sábado, 21 de fevereiro de 2015

A Língua das Coisas: belíssimo curta-metragem inspirado em poemas de Manoel de Barros




O vídeo acima A Língua das Coisas, descobri via Twitter de Chris Angelotti, editora de Literatura, de São Paulo, SP e trata-se de "Curta-metragem selecionado pelo programa Curta Criança do MINC e TV Brasil, livremente inspirado na obra de Manoel de Barros, exibido e premiado em festivais de cinema no Brasil e no exterior" e cujo link é destacado pelo portal CONTI outra: artes e afins.
O curta conta a história de um avô e seu neto, que moram num sítio próximo ao rio, em que o idoso ensina ao menino a pescar palavras e deixá-las secando nas árvores ao redor.
Mais do que um exercício poético, um material que serve para pais e filhos, professores e alunos verem em conjunto e discutirem depois suas impressões. Haja visto que cada um, seja criança, jovem, adulto tem a sua própria língua para definir as coisas ao redor. E conhecer um pouco do mundo do outro é necessário para que ambos possam melhor conviver, dialogar...
Com diz o avô ao neto: "Têm palavras que a gente leva pra vida toda e nem se dá conta" e que "tristeza engolida é a pior tipo de tristeza, gruda por dentro e não solta mais" E a vida se parece mesmo muito com o rio, de quem mora no interior, e o mar da grande cidade.
Quando o menino vê a mãe retornar, percebe suas mudanças, a cor do cabelo pintado, os vestidos coloridos, transformada. Logo sabe que terá que ir pra capital estudar e deixar o avô. Ambos combinam se comunicar pelas águas do rio que leva ao mar...
Na escola, o menino que falava por poesia, ensinado pelo avô, não é bem entendido em suas palavras pela professora, a escola tradicional normalmente represa a criatividade.
Há um rito de passagem de se ver refletido nas águas, entre a imagem e a identidade. O peixe pequeno do rio precisa crescer no mar imenso da grande cidade... A língua do rio é bem diferente da falada na cidade...
Então, as coisas não entram na cabeça do menino, não cabem, pois muito diferentes de sua antiga realidade. Crianças criativas (pessoas em geral), são consideradas muito diferentes das ditas normais, são seres estranhos, como poeta, escritor, artista, que veem o mundo ao redor com os mesmos olhos, mas não a mesma imagem, conseguem captar a mensagem da natureza, algo que a gente da cidade esqueceu de cultivar.
Um bom material para discutir o papel social do educador, levando em conta a sua realidade local (o rio), diante de um conteúdo universal (o mar).
Belo, lírico, poético e didático roteiro e direção Alan Minas, com produção Daniela Vitorino e trilha sonora de Clower Curtis.
Abaixo, Sinopse do curta-metragem:

"Em um sítio, distante de tudo, vivem o menino Lucas e seu avô. O avô só sabe a língua do rio, dos bichos e das plantas. Lucas está cansado da rotina de pescar e das histórias inventadas pelo avô, que diz pescá-las no rio: palavra por palavra. Um dia, a mãe de Lucas vem buscá-lo para morar na cidade. Mesmo contrariado, o avô o encoraja a ir para aprender a falar língua de gente. Na escola, a nova língua não entra na sua cabeça. Não cabe. E pra piorar, ele começa a escrever uma língua inventada, só dele. Todos pensam que ele tem um parafuso a menos. Em seguida, sua mãe recebe a notícia da morte do avô. De volta ao sítio, Lucas corre em desespero na esperança de encontrá-lo, na ilusão daquela notícia ser uma história inventada. Mas não é. Desolado, ele se senta a margem do rio, e sem se dar conta, dezenas de palavras são trazidas pela correnteza".

Posteriormente, pesquisa a trilha sonora, achei este vídeo, vinculado no You Tube a Clower Curtis e traz uma bela canção, também extremamente poética como o curta, um videoclipe infantil, desenvolvido pela grife Bebê Composer.



Para finalizar esta postagem, ligando a questão da poesia, da literatura, do imaginário, indico abaixo, link para matéria do portal Educar para Crescer, para entendermos "por que, desde pequenas, as crianças constroem narrativas onde situações vividas, imaginadas ou ouvidas se misturam":

TEM UM MONSTRO NO MEIO DA HISTÓRIA

4 comentários:

  1. Olá José!! Por favor voce tem como me informar a ficha técnnica do curta " lingua das coisas"? Estou desenvolvendo um trabalho de mesrado em filosofia e estou utilizando o curta em meu trabalho. Grato!!!
    Meu email celsoramos@id.uff,br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Celso, respondi via email. Dá uma conferida lá. Abraços, Zé Roig.

      Excluir
  2. Olá José!! Por favor voce tem como me informar a ficha técnnica do curta " lingua das coisas"? Estou desenvolvendo um trabalho de mesrado em filosofia e estou utilizando o curta em meu trabalho. Grato!!!
    Meu email celsoramos@id.uff,br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloco aqui também os dados da Ficha Técnica:
      Curta-metragem infantil da Caraminhola Filmes 2010.
      Selecionado pelo Edital Curta-Criança do MINC 2008.
      Roteiro e Direção Alan Minas.
      Produção Daniela Vitorino.
      Trilha Sonora Clower Curtis.
      Direção de Fotografia Daniel Neves.
      Direção de Arte Julia Paranagua.
      Figurino Marcela Poloni.
      Montagem Marise Farias
      Montagem de Som Benhur Machado
      Direção de Produção Roni Rodrigues.

      Elenco: Fernando Bohrer, Julia Bonzi, Amir Ghazi e Lucas Santana.

      O avô de Lucas pesca palavras no rio, e com elas, conta histórias ao neto. Um dia a mãe dele vem buscá-lo para aprender a língua de gente. Ao saber da morte do avô, ele retorna ao sítio. Desolado, a margem do rio, ínúmeras palavras são trazidas pela correnteza.

      Excluir