sábado, 7 de março de 2015

Resposta adequada à pergunta repetitiva e mal elaborada (música e jornalismo)




O vídeo acima Amarante dando lição a um repórter medíocre!, descobri por acaso na rede social, e trata-se de entrevista com Rodrigo Amarante, integrante da banda Los Hermanos, durante festival de Inverno de Conquista, quando um repórter despreparado faz a mesma pergunta sempre e recebe uma resposta BRILHANTE...
Algo para se refletir sobre o despreparo, não apenas de jornalistas, mas de qualquer profissional que age de forma preguiçosa, como Amarante diz, ao não pesquisar primeiro e sair comentando ou perguntando na base do "achismo", do ouviu falar, desinformando mais do que informando.
Rodrigo, com paciência, educação e inteligência rebate cada questionamento leviano, reiterado várias vezes por alguém que de fato não fez o dever de casa. Podemos evitar isso nos estudos, trabalho e convívio social, evitando emitir opinião sobre o que desconhecemos ou que sabemos apenas por fontes nem sempre qualificadas.
Há quem faça a crítica pela crítica, sem a devida autocrítica nem o conhecimento de causa. A postura é sempre de instigar uma falsa polêmica. Quantas vezes já lemos manchetes que selecionam uma frase dentro de um contexto e a descontextualizam, como se fosse uma celebridade que diretamente acusasse alguém, quando muitas vezes foi instigada pelo entrevistador a dizer indiretamente o que desejam para alimentar uma falsa polêmica.
Jornalismo baseado na polêmica, diz Amarante, que confronto o repórter perguntando se ele, ao afirmar que SEMPRE é pedido a canção Ana Júlia, se o rapaz já assistiu show de Los Hermanos. A negativa do profissional faz Rodrigo ser irônico: E este sempre vem de onde?
Como orientador de projetos de aprendizagem utilizando TIC, mídias e redes sociais, SEMPRE aconselhei a meus orientandos (professores da rede pública) que ao elaborarem seus Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs), que evitassem fazer AFIRMAÇÕES generalizantes ou reducionista, sem a devida COMPROVAÇÃO E JUSTIFICATIVA do que afirmavam. Afirmar e não justificar tal situação, sem a devida comprovação, passa a ser opinião particular e não estudo de caso, pesquisa efetiva ou investigação de uma indagação.
Incentivar a filhos e alunos checarem informações é essencial, seja no mundo virtual como no real, para evitar constrangimentos de terceiros ou de nós mesmos, como o vídeo em questão bem ilustra.
Mais que isso, todo educador - seja pai ou professor - deve incentivar o filho e aluno a argumentarem, defenderem seu ponto de vista, amparado em dados, pesquisa, leituras, trocas de ideias, e também reconhecimento quando estiverem equivocados ou repetitivos, sem o devido conhecimento de causa.
Abaixo, canção Último Romance, de Los Hermanos para aqueles que desconhecem essa banda larga do rock nacional:



2 comentários:

  1. Ótimo exemplo! Repetir como papagaio de pirata, muitas vezes pode causar constrangimentos.

    ResponderExcluir