma, o bom aluno e cidadão depende dessa construção sentimental, dessa relação social que envolve a família. E a mãe em sua dupla jornada de progenitora e educadora, seja professora ou não, precisa ainda conciliar muitas vezes o melhor trabalho do mundo com outras atividades profissionais remuneradas, com afazeres domésticos e tudo mais.
Uma mãe olímpica que deveria receber uma medalha junto com o filho campeão! Ajudando a aprender os limites sociais e coletivos, e a superar as limitações individuais...

Um comentário: